Tarde de Outono

Ontem fintei a chuva, abençoada que a terra tem sede, e em havendo uma aberta lá ia eu para o jardim apanhar galhos secos que dão sempre jeito para ajudar a acender a lareira. Tarda é o frio e logo eu que gosto de o sentir cortante e de me ataviar com agasalhos. Depois dos calores estão murchas as flores, ainda assim uma hortênsia resiste. Colhi-a para secar e juntar às outras do arranjo das boas-vindas, quem sabe se não vão enfeitar o pinheiro do Natal, que já ando cá com uma ideias na cachimónia. E assim se passou a tarde entre espasmos de alegria.

18 comentários a “Tarde de Outono

  1. Afonso Manuel Trindade

    Manuel Luís – as fotos são lindas e . . . também me fazem partilhar, sobre a acção em si de cuidar de um jardim.
    Um jardim requer mão-de-obra paciente e atenção.
    As plantas não crescem apenas para satisfazer ambições ou para cumprir as boas intenções.
    As plantas prosperam porque alguém gastou esforço nelas.
    Um jardim é um grande professor. Ensina paciência e atenção cuidadosa; ensina conceitos; acima de tudo ensina toda a confiança.
    Eu pessoalmente gosto de fazer jardinagem – é um momento , um lugar onde me encontro quando preciso me perder. Parece estranho, pois tenho certeza de que isso pensam muitas pessoas, acredito que não haverá melhor forma de envolvimento pessoal na protecção do meio ambiente do que a da jardinagem. Uma pessoa que está a ” tratar ” de um jardim, estará a melhorar um pedaço do mundo.
    A melhor arte do futuro será conseguir a criação de uma vida confortável de um pequeno pedaço de terra.
    A jardinagem simplesmente não permite que alguém seja mentalmente velho, porque muitas esperanças e sonhos ainda não foram realizados.

    Responder
  2. Sandra Lourenço

    Boa noite Manuel Luís Goucha
    Que belas fotos e que bom que é existir o seu blogue. Sou sua fã há muitos anos, e sempre que estou em casa vejo o seu programa e ouvi-o muitas vezes falar no seu blogue mas nunca me tinha dado para ir ver. Até que nas viagens de comboio a caminho do trabalho de manhã, vou a ler notícias do sapo e apareceu um artigo do seu blogue e foi assim que tive o primeiro contacto. É a segunda vez que faço um comentário. Está a dar o jogo da seleção está a TV ligada mas pensei, deixa-me cá ir ver o blogue do “Tio Goucha”, peço desculpa mas é assim que me refiro a si ou quando falo do seu programa. Estou a adorar ler tudo o que vai escrevendo. Mostra o seu outro lado mais caseiro, é muito boa esta partilha que faz connosco. Tenho pena de já não ter o restaurante aqui em São Pedro de Sintra. Fui lá 3 vezes e sempre foi uma simpatia, a vir às mesas perguntar se estava tudo bom. Apreciei muito esse gesto. É bom sentir que uma figura pública e que nós achamos ser uma pessoa intocável e que nunca olhará para nós, chegar perto das 14h vindo do programa da manhã e ainda dar uma palavra aos seus clientes. Sempre gostei de si e ainda fiquei a gostar mais. Gosto da vossa dupla da manhã mas como em tudo na vida há preferências e para mim o “tio Goucha” é a peça fundamental do programa. Um grande beijinho da Sandra Lourenço

    Responder
  3. sara paiva

    sr Manuel luis goucha: adoro o. a si e á cristina. gostava muito de assistir a um programa seu (mas em que estivessem os dois). o meu filho de 5 anos pode ir?

    Responder
  4. Carla

    Manuel
    Boas fotos!

    A Recuperação da Alma

    Quando a uma árvore são cortados os ramos da copa, vão-lhe nascendo mais perto da raiz novos rebentos. Do mesmo modo, também as almas que ao despontar adoecem e quase fenecem regressam frequentemente à primavera dos sentimentos, à apreensiva infância onde tudo começa, como se aí pudessem encontrar novas esperanças e reatar o fio condutor da vida que antes fora quebrado. Os rebentos que brotaram perto das raízes anseiam por uma rápida ascensão, mas tudo não passa de uma ilusão, pois nunca a partir deles se voltará a desenvolver uma verdadeira árvore.

    Hermann Hesse

    Abraço
    Carla

    Responder
  5. Maria Diniz

    Deixou-me com saudades, de quando a m/avó me pedia para ir apanhar “uns gravetos”, como ela chamava aos galhos secos, para depois acender a lareira, que era baixinha e nós sentava-mo-nos lá dentro nuns pequeninos bancos, que saudades!!!!!!

    Responder
  6. Margarida Saraiva

    Obrigada pela partilha de simples gestos ,que são os que trazem maior felicidade !
    Gostaria de saber como seca as hortênsias, já tentei ,mas ficam sem graça ,se puder partilhar agradeço .
    Bom fim-de-semana semana
    M.S.

    Responder
    1. MLG

      Olá Margarida
      Sinceramente não tenho técnica alguma para secar as hortênsias. Coloco-as numa jarra com um pouco de água e deixo que sequem a partir do momento em que beberam toda a água.
      Um beijo

      Responder
  7. Ana pereira

    Boa tarde sr goucha gostava de saber como o sr faz para as suas Hortênsia se conserve assim secas .aproveitar a ocasião para lhe dizer adoro seu blogue é o sr tb um abraço de paris mas sem baguette debaixo do braço

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *