Ali me me acho!

A Sá da Costa tem mais de cem anos. Começou por ser no Largo António de Sousa Macedo, ao Poço dos Negros, e no Chiado, onde se mantém, está desde 1943. Em 2013, soçobrada ao peso das dívidas, esteve encerrada […]

Ler mais

Desejo(s)

Era sabido que se a semana corresse sem safadezas cada um ganharia a sua tablete de chocolate, uma tira tentadora vestida de prata ourada listada a azul ou a vermelho. A coisa nem sempre corria bem, eramos dois rapazelhos com […]

Ler mais

O mais doce dos museus!

Ficava numa perpendicular à Rua do Açúcar, é que só poderia ser naquele local, assim pensou a Carla Santos, que foi quem o idealizou a partir das memórias sensoriais da sua infância. Quis o acaso que ali houvesse um armazém […]

Ler mais

Boa noite, princesa!

Não há fome que não dê em fartura, levei décadas para voltar ao Palácio Nacional de Queluz e agora no espaço de mês e meio já lá fui três vezes, entre idas de lazer e trabalho, e no caso até […]

Ler mais

Lisboa das grandezas!

Quando me fico por Lisboa, ao fim-de-semana, procuro (re)descobrir a minha cidade naquilo que ela tem de melhor e mais me apaixona. Desta vez fui à Igreja de São Vicente (de Fora, porque construída para lá das muralhas que delimitavam […]

Ler mais

Um lugar novo sendo, porém, muito velho!

Novo, porque reabilitado a partir de uma memória longínqua, daí o ser muito velho. Parece confuso mas não é, eu explico: falo-lhe concretamente do Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz, um espaço recuperado e reabilitado recentemente (e já premiado […]

Ler mais

Adivinha quem vem jantar!

Ontem à noite éramos seis à mesa e por ter estado um dia que mais parecia de Verão, com a temperatura do ar a roçar os trinta, pensei num jantar ao ar livre, acreditando que a noite se mantivesse agradável, […]

Ler mais

Borregada!

Têm nascido de primeira barriga e logo aos pares, por isso a “maternidade” está cheia e ainda há ovelhas por parir. Ao todo já teremos uns quarenta borregos e contamos ainda com mais uma vintena. Entre grades estão assim protegidos […]

Ler mais

Uma experiência única!

Uma depurada escada metálica em espiral liga os dois mundos, o da tradição de duzentos anos marcados pela história da porcelana em Portugal, corporizado no Palácio de finais do século XVII, que já foi casa de José Ferreira Pinto Basto, […]

Ler mais

Guardiãs do Templo

Gosto de gárgulas. “Parecem-me sempre pesadelos!” – atirou o Rui, enquanto de nariz no ar olhávamos as muitas que coroam o mosteiro da Batalha. Ri-me do comentário mas até que não deixa de fazer sentido, grotescos que são estes desaguadores […]

Ler mais