Arquivo de etiquetas: jardim

O (meu) jardim!

Destaca-se intramuros pelo tapete de relva sempre aparado, gosto do seu cheiro depois de cortado, e pelos canteiros, que o orlam, agora floridos num triunfo de cores e olores. Misturam-se flores e plantas de aromas, entre rosas vermelhas, brancas e […]

Ler mais

Paris a preto e branco!

É o que resta do antigo Palácio das Tulherias mandado construir por Catarina de Médicis já então viúva de Henrique II de França. Estou em crer que o Jardim das Tulherias é o mais antigo parque público de Paris (século […]

Ler mais

Dois Museus de uma assentada!

10.00 Neste sábado quente de Agosto não havia outrem para além de nós, no Museu Nacional do Traje, ao Paço do Lumiar. É natural, dizem-me, dado o mês que é, já ao Domingo o caso muda de figura com as […]

Ler mais

São flores, senhores!

Na doçura da tarde pus-me a fotografar, que o jardim já triunfa de cor. Com alma de sonhador até ouço o cantar das rosas. Eis a força e a alegria de uma primavera que tudo renova. Eis o génio das […]

Ler mais

Se todos gostassem do amarelo…

Este ano vesti o jardim de um despudorado amarelo. Sou dos 6 por cento que gostam da cor. Porque é sol, riso, boa disposição. Ela é a mais clara e leve das cores cromáticas. “Ah, como é lindo o amarelo!” […]

Ler mais

Agapantos

Apetece-me umas quantas linhas inócuas, daquelas que não aquecem nem arrefecem. Por isso, vão ser sobre agapantos. É que gosto logo do nome, diverte-me, deve ser por ter muitas vogais, e depois gosto das cores com que eles se apresentam. […]

Ler mais

À mesa lá fora

Lá por sermos dois, não deixamos de ataviar a mesa com algum brio. Mesmo que fosse só eu, recuso-me a comer de castigo com um tabuleiro sobre os joelhos. O dia está magnifico para um almoço ao ar livre.

Ler mais

Domingar

Manhã cedo, que é quando os ares são lavados, pus-me a vestir o jardim com as cores do Estio.

Ler mais

PERDI A CABEÇA

Talvez influenciado pela última cena do filme “A Gaiola Dourada”, que é quando todos se encontram à mesa, com o Douro aos pés, ou pelos ruidosos jantares em casa do “Tufão” (sim, fui dos que não perdeu um único episódio), […]

Ler mais

ASSIM SE VESTIU A MESA…

Estava em saldo como coberta de cama, mas vi-a logo como toalha de mesa e, pela exuberância de cores, ideal para jogar com quanto lhe bote em cima. Este Domingo fui pelos copos azuis de vidro da Marinha Grande, pelos […]

Ler mais