Quinta da Ribafria

foto1

É entrar, que o portão está aberto todos os dias, das 10 às 18 horas. E assim se conhece um dos tesouros que Sintra guardava: a Quinta da Ribafria. Foi a Quinta pertença de Gaspar Gonçalves, cavaleiro da Ordem de Cristo, que bons serviços prestou a nosso venturoso rei D. Manuel I e a seu filho D. João III, e na família ficou por três séculos. Em 2002, depois de vendas em hasta publica, mudança de mãos, e de anos de abandono, a Câmara Municipal adquiriu a propriedade e este ano abriu finalmente os seus jardins ao público. Do Palácio, magnifico exemplar da arquitectura civil manuelina (1541), dominado pela torre quadrangular, erguida, diz a lenda, para que o senhor de Ribafria pudesse ver a Penha Verde, quinta de que era igualmente proprietário, fica-se à espera da sua recuperação.

Talvez seja ali instalado um hotel de charme, é o que se diz, e porque não, se outro jeito não houver de recuperar a dignidade de uma casa com história. Importante é que ela não se perca irremediavelmente, que as marcas do tempo são impiedosas, independentemente da fotogenia e do mistério que possam emprestar ao passeio, por entre pedras e verde.

foto2 foto3 foto4 foto5 foto6 foto7 foto8 foto9 foto10 foto11 foto12 foto13 foto14 foto15 foto16 foto17 foto18CABARE foto19 foto20 foto21 foto22 foto23 foto24 foto25 foto26foto29foto30foto31foto32foto33foto34

Jardins da Quinta de Ribafria

Várzea de Sintra

abertos todos os dias do ano

entrada gratuita

Aqui fica o vídeo:

8 comentários a “Quinta da Ribafria

  1. Amelia Soares

    Lindo local! Obrigada por nos dar a conhecer esta jóia escondida (quase perdida…?) às portas de Lisboa, obrigada pelas beíssimas fotos.

    Só uma preocupação…se avançar o tal hotel de luxo, charme, ou outra treta elitista e exclusivista, temo que
    os jardins não fiquem muito tempo abertos ao público…quem escolhe hotéis de luxo/charme, paga pela tranquilidade, privacidade, exclusividade, não partilhará de bom grado o espaço com o povinho…

    Os meus respeitosos cumprimentos,

    Amélia Soares

    Responder
  2. ines ribeiro

    Muito obrigada Manuel Luis por nos revelar palacios Igrejas quintas e muitas coisas que de outra forma nao teria maneira de ir ver assim vejo as lindas coisas que o Manuel poblica ou mostra no voce na tv muito obrigada um abraço pois sei que nao gosta de beijos se poder de um beijo á Critina

    Responder
  3. Fatima

    Goucha adoro essa quinta que é enorme uma cozinha grande, alguns quartos tem lareira, se não me engano são 2 tanques um grande mesmo há
    Frente e um mais pequeno ( tinha peixinhos) do lado direito ao fundo mais perto da casa do vigia. Lembro me que havia 2 cães que eram muito meigos um era o Tintim a
    Outra a Diana já era velhota. Havia uns patos que por vezes nadavam no tanque grande, mas de tudo o que mais amei foi o corredor de estátuas no jardim sem eu conhecer a história das estruturas já me tinha apaixonado por elas.
    Saudades
    Do Tintim. Quando aí ia sonhava ser uma
    Princesa e uma quinta linda e me trás lindas recordações ( isto há 12 anos atrás) namorava um segurança da quinta

    Responder
  4. Sabira Faquirá

    Tenho muito boas lembranças desta Quinta quando trabalhei para a Friedrich Naumann Foundation e aí funcionava a Academia Internacional Liberdade e Desenvolvimento. A Quinta respirava alegria por todos os cantos. Hoje, tenho pena de vê-la tão degradada! Espero que não a deixem “morrer”.

    Responder
  5. Antónia Marques

    Bem haja Manuel por partilhar connosco estas pérolas do nosso património. Tenhamos a esperança de que os olhos do governo se voltem para a cultura, tão importante num país, como identidade e como orgulho; e comecem a cuidar deste património que é tão rico. Bjns Mª. Antónia

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *