Arquivo de etiquetas: memórias

A que cheira o meu monte? (*)

Cheira a alfazema. A ela cheiram os sabonetes, os ambientadores, os difusores, as velas e até o papel que veste as gavetas. Também a tenho plantada nos canteiros lá de fora, para depois a colher, secar e com ela perfumar […]

Ler mais

Voltei ao Teatro

Desta é que foi, voltei a entrar no Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, quarenta anos depois de ali ter subido ao palco, como actor e integrando a companhia Teatro do Povo, de Pedro Pinheiro, no decorrer de uma digressão feita […]

Ler mais

Um dia inesquecível!

Mas, hoje dou por mim a lembrar aquela imagem da Cristina (8), ainda a casa não havia acordado, olhando o nada, comigo atrás sem que ela desse conta do meu pensamento: foi ali que verdadeiramente, pela primeira vez, lhe jurei fidelidade!

Ler mais

A Ponte a pé

Lembro-me como se tivesse sido ontem e já lá vão cinquenta anos. A 6 de Agosto de 1966, curiosamente também num sábado quente como este, era inaugurada com toda a pompa e circunstância a tão desejada Ponte sobre o Tejo, […]

Ler mais

A senhora dos panos brancos

Andou meio mundo a falar da mariposa que se “colou” ao rosto de Cristiano Ronaldo, como que a beber-lhe as lágrimas, no momento em que o campeão percebeu que fazer parte daquela final era para ele um imenso sonho perdido. […]

Ler mais

Em Borba à procura do passado

Fala-se em Borba e tenho a certeza que muitos pensarão na pinga, e com razão, que toda a região tem muito bom vinho, mas encanita-me a ideia que por vezes é passada, até em certos programas de televisão, que Portugal […]

Ler mais

Foi há (quase) sessenta anos!

Cresci ouvindo a minha mãe a recordar a primeira visita de Isabel II de Inglaterra a Portugal, há praticamente sessenta anos. Craveiro Lopes era o Presidente da República e Salazar governava, presidindo ao Conselho de Ministros. Pelo visto foi coisa […]

Ler mais

Sonho(s) de menino

Teria uns dez anos, não mais, e ficava preso ao ecrã sempre que aparecia uma senhora com duas fiadas de pérolas ao pescoço, modos gentis e voz doce, para dar conselhos de decoração. France de Vasconcellos, assim se chamava. Recordo-me, […]

Ler mais

História de um sonho teatral

Ontem regressei ao passado, que até é coisa que habitualmente não me move. O anunciado lançamento do livro sobre a história do Teatro Adóque, da autoria de Luciano Reis, levou-me ao bairro onde o sonho aconteceu: a Mouraria. Ali, no […]

Ler mais

Eu e Jeanne Moreau

Folgo em sabê-la viva aos 88 anos, por ter sido das actrizes que recebi no programa “Momentos de Glória” há 23 anos, a que mais me impressionou pela cultura, pela sua densidade, pelo que conhecia do nosso país e do […]

Ler mais