Arquivo de etiquetas: pequenos luxos

Uma tarde comigo!

Dêem-me um centro histórico e fico bem. Quando soube que parte da minha primeira semana  de férias seria passada no Concurso Hípico Internacional de Aachen a primeira coisa que fiz foi procurar saber do seu centro que é onde a […]

Ler mais

Esse (meu) alfaiate!

Sabe bem as linhas com que cose a Vida, sabe-o desde rapazelho ao querer o mundo para lá do bairro onde cresceu e onde outros se perderam, os amigos que não rejeita, antes os abraça, como que a querer dizer-lhes […]

Ler mais

Na mata encantada!

Primeiro pensei no Palace Hotel do Bussaco, já que Mogofores ficaria a vinte minutos de carro e se o programa de segunda era em parte feito na casa de José Cid, aproveitava-se o fim de semana para conhecer toda uma […]

Ler mais

Do Alentejo para o Papa!

Há muitos anos, era eu viajante a bordo do Paquete Funchal, pude presenciar na Praça de São Pedro a uma “udienza papale”, pontificava então João Paulo II. Em estando o Papa em Roma é sabido que às quartas-feiras há leituras, […]

Ler mais

Fecharam-se as portas do “Monte do Manel”!

Estava de férias, uma semana no Alentejo, e o telemóvel tocou. Era o Zé Eduardo Moniz: “Manel Luis tive uma ideia: vocês vão ter de sair por duas semanas do estúdio, para se construir o novo cenário do “Você na […]

Ler mais

O meu presente de aniversário

Sou daqueles que cresceram a ver o “Museu do Cinema” na Televisão, apresentado pelo sapiente e efusivo António Lopes Ribeiro acompanhado ao piano por António Mello, este tímido a ponto de lhe ouvirmos apenas um sussurrado “boa noute”. Delirava com […]

Ler mais

Um presente de Natal

“Bem, o casaco que o Angélico vai usar é a tua cara! Ainda mais bonito que o teu!” atirou-me a Júlia (Pinheiro) no seu jeito deliciosamente endiabrado, mal eu cheguei ao Tivoli para os ensaios gerais daquela que seria a […]

Ler mais

Às portas de Santo Antão – Um sábado em cheio!

Comecei pelo “Politeama”, uma casa centenária. Foi inaugurada em 1913 por iniciativa de Luís António Pereira, português de torna-viagem, diz-se que fez fortuna no Brasil e que, amante de Teatro e de Música, quis assim dotar a cidade com uma […]

Ler mais

Desejo(s)

Era sabido que se a semana corresse sem safadezas cada um ganharia a sua tablete de chocolate, uma tira tentadora vestida de prata ourada listada a azul ou a vermelho. A coisa nem sempre corria bem, eramos dois rapazelhos com […]

Ler mais

Boa noite, princesa!

Não há fome que não dê em fartura, levei décadas para voltar ao Palácio Nacional de Queluz e agora no espaço de mês e meio já lá fui três vezes, entre idas de lazer e trabalho, e no caso até […]

Ler mais