Arquivo de etiquetas: monte

A adoração da Primavera!

O sol ainda não dói na pele, antes a acaricia numa dolência tépida, o chão cobre-se de verde farto e gordo, para pasto do ovelhame. Toda a planície se veste do roxo dos lírios, do amarelo das serralhas e malmequeres, […]

Ler mais

Vir à terra!

Já cá não vinha há seis semanas, tantas as que leva o meu mais recente desafio televisivo. Falta de tempo e muita chuva, que para estar dentro de casa tanto me faz que seja aqui como em Fontanelas. Do que […]

Ler mais

Estas fotografias não me são estranhas!

Nada mesmo! Fui eu a tirá-las para as publicar neste blogue com apontamentos, detalhes se preferir, lá do monte, tendo o azul-Alentejo como cor dominante. Vê-las de novo agora impressas em acrílico, em jeito de marcadores de mesa, foi uma […]

Ler mais

Ao sol de Inverno

Não gosto de chuva, então tocada a vento, mas sei bem sei a falta que faz, mais a mais agora que vejo como a terra a deseja. Cá pelo Alentejo caíram umas pingas que sempre deu para a amaciar e […]

Ler mais

Entrecosto no forno com batatas e ervas do campo

Agora sim, já vão apetecendo os assados feitos em ternas quenturas e perfumados com os aromas da terra. Acendeu-se o lume e bebeu-se um tinto alentejano, da Quinta Dona Maria (Estremoz). Perfeito! 1 peça de entrecosto de porco 4 dentes […]

Ler mais

O escritório

Temos planos cá no monte para o próximo ano que envolvem obras consideráveis, por isso pensámos em substituir já a casa dos arreios por um pequeno escritório, indispensável para os meus afazeres (também haverá novidades nesse aspecto) e para os […]

Ler mais

Tarde de Outono

Ontem fintei a chuva, abençoada que a terra tem sede, e em havendo uma aberta lá ia eu para o jardim apanhar galhos secos que dão sempre jeito para ajudar a acender a lareira. Tarda é o frio e logo […]

Ler mais

Poente

Gosto do entardecer que é quando o sol tudo oura. O branco do monte parede incendiar. Sei que me repito sempre que nesta terra encontro pouso, mas tal milagre é de endoidar!

Ler mais

Pesqueirinha

Medrou, e de que maneira! Enfezada e pulguenta assim nos chegou com mês e meio, não mais. A mãe havia sido atropelada na estrada e o irmão sem o alimento materno também não sobreviveu. Agarrou-se às saquetas “whiskas” como se […]

Ler mais

Viver no campo!

Não … ainda não vivo, “faço de conta” sempre que posso e sinto-me canhestro em funções tão básicas como a de dar de comer às ovelhas ou espalhar a palha no campo para ajudar ao sustento das éguas, agora que […]

Ler mais