Os doces “Casa de Mateus”

Os doces “Casa de Mateus”, por terem a bem dizer tantos anos quanto eu, remetem-me para o sabor da infância e para a memória dos gestos que se repetiam na afinação do ponto de açúcar, no preparo da fruta, sempre de qualidade e em perfeito estado de madurez e no desvelo com que se acompanhava a compota a ganhar corpo.

Era o colo da avó, eternamente vestida de negro para honrar a viuvez e histórias que o povo passa na sua sábia oralidade, enquanto me lambuzava com um papo-seco aberto ao meio esbarrigando-se de doce.

Doce vermelho de morango, doce de ouro alperce, os meus preferidos a partir do momento em que os frascos “Casa de Mateus” passaram a entrar lá em casa. Há marcas que acompanham a nossa vida!

Hoje passados que são sessenta anos continuo a querê-los à mesa do pequeno-almoço em dias de estar com vagar. Tenho muito por onde variar, que só sabores, sempre autênticos porque de boa fruta, sem corantes nem conservantes, são uma vintena, preferindo há muito as doses individuais, imaginando-me no mais elegante dos hotéis, digamos que sem culpa pelo pecado da gula, que assim sempre controlo a minha lambarice. Gosto de o espalhar, numa caricia, sobre uma torrada ou com ele rechear um (como se ficasse por aí!) scone à hora do chá e não estranhe se lhe disser que os uso por vezes em agradáveis mancebias em receitas de entradas, que bem sabe o de morango, o mais clássico e apreciado, sobre queijo de cabra aquecido numa salada de verdes, ou de maior sustança, como o de framboesa a acompanhar um magret de pato…

Há marcas que merecem a minha fidelidade. A “Casa de Mateus” é uma delas. Em nome da tradição, que vale a pena manter, e da qualidade.

Veja algumas sugestões e receitas aqui.

3 comentários a “Os doces “Casa de Mateus”

  1. Patrícia Ferreira

    São mesmo muito boas , tio Goucha ,e quando lançaram uma edição a qui a uns anitos atrás de sumos ,bem nem é bom lembrar.

    Responder
  2. Paulinha Velez

    MLG
    Recordação doce e feliz… Morango com pedacinhos e as grainhas.. Tchiii um dia comi um inteirinho com bananas…
    Nem conto mais nada…
    Beijo doce

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *