Na casa dos Crawley

Quando, há uns meses, percebi que poderia visitar a casa que serviu de cenário à maior parte das cenas de “Downton Abbey” não hesitei, logo agendei o primeiro período de férias deste novo ano de modo a que coincidisse com uma das datas que tal mo permitisse, já que nem todos os dias a casa se abre ao público e mesmo assim só grupos pequenos, divididos em dois turnos, um de manhã e outro ao começo da tarde. O preço do bilhete já será em parte selectivo (120 libras por pessoa), porém não impeditivo para quem fanaticamente, como eu, seguiu toda a série, ainda que com anos de atraso como pude confessar num outro escrito neste blogue, e mais recentemente o filme, o primeiro,que vim hoje a saber, no sítio certo, que já se está a preparar uma sequela.

Meia hora depois das dez abrem-se as pesadas portas de madeira para que entremos no gótico hall que dá acesso às principais salas, as de aparato. Aconselha-se a que franqueemos os portões da propriedade um tempinho antes para que à hora certa a visita comece sem retardatários. Primeira emoção, a de percorrer um longo caminho, porém não tão longo como parece nas cenas da série, que isso é condão das objectivas, sei eu por via do meu ofício, até à imponente mansão vitoriana, como se fora Mr. Carson a caminho de mais uma jornada de trabalho.

Quem nos recebe junto à cénica escadaria em madeira maciça que dá acesso aos quartos é Lady Fiona, oitava Condessa de Carnarvon, por casamento com Lord Geordie Herbert, mostrando-se exultante pelo dia solarengo que se fazia sentir e pelo privilégio de ser a proprietária de tão romântico e cinematográfico local, na família do marido desde o século XVII. Não é de agora que a mansão é usada em filmagens, anteriormente já outras cenas aqui haviam sido registadas, como por exemplo algumas entre Tom Cruise e Nicole Kidman, no filme de Kubrick: “Eyes Wide Shut”, tampouco é novidade o facto de serem permitidas as visitas, tal acontecia já anteriormente à exibição de”Downton Abbey”, mas nada que tenha a ver com o impacto conseguido, a todos níveis, pela série. Lady Fiona sabe dos custos de manutenção da mansão que ultrapassam o milhão e meio de euros por ano mas também sabe que depois da série, e mais do filme, a casa virou uma máquina de fazer dinheiro, por isso desdobra-se entre a escrita do seu blogue (www.ladycarnarvon.com), livros de receitas, biografias de algumas das mais destacadas protagonistas da família, como Lady Almina, bisavó do seu marido ou Lady Catherine, mulher do sexto conde, para além de anfitriar, como verdadeira castelã, quantos ali vão à procura da casa dos Crawley.

Na biblioteca forrada a ouro parece que estou a ver a família reunida junto à lareira. Na sala de refeições imagino a mesa aperaltada para um jantar cheio de “ não me toques”, dominado pelo irresistível sarcasmo de Lady Violet, sob a supervisão do irrepreensível Carson e de Carlos I, lá do alto, na pintura de Van Dyck’s. É ali que quem nos guia, que não a condessa que a esta hora já está a cuidar das quiches, das sopas caseiras, e de tudo o mais que se oferece no pequeno restaurante à saída, nos informa da loucura que foi ver anos a fio a casa transformada em “set “de filmagens, particularmente duras as que ali se passavam entre pequenos-almoços, e chamá-los assim é menorizá-los sabendo-os como são à inglesa e mais a mais nas classes dominantes, tal o apuro da reconstituição histórica, e refeições de algum aparato, com “takes” repetidos vezes sem conta ou por causa do plano, ou por causa da luz, ou porque da próxima se consegue melhor… (fácil de imaginar para quem é do meio). Igualmente nos foi dizendo que muito houve que foi feito em estúdio como alguns dos quartos e, tudo o que era “downstairs”: cozinhas,refeitório do pessoal…

Cá fora perco-me no imenso verde, viçoso da chuva e da humidade, procurando que o olhar capte todos os pormenores e os registe na alma. Ia jurar ter visto Lord Robert e Lady Cora ali a meu lado num dos seus cúmplices e devotados passeios…

Foi um dia perfeito! Entre a realidade e a ficção… da imaginação.

Uma vez mais o capote alentejano fez sucesso. Entre os demais visitantes levantou olhares de estranheza, o gabo ficou por conta da dona da casa. Lady Fiona ao passar pelo Rui soltou qualquer do género: “você está fabuloso!”. Eu que levava uma samarra, também ela alentejana, passei logo a figurante.

24 comentários a “Na casa dos Crawley

  1. Elsa Ferreira

    Simplesmente maravilhoso! Sou fã de lugares como este, sou fã de Downtown Abbey, sou sua fã! Se um dia vier a ser uma “senhora de posses”, este lugar está definitivamente na minha lista! Entretanto, permita-me que lhe sugira a Escócia, que é um deleite para os olhos (como a minha filha vive em Edimburgo, é mais fácil lá ir )

    Responder
  2. Angela

    Adorei o artigo! Em 2014 fui sozinha à aventura conhecer esta propriedade de sonho. Também eu levada pela esplêndida série Downton Abbey, cujo elenco tive a sorte de entrevistar em 2015. Também já li todos os livros que mencionou, porque adoro tudo o que diz respeito à história do Reino Unido. Sou tão apaixonada, que há quase 2 anos criei um blog chamado My Lilobridge (uma ponte idealizada por mim entre a cidade de Lisboa e de Londres). Nele partilho algumas das minhas aventuras por terras de Sua Majestade.
    Aqui fica o link com a minha experiência em Downton Abbey, caso queira espreitar: https://www.mylilobridge.com/single-post/2017/12/30/A-verdadeira-Downton-Abbey
    Obrigada! Bjs

    Responder
  3. Ana Pinto

    Obrigada pela partilha, também está na minha lista uma visita pois sou muito fã da Downtown Abbey, também a vi com um certo atraso mas de rajada.
    Continuação de boa viagem

    Responder
  4. Margarida Fonseca

    Tb sou fanatica por esta serie! Lindas fotos e lindo texto. Tambem tenho de agendar a visita qdo for a Londres. A ver se e para a proxima. Ja agora, conhece o melhor outlet em Bicester Village a poucos km de Londres? Vale a pena conhecer. Tudo marcas de griffe. Boa viagem!

    Responder
  5. Sónia Palma

    Lindos, muito obrigada pela partilha de um dos meus sonhos ir visitar essa fabulosa mansão! Não foram recebidos pelo mordomo português? Espero relatos ao vivo no você na TV . Beijjnhos e bom regresso

    Responder
  6. Maria Emília Lopes

    Obrigada querido Manel,pelas belas fotos e o historial da Mansão, é bela! Tudo o que nos mostra é lindo,por aí se vê o grau de cultura que o Manel tem! Quando volta? Tudo de bom para os dois! Muito eu gostava que me mandasse um grande abraço! Eu vou mandando alguns! Será que se lembra de mim? Padre António Vieira lembra? Um abração aos dois!♥️

    Responder
  7. Vera Matias

    É um lugar esplêndido….

    Em Agosto do ano passado tive a sorte e o gosto de visitar…. Participei numa pequena excursão em que visitamos vários locais que foram usados para as filmagens da série, passando por Bampton(Vila de Cotswold) que foi usada como vila de Downton…. Amei.
    E terminamos no Castelo de Highclere….sem dúvida que a chegada, o caminho que percorremos até chegar junto da porta magistosa, par quem é fã da série, é algo…. que nos leva para outro tempo cronológico.
    Amei todos os momentos, fiquei rendida ao local, a imensidão da paisagem verde desse lugar.

    No meio disto, arrastei o meu marido e filho de 12 anos, sem conhecerem a série, e ficaram a adoram os locais.
    Obrigado por me terem levado novamente a Highclere.

    Responder
  8. Maria Isabel Lourenço

    Ninguem como o Manuel me consegue transportar para o mundo da imaginação.
    Delicio-me a lê-lo. Obrigada Manuel. Bem haja

    Responder
  9. Cindy Peres

    Adorei ver as fotos!!! Eu que sou apaixonada por lugares assim… já para não dizer que sou fã da série.
    Parabéns ao Manuel pelo excelente blog e por partilhar connosco estas viagens.
    Beijinhos e continuação de boas férias !!!

    Responder
  10. Isabel Costa

    Boa Noite Manuel e Rui, que partilha maravilhosa e tão bem relatada, por minutos julguei fazer parte da visita, adorei!
    Muito Obrigada e boa estada.

    Responder
  11. Isabel Costa

    Boa Noite Manuel e Rui, que partilha maravilhosa e tão bem relatada, por minutos julguei fazer parte da visita, adorei!
    Muito Obrigada e boa estada.

    Responder
  12. Catarina Berto Dias

    Que inveja! Mas da boa.
    Com essa descrição ,até tive a sensação que também fazia parte da visita.
    Fico aguardar por mais episódios dessa vossa viagem.
    Beijinhos virtuais!

    Responder
  13. Maria José Silvério Generoso

    As vossas partilhas das viagens são de uma generosidade para nós que jamais podemos ir a esses locais com um texto sempre acessível com detalhes sempre compreensíveis e cativantes . Imensamente Grata.
    Nesta viagem estas fotos de representação do meu Alentejo emocionaram me ao ver a Samarra e o Capote…eu filha de alfaiate e que noutros tempos também os costurei……..
    Boas férias boa viagem e muitas Felicidades sempre boa noite beijinho para os dois.
    Maria José.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *