Benditas papanças

Para o caso de andar por estas bandas, aqui lhe deixo as casas de comer por onde andei e que recomendo.

Em Monforte:

Tasca da Calçadinha

Aqui o negócio é familiar. Na cozinha é Catarino quem vinga e tem jeito, sim senhor. Já na sala é sua mulher, Vanessa, quem faz as honras da casa. Em sendo muita a freguesia ajuda a filha e um ou outro familiar que esteja por perto. Toda a cozinha é caseira, daquela que enche estômago e alma. Naquele dia havia entremeada no forno, túberas, ovos mexidos com farinheira, omeleta de espargos verdes, bochechas de porco estufadas, entre outros petiscos, qual deles o mais saboroso. Mas em havendo ovos mexidos com farinheira, não quero saber do mais do cardápio. O problema é que havia também túberas, e se por elas me perco, foi então que sugeri que mas acrescentassem ao cremoso de ovos e enchido e assim ganhei uma receita de babar. Quem sabe se Catarino não vai usar a minha ideia para ementas futuras, em sendo tempo de tão magníficas trufas que este chão esconde. Não levo mais por isso!

tasca da calçadinha1 tasca da calçadinha2 tasca da calçadinha3

Tasca da Calçadinha
Monforte
Tel: 245 573336

Em Vaiamonte:

Taberna Tintos e Petiscos

Já conhecia o Joaquim Ramalho, o Tola, por ser esse o apelido do pai também Tola ficou, de quando chefiou a cozinha do magnífico Hotel Torre de Palma (à saída de Monforte) na sua abertura, há precisamente dois anos. Depois foi o seu filho a ficar no lugar e o Joaquim deu-se ao luxo de descansar um ano, por todas as férias que não teve. Voltou agora aos tachos, que isto é paixão de sempre, com uma pequena casa de comeres onde não cabem mais de doze à mesa, de cada vez, e onde é pau para toda a obra. É ele quem recebe, quem tira o pedido, quem cozinha, quem serve, quem lava a louça, quem passa tudo a pano e, ao fim do dia, quem apaga a luz. Contudo, a sua casa é a mais grata surpresa gastronómica destas minhas férias alentejanas, tal a qualidade e a dedicação com que prepara os seus petiscos. Ficámo-nos pelos coquitos (galinhas cócós) em franca fritura de azeite e alho acompanhados de arroz de favas e, como sobremesa, por um untuoso pudim de azeite e mel. Dois dias depois já lá estava caído outra vez, para desta saborear pombo de tomatada com migas de grelos e feijoada de pato. A esta Taberna voltarei sempre com a excitação de uma primeira vez.

tintos_petiscos1 tintos_petiscos2 tintos_petiscos3 tintos_petiscos4

Taberna Tintos e Petiscos
Rua Cláudio José Moura
Vaiamonte
Tel: 96 0248138

Em Alcaraviça:

Espalha-brasas

Se são poucos ainda a conhecer o “Tintos e Petiscos” de Vaiamonte, não há quem não saiba onde é o “O Espalha-brasas” de Alcaraviça, ali a dois passos de Borba. Tem fama a sua sopa de tomate com ovo escalfado e com razão, de tal modo a que provámos honra a tradição alentejana. O cabrito, cabrito mesmo e não borrego que muito querem fazer passar, apresentou-se em perfeita e saborosa assadura, e a galinha tostada, outra das especialidades, esteve à altura das expectativas, não fazendo, porém, esquecer a que habitualmente como na “Taberna do Adro”, em Vila Fernando.

espalha_brasas espalha_brasas2 espalha_brasas3 espalha_brasas4

O Espalha-Brasas
Alcaraviça
Tel: 268891069

À saída de Estremoz (na N4):

Herdade das Servas

Fica a meio caminho entre a cidade de Estremoz e o Vimieiro, não há como enganar, que a herdade é grande e faz-se ver da estrada, pelas vinhas. O Alentejo serve-se à mesa de modo inspirado ou não se oficiasse na cozinha com (a) Fé (Maria), ela que durante muitos anos foi a razão maior do sucesso do “São Rosas” de Estremoz. Tudo quanto provámos, das entradas à sobremesa apresentou-se de confecção cuidada e acertada. O serviço é atencioso e também ele de qualidade. E depois há o vinho, que pode ser comprado na loja ao lado, para em casa brindarmos à Vida.

herdade_servas1 herdade_servas2 herdade_servas3

Herdade das Servas
São Bento do Ameixial
Tel: 268 098080

6 comentários a “Benditas papanças

  1. M. Lourdes Clement

    Que conselhos e opiniões
    de valor, muito grata, gosto de viajar consigo pelo Alentejo, e por todos os sítios onde vai e
    amavelmente divide com os seus admiradores. Beijo, obrigada.

    Responder
  2. Madalena Ferreira

    Olá MLG,

    Só o Goucha sabe como nos abrir o apetite, e não me estou a referir só o que é comestível – visualmente também!

    Não me canso de lhe agradecer, por mais uma partilha!!!!!!!

    Bem haja,

    Responder
  3. Inácio Oliveira

    Caro Goucha

    Felicito-o pela pessoa e pelo profissional que é, e pela forma honesta e generosa como partilha os seus conhecimentos e experiências com os outros.
    Os meus pais eram ambos de Evoramonte, mas eu nasci em Lisboa. Apesar de adorar o Alentejo (onde vivi até aos 7 anos) vou por lá muito poucas vezes, mas gostaria de conhecer bons restaurantes de comida típica nessa região.
    Permita-me um abraço com estima, e obrigado
    Inácio Oliveira
    63 anos, jurista e inspector do Ministério da Justiça aposentado

    Responder
    1. MLG

      Caro Inácio
      Muito obrigado pelo seu comentário. Não deixe de ir, pelo menos, ao “Tintos e Petiscos”. Tenho a certeza que vai gostar. Em Vila Fernando também gosto muito da “Taberna do Adro”. Já havia falado deste restaurante no blogue. Um abraço. Desejo-lhe o melhor.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *