Bilhete postal

Quem me disse que Hallstatt era imperdível foi o João Montez, meu colega de Televisão, e estava carregadinho de razão! Uma vez que voltei a Salzburgo apenas para assistir a um concerto esta noite (é sempre a música, a ópera ou a dança a levarem-me a viajar) tive mais que tempo para tirar a limpo a sugestão do João, ainda por cima estando a aldeia tão perto, a menos de uma hora de carro. Hallstatt é um verdadeiro “bilhete postal”, seja vista de que perspectiva for, seja lá no alto, bem na montanha, seja no morro da Igreja católica, que outra há luterana na pracinha central, seja junto ao lago que a acaricia. Nas lojas, nas casas por toda a parte, ainda se mantêm as luminárias do Natal, pelo que a aldeia ao cair da noite, o que acontece cedo nesta altura do ano, ganha um ambiente ainda mais encantatório. Apetece ficar na rua, numa esplanada, embrulhado numa manta de pele, que não há poiso que a não tenha, bebendo um chocolate quente e tendo o silêncio por companheiro. Não admira que Hallstatt e a sua região alpina sejam Património da Humanidade, desde 1997, quando ainda não era leviana a atribuição pela UNESCO de tal distinção.

16 comentários a “Bilhete postal

  1. Joana Vivente (Juju Vicente)

    Linda essa cidade, vivi 2 anos em Salzburg, e mesmo assim não visitei tudo porque estava a trabalhar. Mas quando tinha tempo pelo menos a cidade fiz questão de ver.
    Confesso que tenho imensas saudades, mas desde então nunca mais tive possibilidades de ir e desde 2015 que sai dd la.
    Divirtam se, vocês são um casal incrivel.
    Felicidades para os dois. Bjinho

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *