Gosto ou chiquismo?

O Manuel Luís gosta mesmo daquela cozinha ou é só por ser chique?! – perguntou-me, assim de supetão, a Fátima, senhora do público que estimo, por certo levada por uma foto que publiquei no meu instagram (mlgoucha) de um jantar que fiz num dos restaurantes parisienses de Alain Ducasse, um dos melhores chefs da cozinha francesa, de fama mundial. Aquela cozinha, de que falava a Fátima, é o que muitos chamam de cozinha de autor, eu diria, no caso, uma cozinha francesa contemporânea, resultado de anos de trabalho e experimentação, de apuro técnico e estético e de respeito pela qualidade e características dos produtos. Uma cozinha inteligente, porque assente em métodos de confecção saudáveis, também por isso actual e moderna, eu diria de estação, porque privilegiando os produtos do mercado, criativa e apelativa na sua eficácia cromática e na mancebia de sabores. Nada de uma cozinha estrambólica antes simples e em que as coisas têm o sabor que devem ter, porém delicada e sobriamente requintada.
O conceito é sempre o da qualidade do produto sem excluir uma certa fantasia gustativa.

Sim, gosto muito de cozinha de autor, tal como gosto da chamada cozinha de conforto, aquela que nos remete para a cozinha das avós, feita de suave quentura e de muito afecto. São emoções distintas unidas pela mesma verdade: o gozo dos sentidos!

6 comentários a “Gosto ou chiquismo?

  1. Carla

    Manuel
    Parece delicioso, só a forma /cores já convidam ao gozo dos sentidos como diz, onde o paladar será o sentido soberano esse sim dirá tudo.

    São emoções distintas unidas pela mesma verdade: o gozo dos sentidos!

    Abraço
    Carla

    Responder
  2. Beatriz Carrilho

    Bons prudutos e sabe-los cozinhar sem destruir sabores e qualidades.E um saber de um ou uma boa artesã. Se na mistura houver um requinto com elegância que a companhia seja agradável tudo de bom humor, quadro perfeito um abraço sr Gaúcha aqui do Lux de uma Alentejana ( sou bom garbo e se for com requinto ! )chamem)Obg Beatriz Carrilho

    Responder
  3. Raquel Silva

    Fiquei maravilhada com tanta beleza levou-me a sonhar…entrei num conto de fadas até esqueci que o Manel falava de alta cozinha com todo o seu requinte. Obrigada Manel por me fazer sonhar. Beijinho Raquel

    Responder
  4. Laura Gaboleiro

    Gosto de um bom Cozido á Portuguesa, mas adorava ir a restaurante chique um dia. Como eu digo ao meu marido, quem vai a um destes restaurantes não é para matar a fome ou para encher a barriga. É para saborear a comida, provar algo que seja único.

    Responder
  5. Célia Ramos

    Como eu o compreendo, a experiência duma refeição no Belcanto é suprema, da mesma forma que um estufado caseiro num dia de chuva como hoje o é! Para mim, que percebo pouco de cozinha e muito de comer, descobrir novos sabores é uma experiência divinal.
    Continuação de boas descobertas gastronómicas.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *