A omeleta de espargos cá do monte

omeleta1

omeleta2

Gosto muito de espargos selvagens e ainda há muitos no Alentejo. Pedi ao Rui que fizesse uma omeleta de espargos e que a acompanhasse de uma boa salada de alface e tomate de cacho, perfumada de azeite, vinagre, coentros e tomilho limão. Foi um almoço delicioso e tão simples, regado com um rosé “Defesa”, da Herdade do Esporão. Sempre o Alentejo!

5 ovos (para duas pessoas)

3 dentes de alho

sal marinho

flor de coentros com sementes frescas

1 molho de espargos selvagens

Azeite

Misture os ovos com um garfo,numa tigela.

Num almofariz pise os dentes de alho, descascados, com sal e os coentros (procure no mercado com as sementes a espigar). Obtenha uma pasta.

Corte os espargos em pedacinhos.

Numa frigideira, aqueça um fio de azeite. Junte os espargos e deixe-os amaciar. Junte a pasta de alho e coentros. Mexa.

Junte, imediatamente, metade dos ovos e mexa em lume brando, até que ovos comecem a ficar como se fosse para ovos mexidos. Junte os restantes ovos, deixe começar a prender e enrole a omeleta.

Convém que a omeleta fique suculenta, para isso não deixe que os ovos sequem. Polvilhe com flor de coentros ou com coentros picadinhos.

omeleta3

Nota: As receitas lá de casa que em Outubro passado fizemos publicar, com a chancela Porto Editora, foram um sucesso (o livro vai na terceira edição). Quem sabe se com esta tão singela receita de omeleta de espargos mas com um toque a nível do tempero que faz toda a diferença, não estamos a iniciar um outro receituário, agora com os pratos cá do monte. A ver vamos, mas que a ideia nos agrada…!

13 comentários a “A omeleta de espargos cá do monte

  1. Antonia Ramalho

    Ola Manel, mas que optimo aspecto tinha a vossa omoleta, eu tambem faço omotete de espergos mas não tão elaborada como o vossa, o meu marido iria adorar. Certamente que esta receita assim como a das douradas irão fazer parte dum novo livro e eu aqui fico esperando em Monforte que ele saia para o comprar e juntar aos outros dois que me autografou. Boa semana e pode ser que quando vier de ferias por ca nos encontremos. Beijinho ao Manel e ao Rui.

    Responder
  2. Natália

    Pãozinho Alentejano Azeitoninhas Alentejanas e Espargos comprados no mercadinho de ESTREMOZ agora é só aproveitar e assim se pode ser FELIZ .FELICIDADE é feita de momentos e prazeres…… sejam FELIZES…

    Responder
  3. Carla

    Manuel
    Que delicia!!
    Sorte ter um cozinheiro assim :), não sabia dos coentros na salada com tomate/alface vou experimentar, costumo por as 5 pimentas gosto muito. Gosto de azeitonas com alho picado, um pouco de azeite e oregãos humm, ficam divinas.
    Gosto da sua travessa.
    Já começou a decoração do monte?
    Qué cotilla soy, jejeje.
    Recordo com saudade boa, os dias que passava num lindo monte os seus proprietários eram dinamarqueses , os meus padrinhos os caseiros. Um monte altaneiro com uma vista preciosa, o cheiro do campo, o cheiro das galinhas ao ar livre, os banhos num grande tanque de rega que ultizavamos como piscina… o bolo de café com canela feito pelo minha madrinha, há coisas que numca esquecemos.
    Um dia gostava de ter um monte, o meu gostava que fosse pequeno acolhedor onde me sentisse aninhada, num aconchego apertadinho, onde eu podesse ser a caseira tomasse toma dele . Talvez pense assim por ter uma casa grande, sinto que o grande provoca em nós uma especie de vazio, um ninho onde há repartições que nem sequer entramos, como se não fizessem parte dele.

    Abraço aos 2
    Carla

    Responder
  4. Paulinha Velez

    MLG…
    receitas cá do monte…Mas que boa ideia..agora o lançamento do livro tem de ser em Lisboa pois,para voltar a ser a primeira da fila tinha de ir de véspera para o Alentejo… Até era giro..obrigado pela partilha da receita.. agora é ir à procura dos tais espargos aqui em Torres Vedras
    Um abraço.. Saudoso

    Responder
  5. Maria José

    Adorei ! Nasci Alentejo profundo… Vai fazer 66 anos ! As ervas aromáticas, os cheiros próprios dum espaço paisagístico único ! Sinto uma imensa nostalgia dum nascer e pôr de sol bem como a luminosidade duma noite estrelada em que a lua me inundava a alma e me alimentava o espírito ! Felicidades vosso projecto ! BEM HAJAM!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *