O menino de sua mãe

IMG_4430

“Mãe é sempre mãe!” ouvi esta manhã a uma senhora do público.
Não! Permitam-me discordar, nem todas as mães o são, porque não quiseram ou porque não souberam ser. Essas mulheres são sim progenitoras e nada mais. Ser Mãe é coisa imensa, é ser muro e barro, para neles se nascer inteiro, é ter nos olhos o sol, o mar, o fogo, para neles nos construirmos, um pouco de cada vez. Outras, porém, haverá a quem a Vida não permitiu que fossem e tantas as razões que poderíamos evocar.

Terá sido isso que aconteceu a Maria do Castro? Santomense em Angola, nos idos de setenta, usada pelo homem branco, longe de casa e dos afectos, pariu Lupricínio, para logo lho tirarem e colocarem numa creche. À guerra colonial outra se seguiu ainda mais cruel, porque fratricida, e Lupricinio andou em bolandas, pensando que a mãe havia morrido, da creche para a Casa do Gaiato em Malange e desta para uma outra em Paço de Sousa, onde ficou até aos vinte e sete anos. Foi aquela a sua família: educadores e filhos de outros infortúnios. Não conheceu casa quente e certa mas fez-se homem digno. O mesmo que esta manhã se nos apresentou à espera do milagre. A mãe que julgou morta toda uma vida, quarenta e um anos depois, era ali a momentos de o abraçar em pranto solto. Não há um queixume, um laivo de revolta… há um homem inteiro pronto a nascer. Naquele abraço e sobretudo naquele colo que o recebe pela primeira vez.

Tanto havia para perguntar àquela mãe negra (alva de alma?) mas ficámo-nos pelo silêncio… embalando o menino de sua mãe.

IMG_4415 IMG_4417 IMG_4429

Se não teve oportunidade de assistir, pode ver aqui

52 comentários a “O menino de sua mãe

  1. Licinia Bernardo

    Foi um programa fenomenal,só o você na TV, o poderia conseguir vocês ,são o máximo, já me imocionei nalguns programas vossos,mas este tocou-me no fundo do coração, obrigado ,por estes maravilhosos momentos ,com a vossa scompanhia diária, sou muito mais feliz, dão-me alegrias diáriamente, pela vossa maravilhosa boa disposição, parabéns, Manuel +Cristina, por serem tão bons em tudo o que fazem,bjs

    Responder
  2. joao costa

    Caros Amigos
    Manuel Luís e Cristina Ferreira

    Sou um homem só. Dos que choram e riem com as tristezas e alegrias dos outros.
    Ainda não parei de chorar. Também sinto a falta da minha mãe mas, neste momento, diante de um final tão feliz, precisei que vos dizer o quão orgulhoso me sinto em te-los todos os dias em minha casa, em minha companhia.
    Acredito que há anjos na terra.
    Acredito que toda a equipa da TVI, liderada pelo Manuel Luís, não fazem milagres, apenas cumprem missões divinas como anjos na terra e nos ensinam a sermos melhores seres humanos.
    Obrigado pela Vossa seriedade
    Obrigado pela Vossa companhia
    Sinto-me feliz quando penso em Vós

    Responder
  3. patricia

    Normalmente penso que tenho um coração de pedra….mas não pude deixar de me emocionar ao ver este reencontro….parecia uma Madalena arrependida…..bravo bravo bravo para si Manuel e toda a sua equipa…que vai a procura,.esgravata. EsgravatA…sem nunca desistir…..o Manuel não precisa de nenhuma condecoração do presidente da república…. A maior medalha já a tem, o reconhecimento, a entrega e o carinho do público…. Se muitos aprendessem consigo,secalhar a nossa tv estaria muito melhor servida……palmas para si….

    Responder
  4. cristina

    Aquelas que sabem SER mae ( ou pai ) sao seres maravilhosos … Ha historias de vidas, que separam as pessoas, e ha as pessoas que, optam por nao saberem ou quererem SER pai ou mae …

    Responder
  5. Natalia Carvalho

    Caro Gouxa,

    Não lhe roubo muito do seu tempo, apenas para lhe dizer que o aprecio como homem e ser humano. Desde o principio da sua aparição na TV, creio que com um programa de culinária para crianças, que fiquei com a sensação de que naquele homem, existia um coração cheio de amor e de alegria para dar.
    Somos do mesmo signo e, isso, faz que muita gente nos julgue, porque nem sempre conseguimos mostrar o que nos vai na alma, apesar de, por fora, levarmos alegria, boa disposição e ajuda a quem está à nossa volta.
    Prezamos muito a nossa intimidade e adoramos estar no conforto do nosso lar, que se torna no nosso lugar seguro, castelo de muros altos, onde nada, nem ninguém a ele tem acesso, tal como ao nosso intimo.
    Quero desejar-lhe muita saúde, felicidade em muitos e muitos anos de vida.
    Natália

    Responder
  6. Paula Abreu

    MLG,
    penso nunca ter visto nada tão belo na TV. Este momento de amor foi belíssimo!
    Já vimos programas de re-encontros na TV que nunca me emocionaram, est sim, for real!
    vocês neste programa conseguiram ter o direto mais bonito de sempre! Parabéns!

    Responder
    1. Teresa Fernandes

      Meu querido Gocha, eu adoro ver tudo onde voce entra ou faz parte, com muita pena nao vi em direto este encontro mas sim ja consegui ver assim que xeguei a casa, estou sem palavras! !muito emocionante! Mae é mae e so temos uma na vida, eu tb vivo longe da minha, resido em Londres ja ha 25 anos mas felizmente consigo ver a minha todos os anos 2 vezes, desejo lhe muitas felicidades e continue sempre assim e sempre como foi e é, frontal honesto e sempre bem humurado, bjinhos daki de central London, Clapham Common! !Teresa Fernandes

      Responder
  7. Maria Santos

    Olá Manuel,

    Sem duvida uma história que me emocionou bastante. Muitas vezes os filhos são obrigados a afastar-se dos pais por diversos motivos e por isso não conseguimos ser a mãe e o pai presente e sempre atento.
    Ser mãe é uma dádiva, poder gerar uma vida dentro de nós e dar à luz um ser que é o mais importante. Ser mãe é amar incondicionalmente, ajudar a levantar quando caímos, que nos dá colo, que nos limpa as lágrimas quando precisamos de chorar, que nos ensina o caminho e nos ajuda a seguir em frente por muitos obstáculos que enfrentemos ao longo da vida. Por outro lado temos as aquelas mulheres que infelizmente são apenas progenitoras.

    Espero que este homem e esta mãe possam conviver agora de novo juntos lado a lado e compensar todo o tempo perdido. Porque sem dúvida foi o renascer de uma nova vida, uma vida merecedora para este filho e esta mãe que por circunstância da vida nunca o puderam ser. Desejo do fundo do meu coração que sejam muito felizes.

    Manuel Luís peço que o programa nunca deixe de passar estas histórias que terminam com um final feliz e que nos tocam o coração.
    Cada vez o admiro mais como pessoa e como profissional. É sem dúvida o senhor da televisão portuguesa.

    Desejo as maiores felicidades para o Manuel para a Cristina e para o programa que continue com o sucesso que tem até hoje.

    Beijinhos,
    Maria Santos

    Responder
  8. Fátima Lopes

    Grandes comunicadores Manuel Luís e Cristina Ferreira ; tanto se Ouviu e se Sentiu no Silêncio !! Obrigado. Um reencontro inesquecível, prova de que o Amor sempre Vence !!

    Responder
  9. Maria Machado

    Não tenho palavras para descrever o bem que fazem a tanta gente. Sempre que posso vejo o vosso programa, apesar de muitas das vezes ficar em lágrimas ora de riso ora de choro, mas mesmo as de choro é de felicidade, pelo bem que proporcionam a tantas pessoas. A minha admiração por si têm vindo a crescer ao longo dos tempos. Simplesmente tenho de dizer, que o adoro como ser humano que é. Obrigada

    Responder
  10. graça almeida

    sem duvida á muitos por ai que sofreram igual pois o que o Manuel diz é de sabio admiro-o muito obrigada por estar todas as manhas na nossa casa pois sou fiel ao seu programa,

    Responder
  11. maria de lourdes clement

    Maravilhoso encontro ! E vocês maravilhosos . OBRIGADA. Á Cristina e ao Manuel Luis ,nunca tive ídolos, ou muito poucos, mas vocês todos os dias me cativam, muito. Bem Hajam !

    Responder
  12. Augusta Rocha

    É muito difícil imaginar o que sentiu este homem ao ter pela primeira vez o colo de sua mãe. Foi um momento tão emocionante e tão doce que encheu de alegria o coração de qualquer mãe e de qualquer filho. É por isso que o vosso programa é único e imperdível.
    Continuem a presentear-nos com momentos destes.
    Adoro-vos.

    Responder
  13. MLG

    Muito obrigado a todos quantos se sentiram tocados pela história do Lupricinio e aqui deixaram os seus comentários. A mãe Maria do Castro vai ficar dois meses em Portugal junto do filho. Calculo que gostassem de saber.

    Responder
  14. Angela Reis

    Foi muito emotivo as lágrimas não deixaram de cair pelo meu rosto cheguei ao meu trabalho mostrei a minha colega e parecíamos duas madalenas arrependidas, espero que nunca mais se separem um beijo grande e parabéns a quem consegui juntar estes dois seres …

    Responder
  15. Rosa Periquito

    Boa tarde,
    Eu vivo na Alemanha e é com muito gosto que digo acompanhar o programa diariamente.
    Tenho penas 20 anos, mas uma bagagem enorme de experiências de vida.
    Fiquei bastante emocionada e feliz por este momento tão especial.
    Concordo quando se diz que mãe é quem cria. Sou adoptada e sou muito feliz por ter uns pais que me acolheram a mim e à minha irmã, eles sim, foram pais de verdade. E pela educação que eles me deram e por ter tanto orgulho neles, que já não penso sequer em conhecer quem me pariu.
    Por circunstâncias da vida, tive que emigrar à procura de um futuro melhor e infelizmente deixei – os desamparados em Portugal, quando eu me sinto na obrigação de os proteger e cuidar deles como eles fizeram comigo.
    Agradeço por vocês proporcionarem encontros como este entre mãe e filho.
    Obrigada e muitas felicidades para si Manuel e para a Cristina. Um senho e uuma senhora que admiro. Beijo

    Responder
  16. Maria Manuela de Jesus Carrola

    Chorei muito ao ver este renascer…Que a vida jamais os separe e lhes sorria sempre…

    Quanto a si Manel, permita q o trate assim, que a vida lhe traga tudo o q deseja!!!

    Um forte abraço cheio de carinho.

    Responder
  17. Ana Monteiro

    , Bom dia. Escrevo-lhe com saudades de saber de si. Apesar de o ver todos os dias no meu ecrã, quer no “Masterchef”, quer no “Você na TV”, sentia simplesmente falta de lhe escrever. De esperar uma resposta sua, de me dizer um “Olá!”. Como já no passado lhe escrevi, e fui uma das sortudas que conseguiu obter a sua atenção, espero que desta vez seja igual! Entitulei-o de “Meu amigo Goucha” e quero que saiba que todos os dias a nossa amizade vai aumentando… Antes era desempregada, agora tenho um pequeno negócio, um café, e claro está e será escusado dizer que a televisão está sempre sintonizada na sua companhia! O Senhor é o melhor profissional que conheço e como quero ver todos os meus clientes satisfeitos nada melhor do que lhes mostrar o que de melhor se faz na Televisão Nacional! E o senhor há-de perguntar, porque tanta admiração? Eu digo, A minha admiração por si deve-se ao facto do senhor ser das pessoas mais profissionais que conheço. Mas não objetivo e sim, subjectivo. é ai que está a diferença que vejo em si! Aguardo alguma resposta sua, se possível, querido amigo!

    Responder
  18. Berta Veiga

    Ainda tentei conter as lágrimas mas não consegui.Só tenho pena que não tenham falado com eles depois como costumam fazer com todos os convidados.Foram para o intervalo e depois já os convidados se tinham ido….

    Responder
  19. katia melo

    Olá Manuel Luís
    Vivo no Luxemburgo e sempre que posso vejo o vosso programa, até agora estou tão emocionada foi um momento tão puro e penso que ficará nas nossas memórias esta união . Não imagino a minha vida sem a minha mãe e agradeço a Deus por ser tão magnifica .
    Parabéns pelo vosso excelente trabalho.

    Responder
  20. Ana

    Eu diria que assistimos quase a um “renascimento”, o carinho, o amor, a forma como mãe e filho se tocam é tão presente, é tão forte, tão natural, tão “necessário”… tão verdadeiro… é tudo o que se sente quando somos mães (a sério, sim porque desculpem-me mas concordo com o Manel) e vemos um filho pela primeira vez. Foi com certeza o reencontro que mais mexeu comigo até hoje.

    Responder
  21. Paula Mota

    Manuel Luís,
    Tenho a dizer que foi um momento de emoção, onde se pode ver um menino homem que muito precisava daquela abraço, daquele colo, onde chorei como há muito não chorava. Aqui se pode ver a falta que uma Mãe pode fazer na vida de alguém! Aquele deitar no colo disse muito…foi o colo que nunca teve, o colo que há muito sonhava. Muito bom de ver. É nestes momentos que agradeço por ter meus Pais perto de mim, com letra grande, sim, porque concordo com o Manuel, mãe é aquela que pare, que ama, que ajuda a levantar quando caímos, que serve de colo quando queremos chorar, que nos limpa as lágrimas e nos ensina o caminho a seguir…é a nossa melhor amiga.
    Neste momento estou gravida, carrego dentro de mim um filho, que dia para dia ganha forma, tamanho, e como é possível dizer que já o amo tanto? Talvez porque desejei muito este bebé, por ser neste momento um pedaço de mim, nao vejo a hora de o ver, de o abracar e beijar, quero ser para ele o que a minha mãe sempre foi para mim…espero saber como fazê-lo!
    Manuel, quero agradecer por ser a pessoa fabulosa que é, por ser a minha companhia todas as manhãs, por ser um Senhor, um Homem com H dos grandes…por adorar os animais como eu adoro.
    Um beijinho muito grande.
    Paula

    Responder
  22. Maria João Caldeira

    Bom dia Manuel Luis,
    Vi ontem este reencontro que me emocionou bastante. Eu tive a feliz sorte de receber colo até aos 26 anos quando a minha mãe partiu para outra dimensão. Diz muito bem, ser mãe é muito mais que parir.
    Ser mãe é, entre tantas outras coisas, dar colo (tão importante) como esta mãe deu ao seu filho ao fim de mais de 40 anos.
    Que Eles não se percam de novo…
    Parabéns pelo seu trabalho, da Cristina e de toda a equipa.

    Um abraço

    Maria João

    Responder
  23. Ana Maria correia

    Só uma verdadeira Mãe, pode ter sentido a emoção que senti, as lágrimas saltaram dos meus olhos, cheios de emoção ao ver a dor e também a grande alegria de ter encontrado o seu menino, sim porque para nós mães os nossos filhos não crescem da forma que crescem para os outros, eles são sempre os nossos meninos…jamais esquecerei como aquele filho se recolheu no colo da sua mãe, quase parecia uma rosca ele parecia que queria voltar ao ventre de sua mãe …..para voltar a nascer e nunca ter passado pela dor que passou…..obrigada por se terem esforçado para que este encontro se realizasse..bem hajam

    Responder
  24. Filomena

    Assisti com alma e coração e não me contive…
    Obrigada Cristina e Manuel Luís por terem proporcionado este reencontro físico e de emoções tão, tão importantes entre MÃE e FILHO!
    MANUEL LUÍS! Muito muito obrigada pela sua sensibilidade, não só expressa em palavras como em grandiosos gestos!!! Mais uma vez e na sequência das imagens do directo, lágrimas copiosas me rolaram pelo rosto! PARABÉNS POR SER QUEM É!

    Responder
  25. Lara Rodrigues

    Bom dia meu querido Sr. Manuel Luís Goucha
    Tive o privilégio de ver este momento ,e chorei bastante ninguém e capaz de ficar indiferente a estas historias, parabéns por o maravilhoso trabalho que fazem diariamente, não perco um programa vosso ,e o Sr. .Manuel tem razão mãe não e só dar a luz nem toda a mãe e capaz de o ser Mãe com o M grande.

    Responder
  26. Verónica

    Emocionante! O que aconteceu a este senhor podia ter acontecido ao meu sogro. Nasceu em Angola, também na altura da guerra, filho de um português da zona de Oliveira de Azeméis. Quando era bebé a avó do meu marido teve de fugir com o meu sogro para não o perder… pelo menos é esta a história com que o meu sogro cresceu, que nunca o fez ter vontade de conhecer ou saber quem é o pai…
    Infelizmente existem muitas histórias semelhantes, e muitas delas não terão este fim feliz!
    Os meus parabéns à TVI!!!

    Responder
  27. serafina goncalves de andrade

    Foi muito emocionante chorei muito chegou-me a alma ,voces sao dois seres humanos increiveis .parabens por seren assim.

    Responder
  28. Isabel Rêgo

    Ai manuel Luis, desta vêz fêz-me chorar que nem 1 madalena, mas gostei de vêr este reencontro, não à palavras para descrever o amor deste FILHO e desta MÃE, que a vida separou demasiado tempo, que DEUS lhe dê ainda muito tempo para terem o clo e os abraços de todo este tempo que não tiveram. OBRIGADA MANUEL e CRISTINA por terem ajudado esta FAMILIA, continuem sempre assim, gosto muito de vocês, mas muito mais do MANUEL desde que estou fora de PORTUGAL, é especial, bjs aos 2 <3 <3

    Responder
  29. Rita Coelho

    Chorei muito, imaginei-me nessa situação e não sei bem como me senti. Fiquei tão contente por ver este abraço está mae amava o filho e este filho “grande ” so precisa de colo que so mãe sabe dar

    Responder
  30. Noemia Rocha

    Adoro o manuel luis goucha tem muita graça como tambem se comove e tem bom coração daqui a bocado vou ver agora todas as noites vou ver o programa da manhã adoro aqueles dois mas estou a ver que hoje é para chorar beij

    Responder
  31. sandra

    Tive o pervilegio de ver o reencontre e chorei imenso ,mas penso que minguem ficou indeferente …Parabéns tvi pelo trabalho . Beijo para o Gouxa Cristina

    Responder
    1. Vera Silva

      Só agora vi o reencontro , foi forte demais , muito emocionante chorei mto pois pensei: quem me dera terem-me dito que a minha mãe tinha falecido e só fim de 25 anos ela aparece-se a dizer k não passava de uma mentira e eu pudesse fazer o que este grande sr fez com sua mãe , abraçá-la , beija-la e deitar no colo dela ) mas não comigo isso não passa de um sonho pois a minha querida mãe faleci mesmo eu vi eu estava junto dela quando aconteceu , tinha eu apenas 16 anos !!! Foi o reencontro mais emocionante que já vi em qualquer programa de TV , obrigada Cristina e Goucha por fazerem estas pessoas tão felizes e realizarem os seus sonhos obrigada a TVI . Que este não seja o único encontro desta mãe e filho k sejam mto felizes a partir deste dia que vai ficar marcado paraco resto da vida desta família , desejo toda a felicidade do mundo e mta luz a está família linda …. Não tenho mais o que dizer não me saiem mais palavras da minha cabeça k
      Possa expressar bkjs a tds

      Responder
    2. maria teresa

      Realmente foi unico este reencontro, vocés são também unícos. Nao ha palavrs para descrever este sentimento esta emoção que se sente ao ver estas imagens e a vossa reação perante este quadro lindo da mãe e seu filho roubado a nascença .Vida cruél muita gente tem, mas obrigada por poderem dar nos esta emoção quando fazem estes reencontros e ajudam a fazer feliz algumas pessoas . Bem hajam pelo vosso empenho tanto a Cristina como Goucha são estupendos e excelentes profissionais e claro resto equipa que vos apoia e ajuda no programa muitas felicidades

      Responder
  32. sergio adriano vargas machinho

    sim senhor foi forte demais para quem tem corãçao.que momentos como este se voltem a realisar ha muita gente sem conhecer a sua verdadeira familia.que haja uma oportunidade para todos os filhos de deus.muito obrigado Manue lLuis Gocha y Cristina Ferreira.PARABENS TVI

    Responder
  33. Carla Pinto

    Olá Sr Manuel Luís Goucha:
    Antes de mais deixe-me dar os parabéns por ter realizado o sonho do Luprícinio, que eu tenho o prazer de conhecer e do qual eu já conhecia a história…..
    tenho também que concordar consigo no que se refere a ser mãe, pois para mim mãe não é quem pare é quem cria…..e apesar do Lupricínio querer conhecer a sua mãe biológica, ele agora é um felizardo pois tem duas mães… esta que acaba de conhecer e a irmã que o criou enquanto era criança.
    Para terminar, deixe-me uma pequena correçao a casa do gaiato onde o Lupricínio foi criado em Portugal não fica em Paços de Sousa, mas sim em Paço de Sousa…. não leve a mal esta minha correção…..que por sinal até é bastante comum…. mas é o nome da minha terra e todos gostamos de ver o nome da nossa terra bem escrito.
    muitos beijinhos desta fã de Paço de Sousa

    Responder
  34. Raquel Guerreiro

    Foi lindo ,emocionante,chorei….cada vez vos admiro mais a si e a Cristina podiam ter aproveitado o momento para fazer programa mas, nao a vossa atitude tambem me emocionou afastados deixaram a emocao os sentimentas floir e depois veio a publicidade para aquele momento ser mais intimo sem as camaras e nao mais falaram nele ,veio-me a memoria a tal andorinha que o Goucha salvou e que nao se veio embora sem a deixar entregue, e desta fibra que se fazem os homens bons e esto nao e pensado vem de dentro tenho uma admiracao por si do tamanho do mundo e realmente um HOMEM ILUMINADO

    Responder
  35. ana Carvalho

    Sr. Manuel Luís Gouxa a vida é mesmo madrasta nós muitas vezes ( quase sempre ) passamos os dias com lamentações ou por isto ou por aquilo porque nunca estamos contentes com o que temos embora nós temos que ter objectivos e lutar pela vida não temos mais temos menos interessa é ter saúde uma familia, . Nunca olhámos para o lado porque por veze os nossos problemas são uma gota de água no oceano ONDE HÁ PESSOAS ASSIM COMO O SR LUPRICINIO sem nada nem ninguem EU NÃO POSSO VER ESTAS COISA S CHORO QUE NEM UMA DESALMADA beijinhos

    Responder
  36. Maria Santos

    Não vi durante a manhã, mas ao ver no meu face fiquei curiosa e acabei por ir ver. Não consegui conter as lágrimas e logo me veio ao pensamento, quantas mães negras choram os seus filhos … Emociono-me o abraço, o choro, as palavras que mal entendi mas que eram ditas do seu coração… Espero que não mais lhe roubem o filho. E sim concordo consigo, há mãe e há parideira, uma grande diferença….

    Responder
  37. Alda Maria

    Chorei muito, acompanhando a emoção do Lupricinio e sobretudo pelo encontro tão desejado por filho e mãe.
    Chorei e ao mesmo tempo fiquei contente por vocês terem proporcionado este Feliz Momento! Bem hajam!

    Responder
  38. sonia

    É por isso que sou cada vez mais tua admiradora sr goucha e concordo plenamente consigo és sincero e direto em tudo por isso não perco o teu programa por nada só para te ver e ouvir beijinhos

    Responder
  39. Vânia Camacho

    Vi o (re)encontro entre esta mãe e este filho e faço minhas as palavras do Manel quando diz que: “nem todas as mães o são, porque não quiseram ou porque não souberam ser.”
    Eu costumo dizer que: “mãe é quem cria, quem dá amor, quem passa noites em claro só para se assegurar do nosso bem-estar e não quem tem uma criança e a abandona à nascença”.
    Um beijinho ao Manel…

    Responder
  40. Ana Margarida Pinto

    Manuel Luís,
    Tenho 23 anos e tudo devo à minha mãe. Apesar das discussões diárias próprias de quem tem a mania que é independente e não precisa de ninguém, sei reconhecer o quanto aquela mulher se dedicou à minha educação e à dos meus irmãos garantindo que não tínhamos uma vida tão dura quanto a dela. Não imagino a minha vida sem ela, sem o seu amor, principalmente.
    O momento de hoje de manhã, deixou a mim e à minha irmã igualmente sem palavras e com as lágrimas nos olhos. A esperança daquele senhor de 41 anos que voltou aos tempos de criança e abraçou-se à sua mãe de tal forma que não conseguiu deixar ninguém indiferente. Aquela senhora abraçada ao seu filho e a agradecer a Deus por este milagre. Não há palavras. E eu agradeço-vos por este momento. Assisto ao vosso programa sempre que posso, pois, é um pedacinho de vida real transmitida televisamente e quando digo vida real não falo só destes momentos emotivos, mas também dos vossos ataques de riso que são contagiantes e me põe a rir sozinha em casa.
    Obrigada pela vossa autenticidade. Obrigada.

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *