Carta a meu pai

pai_goucha

Em que estarias a pensar quando me pegaste ao colo? Sei que torceste um pé, tais os pulos de contentamento por eu ter nascido, naquele dia de Natal. Olha que bela prenda a Vida te deu! Que planos terias para mim? Os pais projectam-se nos filhos, bem o sabes, naquele tempo queriam-nos formados em “económico-financeiras” ou, se o dinheiro não desse para os botar na faculdade, que fossem parar a um banco, que assim estaria garantida uma vida com algum desafogo. Deve ter sido um choque para ti quando anos mais tarde, tinha nove não o esqueci, apareceste lá em casa para nos ver e te disseram que do que eu gostava era de teatro, de ópera, de música e bailado clássicos… A mãe esqueceu-se de te dizer que também já era apaixonado por livros, tal como ela; neles esquecia as horas e entrava em mundos diferentes e desafiadores. Andava a ler o “Malhadinhas” e às voltas com o dicionário e as palavras de Aquilino. Lembras-te de como reagiste? Recordo-o, como se o tivesses acabado de dizer: “então temos um maricas na família!”. Apesar dos tempos serem de calar a diferença, já havia percebido que eram alguns homens que faziam pulsar o meu, ainda pouco decifrável, desejo.

Tinhas razão! Bendita mariquice essa de procurar o Belo, nas palavras dos escritores, nas tintas dos pintores, na música dos compositores, em todos aqueles que nunca acabam, independentemente do género. Nessa procura sempre fui feliz, por me desafiar, inquietar e acrescentar. Pela Arte sou melhor e quero sempre mais, numa avidez que não se esgota, antes se renova ou complementa. O maricas fez-se homem, balizando-se em valores que considera justos e universais, pouco ligando ao juízo dos de fora, quando o único que me interessava, o da mãe, escutei-o aos dezoito, já eu era por minha conta e risco: “só quero que sejas feliz!”.

No trabalho me cumpro, diariamente, sabendo que se a Vida me der limões, limonada farei e se puder ainda lhe acrescento açúcar. Quero ser dos que com conhecimento, inteligência, coração e paciência procuram melhorar a grosseria dominante, para não me arrepender do que fiz do meu tempo, quando este se tiver finado.

Quando pego na nossa foto, a única que tenho de ti, vejo-me de sobrolho carregado como que a questionar-te: quem és? como és? Passaram sessenta e dois anos e não tenho respostas. Há vínculos que não se podem adiar. Não foste pai, o meu pai, porque não quiseste, não soubeste ou não te deixaram ser! E eu, não fui filho, o teu filho. Estamos quites! Pena que tal facto não me sossegue, já que tudo ficou por dizer!

120 comentários a “Carta a meu pai

  1. Isabel Almeida

    Manuel, admiro-o imenso. É lindo por fora e mais ainda por dentro (pelo que posso apreciar na tv). Parabéns pela sua evolução profissional e enquanto Homem. Parabéns por se assumir, assumir que é homossexual, que sabe amar e que o que importa é o amor. Por vezes,dou por mim a pensar que, neste tema existe um sentimento apenas, que é o amor. E dão-se ao luxo de criticar o amor enquanto há mulheres e homens heterossexuais, supostamente os ideais para as mentes mortas, que sforem de violência…Onde haverá mais amor?…Numa relação homossexual ou heterossexual (a sofrer de violência)?…
    O Sr transborda felicidade e uma pessoa muito bem resouvida. Sabe? Eu já tive uma depressão e posso-lhe dizer que a minha melhor cura foi assumi-lá.
    Muitas felicidades para si e para o Rui.

    P.S- Se for possível, diga à Cristina Ferreira que eu escolheria as 3 capas, escolheria o amor.

    Responder
  2. Rui Pinhão

    Fiquei curioso com o titulo da revista e não conhecia este seu texto. Vim aqui para tentar perceber o contexto que deu origem á famosa frase, “O maricas fez-se Homem.”
    Acho o texto maravilhoso e sou um pai “galinha” que dou tudo pelos meus filhos. Não compreendo nem quero entender como alguém não ama um filho, independentemente dos seus gostos, profissionais, sexuais, musicais, intelectuais, etc.
    Sou o mais hetero dos homens que conheço, nem admito duvidas. No entanto amei profundamente e admirei dois dos meus cantores preferidos que eram homossexuais. Amei não com intuito sexual, mas de respeito e admiração, pois nunca existiram outros iguais. Falo de Freddie Mercury e George Michael.
    Acredito que o amor partilha-se de diversas formas, sem distinção.
    Não se deixe atormentar pelo que podia ter dito ou feito ao seu Pai.
    Quem anda atrás de pessoas que não prestam, é a Policia.

    Abraço
    Rui

    Responder
  3. Eulalia Vieira

    Boa Manel Luís Goucha, desculpe a intimidade, mas quero apenas , mais uma vez, tirar-lhe o chapéu !!
    Pela sua elegância , frontalidade, sentido de humor e classe…. muita classe !
    Se cada vez que na imprensa ” cor de rosa” se inventa uma história acabasse o mundo já só havia torresmos no planeta .
    Tanta falta de imaginação meu Pai !
    Bom fim de semana e
    Seja Feliz
    Beijinho

    Responder
  4. Rui Gonçalves

    Meu caro Manuel Luís,
    Permita-me que o trate assim, apenas para lhe dizer que não ficarei surpreendido se após a leitura desta panóplia de comentários – todos abonatórios da sua história de vida -, a questão que vou referir for uma pedrada no charco e a questão é esta; fosse o Manuel Luís, não a pessoa pública que é, que alcançou o lugar que tem, certamente com grande esforço e dedicação ao que faz, mas sim um cidadão anónimo com o mesmo percurso de vida, mas longe dos holofotes e pagaria para ver se o mesmo era tão unânime, política e eticamente correto. Sabe Manuel Luís? Com o devido respeito que tenho por si que, até nem o conheço e por todos os meus semelhantes com quem costumo interagir, à medida que a VIDA me dá o privilégio de viver, mais me convenço que o Blaise Pascal estava certo, quando um dia escreveu “Quanto mais conheço as pessoas, mais gosto do meu cão”. Termino dizendo só mais uma coisa: deste meu discurso não tirem a ilação que sou algum “vencido da vida”, que decididamente, não sou, mas a “hipocrisia da vida”, essa sim enfada-me solenemente.

    Responder
  5. Ana Maria Fonseca

    Estimado e querido Manel

    Já ouvi parte desta história vivida por si, em alguns programas da manhã, mas hoje ao ler a carta, verifiquei que ficou no seu intimo a falta do carinho do seu pai. Imagino o que isso lhe tem custado pela vida fora, porque apesar de ausente, não deixava de ser seu pai, e o Manel seu filho. Eu fiquei sem o meu pai que me amava muito, que me dava colo e carinhos com 10 anos. Foi um golpe muito duro, porque tinha um amor enormissimo por ele, e de repente ele têm um AVC e morre. Fez 50 anos no passado dia 25 de Março que vivi esse pesadelo, mas ainda hoje choro muito com saudades dele. É engraçado, porque temos algumas coincidências, vou fazer 61 anos, perdi tambem o meu pai (em condiçoes diferentes) com 10 anos, e tenho a minha mãe comigo com 93 anos, que infelizmente acamou em Janeiro de 2016, entre outras coisas, como o viajar, o gostar de viver a vida, de história etc.etc.,
    Espero vê-lo um dia mais tarde a fazer programas como o José Hermano Saraiva, que tanto nos entusiasmava com as suas explicações .
    Resta-me desejar-lhe tudo de bom para si e para o Rui, e dizer-lhe que gosto muito de os ver juntos!
    Até segunda ás 10.
    Ana Maria

    Responder
  6. Nuno Oliveira

    Grande senhor e cavalheiro!!!
    Um enorme, feliz e maravilhoso homem, vê se na coragem e generosidade em que expõem os seus mais sinceros e francos sentimentos!!!é uma maravilhosa e rara fonte de inspiração!!!
    Como o abraço já é tão banal
    Um grande beijo de homem para homem : ) : ) : )

    Responder
  7. Maria Sousa

    Boa tarde Manuel,

    Adorei a sua carta, graças a Deus tive um Pai presente, que me pegava ao colo e me embalava, cantando todas as noites uma canção de embalar. Quando ele foi trabalhar para o estrangeiro tive uma grande perda com 13 meses, não comia, não dormia, senti muito a falta dele, diz a minha mãe. Teve de ir ao médico comigo, que disse sofrer de perda de ausência. Quando ele regressou tudo voltou à normalidade, o amor foi sincero entre ambos, até ao fim dos seus dias. Ele dizia vou à minha menina, é lá que gosta de estar e de comer.
    Após o seu falecimento há já 5 anos, existe um enorme vazio dentro de mim pela perda. Sinto que não sou a mesma, há algo em mim que também morreu.

    Voltando à sua carta, não sei os motivos que levaram ao afastamento do seu pai na sua vida. Mas são coisas que acontecem, a sua SRª. Mãe fez um bonito trabalho consigo, é uma pessoa inteligente, educada, cómica, bem disposta, alegra os outros, humilde e até hoje não tinha vistos tantos comentários no seu blogue, levou a muitos deixar-lhe uma palavra amiga quanto a esta carta.

    Talvez daí a rejeição a ser também pai, podia ter tido um filho para compensar a falta do seu pai, mas não preferiu a companhia de um outro ser humano do mesmo sexo, seria pela falta de não ter tido um pai!!!!!

    Seja feliz de qualquer das formas, acho que a sua vida ainda tem mais páginas para nos deliciar.

    Grande beijinho

    Maria Sousa

    Responder
  8. Isabel

    Grande Senhor diz o que pensa e pronto o seu pai perdeu muito por não ter dado valor ao filho que teve.
    Parabéns por ser como é admiro muito grande homem.

    Responder
  9. Cristina SantosCosta

    … não li os comentários pelo que poderei estar apenas a reproduzir aquilo que já foi dito, talvez com a diferença, a única (e perdoem-me a vaidade) de sentir que és tão verdadeiro, tão genuíno que ainda que as tentes mascarar as emoções saem de cada palavra, das tuas palavras, da tua escrita, da tua história, de ti.
    Sabes que eu gosto muito da tua escrita mas a verdade é que gosto muito mais de ti por SERES … ASSIM!
    beijos

    Responder
  10. Carla

    Manuel
    É verdade a sua expressão mostra espanto, era um bebé muito bonito e o seu pai um homem charmoso.
    Um complexo de Édipo mal resolvido, que deixou mágoas para sempre por muitas analises que se façam, estão lá as mossas. Coisas que não foram ditas, respostas por dar, questões por fazer, um leque de incertezas que o vão acompanhar por toda a vida. Escrever é terapêutico, limpa a alma, compreendo por o fez. Há coisas que tem que ser verbalizadas/escritas que para que se tornem conscientes.
    Já viu o que conseguiu, tudo à sua custa e trabalho, sem pilares?
    Os alicerces de um adulto são construídos na infância ,os pais são os seus pilares são eles que vão mostrar a sua dimensão, dar segurança, autoestima, narcisismo. É preciso ser investido, nutrido, sem isso haverá muitas lacunas.
    Partilhar o que vai na mente, nem sempre é fácil, é um HOMEM DE CORAGEM.

    O caminho é melhor que a estalagem
    Cervantes

    Abraço
    Carla

    Responder
  11. Maria Emilia Nunes

    Linda carta de um filho a um pai, pena é não o ter acompanhado no seu percurso de vida, pois o Manel tornou-se numa pessoa espectacular, que eu muito admiro, pois nós não devemos de nos envergonhar do que somos. Beijinhos.

    Responder
  12. Manuela Roma Gervásio

    Olá Manel, como eu o compreendo! O Manel ainda ficou com uma fotografia, já eu fiquei com a pior das recordações do meu pai. Ele nunca quis saber de mim, apesar de vivermos toda uma vida na mesma localidade e por incrível que pareça na mesma rua. Só fiquei a saber quem ele era, quando tinha os meus 5 anos, porque até então ninguém me disse quem ele era. Um dia, eu e o meu primo Paulo fomos passear com um senhor, que era amigo do meu avô o senhor Alberto quando ao passarmos pela praça da localidade, o senhor Alberto disse-me vai lá falar aquele senhor, que é o teu pai, eu olhei para ele e na minha inocência lá fui cheguei junto dele ou não me viu ou fingiu que não e eu para ele me ver agarrei-me ás pernas dele e pedi-lhe um beijo a resposta foi uma bofetada chorei tanto o senhor Alberto foi em minha defesa houve uma troca de palavras feias entre eles.Já lá vão 48 anos que aconteceu ficou uma mágoa e um tristeza para sempre! Nunca mais houve um único gesto entre nós morreu em 2016 deixou-me um eterno vazio que nunca irei compreender,mas é a vida!!! Beijinhos Manel gosto de si!

    Responder
  13. Generosa Rodrigues

    Estimado Manuel Luís!
    Curiosamente, a carta que dirigiu ao seu pai não me espantou, porque o Senhor revela, há muitos anos, uma verticalidade, um discurso coerente, uma frontalidade, uma capacidade ímpar de expor e de partilhar emoções, situações e comportamentos através da Palavra Assertiva.
    A forma correta que utilizou na estrutura da carta, bem como a riqueza lexical a que recorreu, a mim, apenas veio corroborar aquilo a que já nos habituou: ” … engenho ardente, som alto e sublimado e um estilo grandíloco e corrente…”.
    Estamos perante um excelente comunicador, que, na minha humilde opinião, “esconde” uma aptidão para a Escrita Literária.
    Manuel Luís, continue a ser um pássaro dum galho de árvore como sempre foi e não um pássaro de gaiola!
    Um forte e respeitoso abraço.

    Responder
  14. joao

    ola sr Manuel conheco via televisiva como espetador a minha opiniao visto que posso dar porque tem no seu site para a dar quem quer, educadamente concerteza sabe eu acredito que seu pai o amava eu acredito no amor toda agente tem o seu jeito de amar atitudes menos ou mais proprias mas nos momentos de aflicao desespero familiares a pessoa está lá o amor de pais é complicado de o descrever porque o sentir é dificil a mae mulher sentimos mais porque tem um sistema diferente o calor a ternura obvio do seu comportamento materno com os seus filhos para mim o amor de um pai é mais interior ou seja emocoes nao transparecem a olhos vistos, quando as pessoas nao amam precisam de ajuda porque estão a passar alguma situacao que precisam de ajuda e a sua capacidade de amar está restringida pelo seu psiquico ou seja com a cabeca noutro lugar, escrevo porque ja tive experiencias e muitas formas de amar e duvidas porque ela nem sempre é colorida .Hoje pai mata filho filho mata pai o mundo está ao contrario mas sao situacoes que o psicologico da pessoa mudou problemas foro psicologico existem muitas patologias complicado .Não sei se vai ter acesso ao que escrevi mas finalizo para que o Manel acredite seu pai o amava agora na epoca que nasceu as orientacao sexuais certamente que nascendo homem tinha que ter atitudes de homem ou os pais rejeitavam ou os vizinhos do lado iam comentar claro que o ambientes familiares descontrolavam-se.um dia facam esse tema no vosso programa á muito tabu nesta questao a questao crucial é o amor poque tambem existem filhos que nao sabem amar mae que nao sabe amar e pai ,vivemos hoje em dia numa sociedade de emocoes frageis os pais entregam os filhos nas escolas as 8 da manha vao buscalos as 6 da tarde chegam a casa pais discutem como var ser o dia de amanha contas para pagar depois jantam a ver noticias tristes do nosso portugal doente em todas as areas e pobre nos valores morais.
    finalizo minha opiniao acerca de si acho-o um homem corajoso mas tambem acho que deveria dar mais ao publico com temas ainda mais uteis a sociedade. cumprimentos que tenha todos seus desejos realizados deixo entao minha opiniao uma carta assim seja ao SrManel.

    Responder
  15. palmira sa

    Amigo deixe que assim o trate os meus 73 anos assim mo permitem só quero dizer que o adoro como apresentador sempre fui o meu preferido assim como a nossa Cristina Ferreira são dois belos apresentadores mas tudo isto para chegar ao Sr. seu Pai me desculpe mas o prejudicado fui ele perdeu um belíssimo filho e o Sr. Manuele não fique triste as vezes e muito melhor ser criado por uma grande mulher como a Sra. sua Mãe que com um homem que abandona um filho desculpe sou uma mulher sem estudos por isso peço perdão por alguma palavra mal escrita so lhe desejo muitas felicidades junto de seu Querido companheiro boa noite bjinhos palmira sa

    Responder
  16. Marisa Fernandes

    Boa tarde,

    Não tenho dúvidas nenhumas,vê se mesmo que é do signo capricórnio,somos únicos,quando gostamos é pra valer,quando não gostamos não sabemos fingir.
    Somos directos, sem papas na língua.
    Somos autênticos.

    Cumprimentos
    Marisa Fernandes

    Responder
  17. Ana Luisa Martins

    Manuel Luís,

    Adorei, como sempre o que escreve, mas hoje particularmente – na carta ao seu pai -, senti em cada palavra sua, uma emoção e chorei. Chorei simplesmente porque cada palavra sua reflecte o que lhe vai na alma de uma forma tão subtil, mas eu senti, que nesse seu coração não existe mágoa, nem ressentimento, apenas algumas perguntas sem resposta.
    Permita-me citar, este seu último parágrafo :

    E quando escreve :
    “Não foste pai, o meu pai, porque não quiseste, não soubeste ou não te deixaram ser! ” O Manuel Luis é um Ser especial, bondoso, de tal forma que “esticou” a possível razão pela qual o seu Pai não o foi para si. Parabéns pela carta, pelo seu esforço de compreender algo que não fácil de aceitar, parabéns por ser quem é.
    Adorei igualmente :
    “E eu, não fui filho, o teu filho. Estamos quites! Pena que tal facto não me sossegue, já que tudo ficou por dizer!”

    Lidar com estas emoções não é fácil ! Eu tive um pai, presente, e nem sempre foi fácil…também eu fiquei com perguntas (outras) sem respostas, isto para lhe dizer mais uma vez, que o Manuel Luis é grandioso ! E aqui estou a falar-lhe do ser humano, não da figura pública.
    Um abraço carinhoso <3

    Ana Luisa

    Responder
  18. cristina ferreira

    sempre o admirei… e acho que descobri hoje o porque… , tudo vindo de si inquieta-me,, toca-me,liberta-me ,as acima de tudo acrescenta-me … sempre… mas eis que surge este texto….com ele também limpei a alma, lendo-o e chorando… por si… e por mim…. a alma fica limpa, mas inquieta como sempre…. não sairei desta vida sem o abraçar, isso garanto não a si, mas a mim própria… porque o senhor sempre me acrescenta… e é desse “acrescento” que a minha vida é alicerçada… sao destes acrescentos que a minha vida ganha folego como se tratasse de puro oxigénio…. as vezes dizia que não há nada melhor de que um bom livro, um bom filme, uma boa viagem, uma boa mesa recheada de risadas e se de boa comida ,melhor ainda,, então se lhe puseram uma boa decoração .. ui ui ,,, mas digo-o com 36 anos que não há nada melhor do que estarmos connosco, de eu estar comigo, só comigo, sem artefactos, manhas , capas ou… apenas com a verdade… a minha verdade,,,, mas a vida ensinou-me que devemos sempre estar e procurar estar com aqueles que tantos nos acrescentam,,,, um beijo enorme e ate ao dia em que o abraçar e sussurar-lhe ao ouvido: obrigada pela partilha gratuita e por me acrescentar <3

    Responder
    1. Raquel

      Desculpe a ousadia, mas que texto lindo….Concordo plenamente, a vida é feito de pequenos momentos e é nos pormenores que acrescentamos aquele pequeno “mais”, mesmo que estejamos sós…e como é bom apreciarmos a nossa companhia……

      Responder
  19. pedro monteiro

    Sr Manuel Luis Goucha palavras para que para descrever tal pessoa que tão bem ou tão mal conheceu mas ainda bem fê-lo tornar no SRº que é hoje um exemplo de homem e que se dane quem o chama de mariquices ao homem belo como pessoa , transparente , motivador carregador de tais boas energias que transparecem a quem o vê dia após dia . A si sr Manuel muitas felicidades e que a vida lhe sorria a cada passo da sua vida….melhores cumprimentos

    Responder
  20. Matos

    Eu tive a sorte do meu pai ser o oposto do seu. Eu cresci rodeado de pessoas que condenavam todas as pessoas “diferentes”. Foi o meu pai que sempre me disse que nunca devemos julgar ninguém independentemente da cor, da religião, da cultura ou nacionalidade ( das tendencias sexuais não se falava, era tabu). Foi um Homem que se orgulhava de, na guerra, a unica coisa que matou foi a fome ás crianças que lhe pediam de comer. Tal como a sua mãe sempre me disse só quero que sejas feliz. Você hoje é como o meu pai sempre foi, um homem inteligente, que se rege por cabeça propria, que assume quem é e, apenas é feliz.

    Responder
  21. Maria Ferreira Santos

    Bom dia Manuel Luís
    Revejo-me na sua carta. Também eu tenho um passado idêntico em relação ao meu pai que não conheci.

    Na escola inventava quando me perguntavam como ele era, e pediam em redacção que o descrevesse. Ainda hoje tenho esse vazio, e pergunto porquê, porque fugiu e me deixou nos braços da minha mãe, que tal como a sua desempenhou e bem o papel dos dois. Não tive pai e já não tenho, pois morreu. Sei que tenho tres irmãs que também nunca vi.
    Elogio o seu carácter e a sua frontalidade. Eu não tenho essa coragem, pois até aos meus filhos eu não consigo falar dele.
    PARABÉNS! ADMIRO – O MUITO.

    Responder
  22. Alfredo José Maria Mendes

    Boa noite
    Manuel Luis
    Não tenho o prazer de o conhecer pessoalmente a pesar de termos sido vizinhos durante anos aqui no Porto e de ver sempre que posso todos os seus programas. Admiro-o pela honestidade pelo caráter, frontalidade e maneira de viver a vida. A sua carta escrita ao seu pai é uma lição de vida. Muitos Parabéns. Um abraço Amigo

    Responder
  23. Maria

    Boa noite Sr. Manuel Luis Goucha. Como me identifico tanto com as suas palavras!. Fui abandonada não por um, mas sim pelos 2 progenitores, o vazio é imenso. Pior que tudo é os dois já terem falecido e ter ficado tanto por dizer. A vida é ingrata, hoje com 37 anos ainda não consigo encontrar respostas por tudo o que se passou (porquês) mas, tento viver um dia de cada vez e simplesmente não pensar muito no assunto. Sou de 25 de Dezembro tal como o Sr. Sempre o admirei pela pessoa que é, desde há muito que acompanho o seu desempenho televisivo, a sua escrita, acho-o uma pessoa extraordinaria. Acredito que coisas más, fazem que nós, sejamos pessoas melhores, são ensinamentos para que, pelo menos não façamos o mesmo que nos fizeram. Tornamo-nos pessoas de luta, de garra, vemos a vida com olhos que poucos conseguem ver.
    Muito teria para lhe falar, sobre sofrimento. Um dia quem sabe.
    Um beijinho de ❤aqui dos lados de Sintra.
    Continue a ser esse ser humano maravilhoso que é.

    Responder
  24. Fernanda Dias

    Tudo o que pretenderia dizer já foi dito pelos anteriores comentadores.
    A sua orientação sexual, não me interessa. Faz parte de muitos sentimentos e caracteristicas da sua pessoa e só a si lhe diz respeito. Só sei que o considero uma pessoa linda, que o compreendo tão bem. Fez-me chorar.

    Responder
  25. Vitor

    Como homem do meio do século passado admiro este seu escrito pela verdade e nobreza de caracter que deixa ver.
    Fique em paz consigo e permita uma frase feita de quem tem dois filhos: Há pais de pai e mâes de mâe um abraço sincero.

    Responder
  26. Maria dulce

    Só nos faz falta quem está! Aprendemos a viver com e com quem temos…A sua mãe esteve sempre e está. Não a ofenda desejando mais alguém q nunca quiz estar, sessenta e dois anos é demais para se dizer q não soube ou que não deixaram… Nós somos o que a vida nos constrói, e VC é maravilhoso c todos os seus defeitos. Aceite, é só o que ainda não conseguiu, para si próprio. Felicidades. Tenho saudades da altura em q podia ver vosso programa da manhã. Adoro-o, assim como é!!!!!!!bjx

    Responder
  27. Suzy

    Adorei o que li lindos Pai e Filho …
    Posso compreender a dor de crescer sem Pai
    mas houve uma grande Mãe e um Grande Filho
    o Senhor Goucha obrigada por poder ler seu ~
    testemunho beijinho
    Suzy

    Responder
  28. Fernanda Santos

    Parabéns Manuel Luís. Texto lindo. Sem dúvida que é uma pessoa incrível. Adoro ouvi lo e vê lo.
    Beijinho grande continue assim.

    Responder
  29. Maria Jacinta mourato

    Formidável parabéns pela pessoa que é e todos os dias faz centenas e milhares de pessoas felizes com a sua simpatia beijinhos

    Responder
  30. sara fonseca

    Adorei!
    Lamento imenso que tenha sido dessa forma a relação com o seu pai!
    Mas o que interessa é ser feliz!
    Adoro imenso a pessoa que é…!obrigada!

    Responder
  31. Helena Almeida

    Parabéns Manuel Luís por ser quem é! Gostei imenso de ler esta carta pois reflete o maravilhoso Homem que é, e que tive o prazer de conhecer (a si e à Cristina) quando estive (com a minha filha) no Você na TV no dia 21 de janeiro de 2016 (dia em que fiz 60 anos). Apesar de ter sido um dia com chuva, para mim foi uma manhã alegre e bem disposta, pois vocês são uma dupla maravilhosa que nos trás um sol radiante em todas as manhãs. Apesar de ainda estar no ativo, eu não perco o vosso programa, pois quando chego a casa vou logo ver a gravação. É uma maneira de poder desanuviar do trabalho, por vezes chato, que tenho com processos e em frente do computador durante muitas horas. Obrigada pelo vosso profissionalismo e alegria, que assim continuem. Beijinhos

    Responder
  32. aldina sebastião

    Não sei o que levou o seu pai a desaparecer, mas com tal opinião se calhar foi melhor ir embora. Também não sei se ainda é vivo, mas se for é capaz de estar arrependido pois poucos portugueses tem pelo seu trabalho honesto um lugar como o seu.

    Responder
  33. Clara Ferreira

    Manuel Luís Goucha

    Rendo-me ao que acabei de ler “Carta a meu pai”
    Pelo excelente ser humano que já demostrou ser !
    Pela sabedoria que conquistou !
    Pelo respeito que merece !
    e por tudo de bom que faz !
    PARABENS!!!
    Admiro-o muito !
    Obrigado por ser quem é!!!!!

    Responder
  34. Elisabete Bastos

    A cada dia que passa o admiro mais. tenho 42 anos e estou em França , vim para França para tentar viver e deixar os meus filhos viverem em paz . Tinha muito que contar mas nao quero falar no passado, porque doi só de pensar . DESPREZO , HUMILHAÇAO, MAUS TRATOS … enfim. Isto tudo de uma pessoa ” Meu pai ” . dou graças a deus dos meus filhos terem um grande PAI .

    Manuel simplesmente Adorooooo!!!!!

    Responder
  35. martinha Batalha

    Linda carta dirigida ao pai que soube ser pai! Os meus parabéns Manuel Luís Goucha. Admiro muito a sua maneira de ser dum homem que não teve um pai. Muitas felicidades.

    Responder
  36. Liliana silva

    Olá Manuel
    Linda carta, o seu pai onde quer, que se encontre só pode ter orgulho em si pelo grande ser humano, que é a isto chama-se um homem com H grande independentemente da sua opção sexual à, que saber respeitar para continuar a ser feliz.
    Cada vez o admiro mais.
    Um abraço
    Liliana Silva

    Responder
  37. Wilson de Sousa

    Goucha, Eu entendo o teu Pai… lembro-me de ti num programa de culinária pela Europa na RTP, Sebastião come tudo ou algo assim, tinhas um bigodinho à Freddy Mercury… desde esse tempo até agora, muito se alterou na tua pessoa/imagem e ainda que de forma distante, tenho acompanhado a tua “evolução”. Não me cabe a mim julgar-te, mas, pessoalmente achei de mau tom, a tua saída do “armário” e vou explicar-te o porquê. Não sou contra a homossexualidade, acho que cada um sabe de si e os gostos de cada um nasce com cada um. Apesar de seres uma figura pública, certos temas devem ser mantidos a título privado, a sexualidade é um desses temas, o “assumir-se” que agora está tão “fashion” não é nada mais que uma rentabilização mediática de uma característica pessoal. Julgo que poderias ter sido apenas filho, sem falar da tua orientação sexual, como poderias ter sido apenas apresentador, sem falar da tua orientação sexual, mas se assim fosse, eras apenas mais um, na prateleira ,como tantos, a ganhar pó por esta altura. Desta forma és o fenómeno Goucha, paixão de velhas e velhinhas, ícone da comunidade LGBT. “Hey, but that’s Showbiz”. Existe um ditado muito antigo caro Goucha: “Filho és, Pai serás, Assim como fizeres assim acharás”, caso tivesses sido Pai, não terias escrito o texto que escreveste, que o senhor seu pai descanse em paz. Desejo tudo de bom para ti Goucha e continuação de sucesso. Abraço

    Responder
  38. Carlos Goucha

    É tão bom ver-te pequenino, dois anos antes de eu nascer, ao colo do pai, pai esse que recomecei a conhecer 24 anos depois e que aprendi a respeitar e compreender. Sindo saudades das nossas conversas, sindo saudades dele.
    De ti, meu grande herói, continuas a surpreender-me. És lindo em tudo o que fazes….

    Responder
    1. Ana Manuela do Ó

      Boa tarde caro Manuel Luis Goucha,

      Em primeiro lugar quero lhe dar os meus parabéns por ter tido coragem de escrever esta carta ao seu pai. Uma linda foto sim, mas que trazem amargas recordações da infância e adolescência. O Manuel tinha outros planos para o seu futuro que não aqueles que o seu pai idealizava para si. Cada um é livre de pensar e fazer o que bem entender. Eu tenho um filho, não sei quais as suas opções ou orientações para a sua vida. Mas o que quero apenas é que ele seja feliz. Nada mais. Ninguém tem mo direito de o julgar ou criticar e muito menos o seu progenitor. É verdade que antigamente as pessoas não podiam ouvir e nem falar em homoxessualidade. Era um tema tabu e ainda hoje o é. Um jovem que quisesse envergar pelas vias artísticas, era logo apontado do dedo pela própria família e até pelos “amigos”. Quase julgado em praça pública. Eu só lhe desejo muitas felicidades tanto na sua vida pessoal com profissional. E que nunca deixe de ser feliz por causa de falatórios de pessoas mal amadas e mal formadas. Amei a carta ao seu pai. Que ele descanse em paz e onde ele estiver que se lembre, do carinho, afecto, amor que lhe faltou todos esses anos. Que foi a senhora sua mãe que o criou sabes Deus com quantas dificuldades. Um forte abraço desta sua fã incondicional que o admira, respeita e adora.

      Responder
  39. Maria José da Silva

    Olá Manel acabei de ler a carta que escreveu ao Senhor seu pai; As minhas lágrimas escorrem pela minha cara de tanta emoção como quando o vi pela primeira vez mais TVI no dia 29 de Abril de 2016.. cada dia a amo mais como se fosse meu amigo de uma vida inteira… Sim porque o Manel entra todos os dias em minha casa e não precisa de autorização para o fazer…. Um grande beijinho e um forte abraço desta sua admiradora Maria José… comprimentos há senhora sua mãe e ao seu companheiro Rui ☘

    Responder
  40. Filomena ferro

    Olá,
    Senhor Manuel Luis ,não tenho palavras ,para descrever o quanto o acho um homem sensacional ,vivo na Suíça e adoro ver você na TV, quando posso e não estou a trabalhar adorei a sua carta palavras santas sem dúvida, queria lhe mandar um bj muito grande e se poder um para a Cristina, um muito obrigada por ser quem e e como é ,daqui lhe desejo as maiores felicidades e um bj de ❤

    Responder
  41. Sandra Domingues

    Obrigado pelas palavras bonitas que acabei de ler!
    Este texto só vem reforçar a minha admiração pelo grande ser humano que é, por certo, esta carta é um desabafo de mágoa que sente por não ter sido apoiado devidamente nas suas escolhas. Contudo resolvi escrever porque nas suas palavras apesar da mágoa, toda ela compreensível, não demonstra raiva ou ódio mas sim a beleza de transformar as coisas menos boas, não gosto da palavra ma, na beleza da simplicidade dos acontecimentos.
    Obrigado pela aprendizagem que me transmite sempre , quer em televisão ou aqui neste espaço, ouvi-lo é sinónimo de enriquecimento pessoal e intelectual.
    Se houvessem mais “Gouchas” por este mundo fora viveríamos muito melhor, mais equilibrado e justo fundamentados pelos verdadeiros valores da cidadania.

    Responder
  42. Gilberta Estevao

    Carta magnífica!!! Só um homem com H e bem resolvido seria capaz de se revelar com tanta sinceridade. O Goucha é um Senhor! Desde o tempo dos programas de culinária na R.tP que o conheço e o admiro. Faz com a Cristina um par maravilhoso no entretenimento da manhã. Tem sido muito bem sucedido e merece ser reconhecido como tal. Mas falando em relação de pai e filhos , muito haveria que dizer…. Tenho 72 anos ,feitos há pouco e ainda hoje tenhomarcas muito tristes da minha infância , adolescência e idade madura de um pai que o não soube ser… Mas tive uma Mãe que não viveu muito ,mas deixou em mim ,o melhor dos mundos! Um bem haja de grande admiração.

    Responder
  43. Carolina Cristino

    Se me permite,Manuel Luís,adorei a sua carta ao senhor seu pai…sim ele era tb um senhor tal como o Manuel Luís.
    Conheci-o bem pois foi meu fornecedor da fábrica de Cesar.Viajei algumas vezes com ele…era bem formado,bem disposto,atencioso,carinhoso e sempre falava dos filhos com carinho,embora pusesse sempre algumas “reticências”quando era a seu respeito,confesso,o k todos nós(grupo) respeitávamos,mas nunca lhe ouvi uma palavra de desprezo,desdém ou caluniosa quando se referia a si.Poderá não saber mas ele o admirava,até me ofereceu um livro de receitas escrito por si”Doces de café sem açúcar”
    Lamento k nunca tenham convivido…teria gostado dele.
    Sou sua fã!

    Responder
  44. Cristina

    Adorei a sua carta , e o meu ídolo como pessoa ,pela sensibilidade pela vida e o ser humano, merece tudo do melhor que a vida tem …beijinhos do coração

    Responder
    1. LAI VINAGRE

      Goucha, o teu pai era “GIRO”.

      eu já sabia que você era “bom”, a escrever, a cozinhar, a falar, a brincar, etc……

      não interessa, o seu pai, não o procurou, não é por isso que você, não é um ser humano bom..
      você não é “uma criatura”, isto é uma galinha. Você é um ser humano, feito á semelhança de DEUS, quer você acredite ou não, mas é….. e você é amado, por ELE, não foi, nem está esquecido, só espero, que não seja tarde, quando você o reconhecer……” Todo o joelho se dobrará e toda o olho o verá”.. assim está escrito. Mas, espero que tenha o seu tempo….aqui na terra… porque se não for aqui, isso sim será tarde demais.
      Mas não quero aborrecê lo.
      gosto de si, do que você faz, e da sua “companheira” de “espectáculo”

      um beijo
      MARIA

      Responder
    2. VITOR GONÇALVES

      Quem julga nem sempre acerta e mesmo que acerta-se tinha o dever de respeitar e de dar o amor e carinho que um filho merece pois é seu filho e não pediu para vir ao mundo. Há pais que criam uma imagem dos filhos e se não são à imagem do que pensam ficam arrasados no seu ego . Tenho pena de serem tão mesquinhos e parvos, deviam era ter orgulho em terem filhos que sabem o que querem para serem felizes. Pois a vida é uma passagem de muito pouco tempo e passaremos muito mais tempo mortps do que vivos vivam a vida e sejam FELIZES. PARABÉNS POR SER O QUE É .

      Responder
  45. Maria José Gonçalves

    O Goucha não pára de me surpreender.
    Apesar de você mesmo não gostar do “seu antes”, no tempo do bigode, deixe-me dizer-lhe que já nessa altura eu o admirava.
    Porém hoje mais que antes eu admiro o ser humano que é.
    Parabéns por tudo. Pela inteligência, pela honestidade, pela frontalidade, por ser verdadeiro, por não servir para ser fingido, por ser amigo do seu amigo e “perdoar” até aos que o criticam. Parabéns querido Goucha pela carta que dirigiu a seu Pai.
    Ele não soube ser Pai, efetivamente porque ser Pai é amar incondicionalmente, como eu amo os meus filhos. Antes de rotular, são seres humanos e quando se esquece isso não há valor na pessoa que o faz.
    Um abraço e um xoxo enorme da Maria José

    Responder
  46. Maria Amélia maia

    Palavras para quê tudo foi dito eu acrescento parabéns em abraço e um gosto conhece lo a tantos anos e continue a ser feliz e para isso que vimos ao mundo.

    Responder
  47. Paula Ribeiro

    Sem palavras…. as palavras descritas na carta falam por si. Só quem passa por situações iguais ao parecidas é que entende. Ser pai não é apenas segurar no colo. Pai descreve se em 3 palavras
    Pessoa que
    Ama
    Incondicionalmente

    Responder
  48. Domingos Madureira

    Sabe muito bem, meu caro Manuel Luís que os tempos eram outros, eram tempos de escuridão, de analfabetismo, de machismo, onde, quantas vezes a taberna na aldeia ou o bar na cidade, era o local de encontro dessas pessoas que viam no jogo de cartas e nos copos de vinho, a sua, apenas sua (deles), fuga….
    Hoje não é assim !!!
    – E ainda bem porque muita coisa mudou, muita consciência veio ao de cima, muita cultura se adiquiriu ….
    Fala-lhe quem sabe, quem nunca sentiu um beijo ou uma surrita do Pai….., contudo soube plantar no seu (meu) jardim, duas ricas e belas flores.
    Parabéns pela sua forma de ser e de estar, pela sua cultura, e pelo arrojo que tem em transmitir á Sociedade aquilo que lhe vai na alma.
    Que seja muito feliz …

    Responder
  49. Gertrudes da Lus Ferra

    Não é que o senhor Goucha me pôs a chorar neste sábado friorento ás dez da manhã. Parabéns pelo seu belo texto. O senhor é de grande sensibilidade. Um grande abraço . De coração. Nunca mais na vida me vou esquecer do Senhor e do que escreveu . Gertrudes Ferra

    Responder
  50. Paula Teles

    Não o conheço pessoalmente para grande pena minha, vejo o diariamente aonde me faz rir e por vezes chorar, mas não é a orientação sexual que faz o carácter das pessoas essa essência está lá continue a ser feliz e assim .

    Responder
  51. Cristina gomes

    Sr Goucha: esta carta parece ter sido escrita pela minha mãe também ela tem uma história de vida semelhante à sua,mas ,ela nem sequer uma foto tem do pai ….sim pai com letra pequena porque ele nunca o foi nem quis ser também ela se interroga porquê ? A vida de minha mãe sempre foi passando normalmente ,casou teve 5 filhos e nunca foi à procura dele ,para quê ? Porquê? Ele apenas lhe deixou um sobrenome nada mais…..a minha AVÓ essa sim foi uma grande mulher, boa Mãe excelente avó foi uma guerreira a vida toda mas dele nunca quis falar nem bem nem mal só …ele foi porque quis não nos faz falta .Tal como o seu pai ,o Sr Manuel também deve ter uma mãe guerreira para ela e para si um grande xi-♡ .Cristina Gomes -Aveiro.

    Responder
  52. Helena

    Oi Manel !
    Desde já peço desculpa pelos meus erros ortográfico mas já há mais de 13 anos que não estudo em portugal nem exerço a minha escrita em português.
    Gostei muito do teu texto sobre o teu progenitor. No entento queria te dizer que gostaria muito te conhecer unicamente para ter dois dedos de conversa com uma pessoa inteligente e fascinante. Tenho 23 anos e te acompanho desde a praça da alegria. A tua pessoa me encanta pela forma de como falas de assuntos sérios, do teu conhecimento em várias areas, a tua alegria e sobretudo a alegria que dás todas as manhás ás pessoas que te acompanham. Minha avó era muito feliz na tua companhia. O mundo é pequeno e quem sabe um dia nos cruzemos e poderemos ter uma conversa sobre a vida, sobre literatura, história, musica que eu adoro, expetáculo, arte, vida … etc etc
    Continua como és. Es uma inspiração para os jovens ! Nos dás vontade de querer saber mais !
    Te trato por tu, não por falta de respeito mas sim por te considerar uma pessoa jovem e proxima das pessoas.
    Bem haja e felicidades !
    Helena

    Responder
  53. Maria JOSÉ Rocha

    Snr. Manuel LUIS Gocha
    O Snr. É um artista é um Homem culto é um Homem bom o resto não importa.
    Felizes os mansos porque alcançaram a terra como herança.
    O resto o resto não conta.
    Feliz dia do filho.

    Responder
  54. Carla Luz

    O Manuel é sem dúvida uma pessoa maravilhosa. Aprendemos tanta coisa consigo tods as manhãs. Admiro o homem e o profissional,é pena não haver mais Manueis assim
    Beijinho grande
    Carla da Luz

    Responder
  55. LUIZA DIAS

    Sr Manuel Luis, não precisou do seu pai. As bases humanas estão presentes no seu dia a dia. Acompanho a sua vida pública há anos e é fácil verificar que é bem formado. A sua mãe foi também o seu pai, e no essencial teve tudo para ser a pessoa que é. Foi o seu pai que ficou a perder. Parabéns à senhora sua mãe que tal como a minha fez um trabalho bem feito naquilo que devia ter sido feito por dois: pai e mãe. Muitss felicidades.

    Responder
  56. Carla Matos

    Parabéns! Não precisou de um pai presente, para ser o grande Homem, devidamente estruturado, recto, leal, culto, eticamente irrepreensível, bom profissional, bom linguista. Fabuloso comunicador e ser humano admirável! Tudo porque, teve uma Mãe, que cumpriu bem a sua missão e só quer que seja feliz! Assim nós ganhamos, porque diariamente, nos faz felizes a nós! Admiro-o muito! Parabéns! Um beijinho

    Responder
  57. Ana Alves

    Boa noite Sr Manuel Luís
    Existem pais que não nasceram para o serem.. ..as crianças é que não tem culpa disso. Fica sempre uma mágoa….fica sempre…..mas teve e tem uma Mãe que vale por muitos pais!! ! Seja feliz e os outros….sao simplesmente os outros!
    Bem haja

    Responder
  58. Soraia Ferreira

    Que bonito texto… E que linda fotografia. Pena que o após, não tenha sido certamente o desejado.

    (Manuel Luís, corrija apenas este erro: “Lembraste de como reagiste? “. Acrescente o hífen :) sei que não vai ficar zangado com este reparo, pois adora a língua portuguesa!! )

    Cumprimentos,

    Responder
  59. Ângela Araújo

    A primeira coisa que eu pensei ao ler o seu texto, foi pensar se chegaria à sua idade, e se escreveria um texto tal e qual como o que escreveu. Pelo menos uma vez por mês escrevo sobre o meu pai, os meus 20 anos sem figura paterna, mas com uma mãe fantástica. Escrevo com raiva, saudade, com um misto de felicidade e infelicidade. É pena, que, estes homens ao qual chamamos pai, não se recordem dos filhos que têm, e é pena saber, que por uma razão ou outra, eles não nos querem presentes, mas sim distantes deles, como se fossemos algum tipo de doença.
    Espero chegar à sua idade, e não escrever com saudade, apesar de tudo indicar que sim. É bom saber que há histórias, que não somos os únicos a sofrer do mesmo.
    Você é o tipo de pessoa que faz falta ao mundo. Ainda bem que o temos, Sr. Manuel Luís Goucha.
    Ainda bem. Aqui fica o testemunho de uma mulher de 20 anos, que sentiu cada palavra da carta que escreveu. Bem haja.

    Responder
    1. Sonia Lamelas

      Linda carta Sr Goucha, carregada de emoção e de verdade, duas características que no seu dia a dia o definem…muitas felicidades

      Responder
    2. Carla Rodrigues

      Tenho um caso na minha família o meu irmão que não conhece o pai mas o pai conheceu o filho mas quando viu que o menino estava achamar de pai fugiu até ao dia de hoje mas teve uma mãe leoa fez dele um bom rapaz trabalhador meigo amigo por isso parabéns às Mães que foram país também é voçe Goucha é uma excelente pessoa

      Responder
    1. Clarinda Eulália

      Parabéns pelo ser humano que é, adoro a sua cultura e pessoas cultas são muito importantes para mim! Tenho o mesmo sentimento em relação ao meu pai porque nunca o foi nem quis estar presente na minha vida, sinto o vazio que ficou depois da sua partida pois apesar de estar no funeral olhava oe pensava …nunca te conheci porque nunca deixas te .A sua forma de descrever isso é de uma sensibilidade espetacular .Seja feliz ass.Clarinda Eulália

      Responder
  60. Catarina longo pereira esteves

    Pode não ter tido pai presente, mas teve uma grande mãe.E que mãe….!!
    Vejo em si um homem brilhante, que apesar da ausencia paterna,foi amado e sabe amar.Só assim se forma uma personlidade como a sua.
    Continue a presentear- nos com as suas lindas palavras e gestos.
    Obridada.

    Catarina

    Responder
    1. Manuel Gonçalves Calejo Ribeiro

      OIá Sr. Manuel Goucha
      Não posso deixar de lhe dar os PARABÉNS, a propósito da carta que escreveu e publicou. Não é por acaso que escrevi a palavra parabéns com letra maiúscula; é pura e simplesmente para reforço da ideia que encerra este vocábulo. E parabéns porquê? pura e simplesmente, em primeiro lugar, pelo seu talento, o qual, além de o ter demonstrado em tudo que fez e faz, culmina com a forma e o conteúdo da mesma; em segundo, terceiro e enésimo lugar, não só pela sua coragem como pela própria história em si mesma. Por outro lado, demonstra bem a sua capacidade de assumir, com esta exposição brutal, mercê da força que têm os actuais meios de comunicação, a sua condição de ordem sentimental. Por tudo isso e muito mais, reforço os meus parabéns, já que, este seu propósito, irá contribuir (e assim o espero) para que se venha a atenuar, no seio da nossa sociedade e não só, o preconceito relacionado com a intimidade do ser humano, que, ao fim e ao cabo, tem a ver com a própria condição humana. Termino, dizendo: é de facto um ser humano com uma grandeza de espírito incalculável e digno de apreço e por isso, dar-me-ia muita honra se me permitisse uma pequena conversa pessoal, já que, também tenho uma história com o meu progenitor, que eu lhe chamo de singular. Entretanto deixo aquele abraço, que eu lhe chamarei reconfortante, por tudo que significa este seu acto.

      Responder
    1. mariana nogueira

      OLA Sr. Luís GOUCHA lindo era maravilhoso que muitos pais lessem e pensassem no que escreveu para nunca cometerem o mesmo erro porque um dia vão se arrepender e já será tarde demais beijinhos

      Responder
  61. Célia Antas

    Sr. Manuel Luís Goucha!
    O sr. é realmente um senhor! Adoro ler o seu blog, parece que o conheço um pouco melhor a cada leitura! E à medida que o vou “conhecendo”, mais gosto de si!
    Continue a ser a pessoa interessante e humana que é!
    Beijinho e muitas, muitas felicidades!!

    * E já agora? O que é um maricas? ☺

    Responder
  62. Renato

    Tão conciso e tanta coisa dita Mas ainda hoje, talvez mais em alguns meios que em outros, um jovem que diga que gosta de bailado e musica clássica e se transporta para outros mundos pela literatura, será certamente rotulado, ainda que hoje mascaradamente, pela vergonha de hoje se ter que parecer uma mente menos aberta. Pouco mudou, tantas liberdades se conquistaram e tão pouca liberdade se sabe usar.

    Responder
  63. Claudia Francisco

    Estupidamente a “sociedade” exige que nos justifiquemos através da nossa “intimidade”. Tal não caracteriza a pessoa. Bem haja a pessoas como a sua Sra.Mãe que criou um filho fantástico, virou homem com valores, pessoa idónea, realizada e feliz. De quem gosta ou deixa de gostar, só a pessoa diz respeito. O resto são idiotas. Felizmente existem pessoas que valorizam o ser, e não os padrões estipulados. Pense na hipótese de dar um neto à sua mamã, o Ronaldo tem tido uma boa solução…boa gente como o Sr Devia de ter “continuidade”, Gouchinhas. Bem haja e tudo, mas tudo de bom.

    Responder
    1. M.ivone Antunes

      Se ser maricas é amar alguém então todos nós somos maricas, todos amamos ,o marido ,amulher os filhos, os grandes amigos, continue como é além de eu ser mulher tenho aprendido muito consigo e com a cristina e cada vez amo mais ,o meu marido e a minha neta e não há dia nenhum que não lhes diga ” meu amor” e acima de tudo amo a vida, Parabéns pelo grande sr que é.

      Responder
  64. Ana Maria Vilela

    Não tenho palavras para dizer além de que é um HOMEM com H grande um ser MARAVILHOSO que exprime o que sente sem se importar com o que os outros digam ou pensem. Um texto escrito de uma maneira lindíssima. Desejo-lhe toda a Sorte do Mundo.
    Bem haja Manuel Luís e continue assim.
    Entre vários comentários também gostei muito do de uma Senhora que tem três filhos a maneira de ela ver e aceitar as coisas é Maravilhoso.
    E COMO DIZIA O QUERIDO RAUL SOLNADO FAÇAM FAVOR DE SER FELIZES.
    ANA MARIA VILELA

    Responder
  65. Martinha

    Olá Manel! Gosto da sua sinceridade feita de simplicidade, sem adereços nas palavras. É o tipo de pessoa que adotaria como meu amigo.Abraço.

    Responder
  66. Arminda Silva

    Boa noite senhor Goucha, já sigo a sua vida desde que usava bigode,e vou seguindo o que vai dizendo,sei que não teve grande vivência com o seu pai,e hoje quando li a sua carta e falou sobre o que o seu pai pensava de quem gostava de arte, veio me à memória uma passagem sobre o meu filhotinho,desde os nove anos que ele estuda música e sempre teve o nosso apoio (atualmente a estudar em Espanha) quando ele andava no nono anos tinha que optar por uma área,a diretora de turma dele disse me para eu lhe tirar essa ideia da cabeça porque era uma área sem futuro,mas eu disse que se dependesse de mim ele ia estudar o que gostava,hoje vejo o meu menino feliz,pode não ser um engenheiro como o irmão e poder arranjar sempre emprego,mas nós estamos aqui para o opoiar em tudo.(este menino senhor Goucha já esteve no vosso palco usando tinha nove anos) com tudo isto ,o que é que queremos da vida?
    Abençoados todos os que podem fazer o que gostam

    Responder
  67. Olimpia

    Manuel
    Uma linda carta, onde transmite todo um sentimento de uma pessoa que sabe o que quer.
    Admiro-o pela sua maneira de ser, pelo grande comunicador que é . Bem hala e continue assim.
    Beijinhos

    Responder
  68. Sandra

    A fragilidade comove-me sempre, e ao olhar para esta fotografia não consigo deixar de me emocionar.
    O ar com que ambos se contemplam é o de curiosidade de quem tem tudo para descobrir…e que pena o tudo ter ficado oco…vazio…
    A esse bebé lindo eu diria que vai tudo correr bem…
    Ao Manuel eu apenas diria Bravo!
    Bem haja!!!

    Responder
  69. Alice lopes

    Quando minha mãe disse ao meu pai que estava grávida ele respondeu: se não quiseres a criança podes tirá-la. Mais tarde disse: se não for parecido comigo não é meu filho. No dia em que nasci não havia uma migalha de pão em casa para comer. A minha avó comprou sardinhas, fritou-as e guardou as que sobraram. No dia seguinte comeu sem pedir ordem e deu o resto à mãe. A minha avó não comeu nesse dia. A minha mãe também não.
    Em vez de comemorar o meu nascimento com a mulher e a família foi para a taberna pagar vinho aos amigos e vizinhos. Gastou todo o dinheiro ganho na semana anterior. Nem um grão de arroz levou para casa.
    Este foi o meu pai. Pai? não. Progenitor. Meu pai foi meu avô António, pai da minha mãe, que nos acolheu na sua casa e me educou e criou.
    Há muito mais para contar e muito mais que nunca saberei.
    Sinceramente…não sei qual das situações é pior. Só sei que nenhum de nós teve Pai.
    Até hoje ainda não consegui descobrir se o que sinto é raiva, desprezo, revolta, desinteresse…ou simplesmente pena de um homem (?) que não soube aproveitar a vida, que sujeitou a esposa à violência doméstica e que quase nos matou de fome.
    Eu costumo dizer que ele só fez uma coisa de jeito na vida: EU! 😀
    ehehheh veja lá a sua sorte!
    Beijo doce meu Goucha <3

    Responder
  70. Maria Albertina Franco Baptista

    Adorei a sua foto e as palavras que escreveu, tão sentidas, tão puras e tão honestas. Fez– me chorar!
    Confortou-me o gesto da sua querida Mãe, ” Quero que sejas feliz!”.

    Responder
  71. amelia mendes

    Adorei ler a sua carta para um homem que se diz pai mas nunca o foi, eu tambem nunca conheci o meu pai e nunca me fez falta porque tive amores muito mais importantes que a figura de pai. Obrigado Manuel Luis Goucha

    Responder
  72. Manuela Queirós

    Quando aos pais interessa mais o que pensa uma sociedade e não o que faz o filho feliz, está tudo dito. Esta história já tem um largos anos, mas infelizmente, continua muito actual…

    Responder
  73. Margarida Lança

    Muito ficou por dizer, mas não precisa acrescentar mais nada ao que escreveu. Texto maravilhoso. As palavras são fortes, verdadeiras, demonstrativas do ser maravilhoso que é. Abraço com muito carinho. Margarida Lança

    Responder
  74. Fátima Passos

    Belíssimo sentir e doce a forma como descreve algo que terá sido duro para uma criança, adolescente, jovem e até adulto
    .Ser diferente e ter que viver com a falta de vergonha de muitas pessoas que se julgam autorizadas a magoar,
    Só conheço o que mostra através da visibilidade que decide ter, mas gosto gosto muito do ser humano Manuel. Manuel era também o nome.do meu pai, felizmente paraim, bem diferente
    Beijinho,

    Responder
  75. ana figueiredo

    Parabéns e obrigada pela sua grande honestidade intelectual. Obrigada também por partilhar, desta forma tão transparente e corajosa, angústias tão íntimas e tão delicadas. Não sei se tem noção que, ao fazê-lo, nos dá uma grande lição de humanidade e de dignidade. Obrigada! Já era sua fã, fiquei sua “fãzízzima”!

    Responder
  76. lucia sampaio

    lindo….os pais nao sao pais porque nao querem …..eu tenho filhos de 2 relacoes diferentes ….tive 1 menino de uma 1 relacao e 2 meninas de um casamento de 20 anos que acabou mal …..nenhum pai e pai no verdadeiro sentido da palavra escolhi mal……mas tento ser pai e mae ….e acho que me tenho portado bem…..tenho 3 filhos maravilhosos …..trabalhadores ….honestos…..uma filha com uma namorada….que tanto me tem ensinado a aceitar as diferencas…..acho que quem perde sao os pais que nao criam ….que nao educam…..que nao convivem com seres humanos maravilhosos que sao…..achei o seu texto lindissimo……tenho uma admiracao muito grande por si……por a pessoa que e…..e pelo seu trabalho

    Responder
  77. Filipa Martins

    Consigo sentir cada palavra . Sei o significado de cada frase e consigo ainda saborear a infância sem pai … Pai , é aquele que cuida , ama e está lá ao longo da nossa caminhada !! Gouchinha , és um exemplo de homem e tens um coração do caraças . E esse é o maior estalo , em luva branca .

    Responder
  78. Helena Jacinto

    Carta muito sentida, de certa maneira ficou na sua vida algo que não conseguiu mostrar ao seu pai.
    Não se inquiete pois soube valorizar a vida, dando-lhe cor com o seu falar, opinando e defender as injustiças nos seus comentários, por isso tem sempre um sorriso. Bem haja por tudo o que nos dá em todas as manhãs. Bj

    Responder
  79. Arminda Pimentel

    Olá Manuel,
    Sábias as suas palavras, palavras estas que me arrepiam, suas palavras são de alguém com garra, muita força e que me inspiram no dia a dia.
    Sorrio só de o ver sorrir, pois esse sorriso gigante é contagiante. É um Homem mágico.
    Beijinho grande da Ilha de S.Miguel — Açores

    Responder
  80. Telma Monteiro Santos

    Linda história de vida Goucha. Pena tenho eu em não ter tido a oportunidade de ter uma assim, ainda que seja incompleta. Uma classe de Pessoa Goucha. Love you❤

    Responder
  81. teresa

    Manuel faça um favor a si mesmo ,resolva o passado para q um dia não tenha de voltar .De essa alegria inconsciente a si e á sra sua mãe ,amo-o de coração ,não perdi a esperança de um dia falar consigo ,também ainda nada fiz para o concretizar , quem sabe um dia….

    Responder
      1. Gentil Rodrigues

        E o Goucha também é Pai? A carta é bonita para escrever um romance:
        Espero pelo livro romântico.
        Olho tanta gente com hipocrisia, cinismos ou oportunismos dizendo fixe Goucha………
        tanto Goucha neste mundo que não têm a ferramenta dele para se expressarem
        Mas parabéns lindo romance

        Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *