Um Hotel de excelência!

É verdade que já pernoitei noutros mas, em Paris, é no Hotel “Le Meurice” que gosto de ficar! É um dos grandes hotéis da capital francesa, com uma história de mais de cento e oitenta anos que começa quando Augustin Meurice, chefe dos correios, decide abrir, para os seus clientes ingleses, um confortável albergue junto do terminal da diligência que vinha de Calais, à rua do “Faubourg de Saint-Honoré”.

Em 1835, o Hotel cresceu e implantou-se na rua Rivoli, junto ao Palácio das Tulherias, conquistando rapidamente o agrado de muitas figuras da realeza, da aristocracia e das artes, atraídas pelo requinte dos quartos e salões, pela qualidade do serviço e pela sua excepcional localização no coração da cidade, junto às boutiques de luxo, aos grandes bancos e à Ópera. É a proximidade da Ópera que me agrada particularmente, se bem que não resista, nem que seja só para ver as montras, à loja “Dolce e Gabbana”, que a bem dizer é ao virar da esquina.

Independentemente das reformas a que o Hotel foi assistindo ao longo dos anos, o estilo Louis XVI prevalece nos salões de estar e na soberba sala de refeições, com as suas pilastras de mármore, colunas “dóricas” e bronzes fulgentes, e onde podemos saborear a superlativa cozinha de Alain Ducasse. Há dez anos ocorreu a mais recente modernização do Hotel por intervenção de Philippe Starck e, se bem que seja nítido um progresso estético em todos os espaços públicos, também é visível o grande respeito que o designer mostrou pela essência deste que é dos mais icónicos hotéis-palácio de Paris. Gosto especialmente das soluções que encontrou para o restaurante Dalí, onde o génio da pintura e da excentricidade, cliente do Hotel ao longo de trinta anos, é celebrado. Quando Dalí não pintava gostava de receber naquela que era a sua segunda casa, a suite Alfonso XIII (assim baptizada em memória do rei de Espanha que ali passou largas temporadas, em pleno exílio): “esta tarde vêm-me visitar físicos, sábios, lésbicas, bailarinas, pederastas, editores ou jornalistas, porque todos querem algo de mim, precisam de mim!”, comentava o próprio junto de Lluís Llongueras quando este ali se deslocava para lhe cortar o cabelo e cofiar o bigode, segundo conta o famoso cabeleireiro no seu livro “Todo Dalí”.

Entrar no Hotel “Le Meurice” é entrar um mundo de fascinantes estórias e sofisticação.

6 comentários a “Um Hotel de excelência!

  1. Rosa Maria Moreira

    EXCELENTE!
    Requinte aliado ao bem estar e bem saber.
    E não posso deixar de agradecer ai Msnuel Luís a forma como nos apresenta cultura, história e contos
    PARABÉNS!!!

    Responder
  2. Adélia Gil

    Adorei ver a fotos que o MANUEL tirou da visita a PARIS sítios lindos que só conheço por fotos gosto de quando o Manuel (desculpe tratá-lo assim pois nascemos no mesmo ano) mas falo com educação .quando vai a outros sítios e depois mostra por onde andou eu adoro ver as Paisagens os museus etc.É uma Pessoa que respeito e adoro ver a sua maneira de ser e de falar é educado e tem muito Inteligente continue com muito sucesso e desejo FELICIDADES

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *