O fim de um processo de sete anos

Emitido que é a desoras para quem se deita às 21.30 nunca havia visto o “Cinco para a meia noite” até àquela noite de insónia de 28 de Dezembro de 2009. Encontrei-o no preciso momento em que Filomena Cautela fazia, ao jeito de piadola, um quiz com João Manzarra, o convidado da emissão. A ideia era saber quem havia sido considerada, no entender da produção e/ou autoria do programa, a ”apresentadora do ano” e davam-se três ou quatro hipóteses de nomes de mulheres estando o meu incluído no mesmo lote. A resposta, certa no entender da produção e/ou autoria do programa, seria o meu nome. É sabido como reagi à graçola: contactei no dia seguinte a produção do “Cinco para a meia noite” manifestando o meu desagrado pela grosseria e a minha intenção de processar apresentadora, produtor e estação emissora, já que entendi o acontecido como ofensa à minha dignidade. Entendo que a
minha orientação sexual não legitima qualquer insinuação de mudança de género, mesmo que apenas para efeitos de humor.

Também é sabido que o Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa não me deu razão e decidiu pela não pronúncia dos arguidos Filomena Cautela, Carlos Moura e RTP2, ao abrigo da liberdade de expressão, decisão essa confirmada, posteriormente pelo Tribunal da Relação da mesma cidade. Colocavam-se, então algumas pertinentes questões: há limites para o humor? Será que a piada é, por principio, ostensivamente ofensiva? Como proteger a liberdade dos fazedores de humor e ao mesmo tempo proteger o respeito dos ofendidos? Acato o argumento da liberdade de expressão, bem maior da Democracia, porém não posso calar a minha indignação ao perceber através do despacho de quem ajuizou (uma mulher, por sinal) que eu não tinha razão em sentir-me ofendido porque “todos reconhecem ao apresentador características que reflectem atitudes atribuídas ao sexo feminino, tal como a sua forma de se expressar… para além de que o apresentador usa roupas coloridas próprias do universo feminino e apresenta um tipo de programas também
eles ligados às mulheres”.

A graçola do “Cinco para a meia noite” deixa de ter importância perante tais considerandos de uma juíza inquinados, em meu entender, pela ignominia do preconceito. Portanto, pelo facto de me vestir de amarelo, laranja, rosa (seja do que for)… e de trabalhar diariamente com e para uma plateia maioritariamente feminina, já justifica que eu seja chamado de apresentadora e tudo o mais que que se queira ao arrepio do meu género.

Foram estas considerações que me levaram a recorrer ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, interpondo uma acção contra o Estado Português, ao abrigo do artigo 14, da Convenção Europeia dos Direitos do Homem, contra a discriminação. A acção foi aceite pelo Tribunal Europeu para avaliação e apreciação, quando milhares de outras são rejeitadas (primeira vitória) e, por cá, levou à escrita de alguns artigos de opinião de pessoas que respeito, como por exemplo Fernanda Câncio ou Marinho Pinto (segunda vitória). Valeu a pena não calar a revolta, procurando contudo não perder a racionalidade na resposta ao que considerei ser injusto.

Esta semana o processo chegou ao fim, entendendo o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem que apesar das frases infelizes proferidas em sentença não há provas efectivas que a decisão da juíza tenha sido motivada pelo preconceito. E que a sátira (isto em relação ao caso do programa que está na origem de toda esta demanda), que tem sempre o objectivo de provocar e agitar, é marcada pelo exagero.

Nada mais há a dizer. Todo este processo acaba aqui. A minha vida segue, sem ódios ou cóleras, balizada por valores que, entendo, devo continuar a cumprir, no respeito por mim próprio, pelo outro e pela sua diferença. Claro que houve logo quem perorasse nas redes sociais contra o facto de eu ter ido tão longe e exercido o meu direito à indignação, quando também eu “gozo com tudo e todos”. É uma descarada inverdade essa de usar o meu trabalho diário, de que aliás me orgulho, para achincalhar quem quer que seja. Não o faço, pura e simplesmente, por saber que o verdadeiro inimigo pode estar dentro de mim, procuro antes esgrimir convicções ou inquietações, sempre com a necessária polidez.

Redigo que gosto do homem em que me tornei, sabendo que há ainda muito caminho para fazer. E, é claro, que vou continuar a vestir-me e a vestir a Vida com as cores de que gosto.

111 comentários a “O fim de um processo de sete anos

  1. Ana Paula Pereira

    Boa tarde Manuel!
    Hoje lembrei-me de visitar o seu Blog (que adoro!). Depois de ler o seu texto sobre o processo “Cinco para a meia noite” deu-me uma vontade louca de lhe dar um valente beijinho! Sabe o que dizem os antigos? – os cães ladram e a caravana passa… A inveja e ignorância pautam a vida de muita gente e fá-las ter atitudes e opiniões camufladas de muita coisa.
    Manuel Luís, não mude nunca, não ligue ao que dizem. Continue a ser quem é. Seja feliz!
    Adoro a sua forma descontraída de ser. É um homem super elegante, bonito, inteligente, educado, um SENHOR!
    Ok, às vezes tem as suas coisas… mas quem as não tem? 🙂
    Um grande beijinho.
    (Obrigada por partilhar connosco as suas receitas, são ótimas e já fiz algumas, um sucesso!)

    Responder
  2. Paula Tendeiro

    Sr.Manuel, Boa tarde. Passei aqui para lhe enviar um beijinho bem grande, e dizer-lhe o quanto o admiro. Nao sou pessoa de admirar muita gente, mas o Manuel e muito importante na minha vida! Digo isto por varias razoes, primeiro porque nasci e vivi ate so meus 19 anos numa aldeia alentejana onde todos se conhecem e criticam gratuitamente. Sempre fui uma pessoa independente, de ideias fixas, e isso numa aldeia nao e bem visto… Sai da aldeia aos 19 anos, criticada por todos mas em busca da felicidade. Tenho o Manuel desde muito tempo como fonte de inspiracao, e hoje vivo em Rotterdam e sou muito feliz. Passei por muito ate chegar aqui, cheguei mesmo a passar fome. Hoje estou licenciada, feliz no amor e mais que tudo feliz comigo mesma. Tudo isto na minha vida se passou com o Manuel presente na minha vida sem o Manuel o saber… Sempre que cai, levantei a cabeca lembrando-me do Manuel! Sei que receber muitas mensagens e provavelmente nem recebera a minha, mas se receber, obrigado Manuel por toda a energia positiva que passou para a minha vida! Espero que seja muito feliz, tanto na vida profissional como pessoal! Muitos beijinhos, Paula Tendeiro

    Responder
  3. Tânia Marques

    Gosto tanto do Manel! É tão bonita a forma como vive a vida, e como nas entrelinhas das suas palavras passa tantas mensagens.
    Infelizmente Portugal parece ter parado no tempo…Vi a sua entrevista na Maria Capaz e pensei: ”Caramba! É tão isto que sinto em relação a diversos temas”. Sobretudo no que toca à forma da expressão das marchas LGBT. Não é fácil viver com o preconceito de se amar uma pessoa do mesmo sexo, mas fica mais fácil quando se vive ao lado de quem se ama.
    A Filomena também tem a sua caminhada pela frente, e só não abre a porta porque provavelmente tem medo de eventuais piadas… Nunca devemos cuspir para o ar! O que mais me revolta é a falta de justiça nos tribunais portugueses. Talvez seja esse um dos maiores motivos que me fazem não querer voltar, ainda tendo consciência dos nossos excelentes recursos.
    Não posso deixar de referir que prefiro o Manel como apresentador individual. A idade traz mesmo uma maturidade inagualável, e gostei muito da forma como recebeu a Bernardina sem remorsos por ela ainda ser tão menina. Não que eu faça uma grande diferença da idade dela, mas quem fala desse episódio, tantos outros que às vezes vou seguindo pela Internet e me deixam feliz por saber que a televisão está tão bem entregue. Só me desagrada o facto da Cristina querer ser a estrela mais brilhante do Você na TV, quando foi o Manel que lhe ensinou tanto e a fez crescer como profissional. Gostava tanto dela, mas acho que como o Manel já referiu, o deslumbramento e às vezes levantar os pés um bocadinho do chão pode ser prejudicial.
    De qualquer forma continua a ser um ícone e uma referência.
    O maior sucesso e que outras vitórias se avizinhem.
    Uma vida cheia de cor, porque é apenas isso que levamos!

    Um enorme beijinho,
    Tânia

    Responder
  4. amelia maria teixeira

    querido Manuel, desde já o meu muito obrigada por me fazer companhia todas as manhãs.
    Em relaçao a este processo,a minha humilde e pobre opinao,é a de que para a frente é que é o caminho, e que a sociedade tem mais é que respeitar a vida de cada ser humano que a compoe!

    Responder
  5. Maria Emilia Cunha Lopes

    Só agora li os comentários do fim do processo de 7anos, creio k nada mais há acrescentar. O Manuel Luis Goucha é um Sr e sempre continuará a ser seja dek maneira for.Continue sempre assim e isso basta. Um grnd abração e Bjio

    Responder
  6. Joao

    Eu também considero as declarações da juíza graves. No entanto, admito que fiquei surpreendido por ter se sentido ofendido por ter sido chamado de apresentadora. É uma piada sem graça, mas não considero assim tão ofensivo. Ter características femininas não deve ofender um homem e vice-versa. Eu não sei explicar melhor que isto, mas fiquei quase desiludido por achar que ser chamado de mulher está ao nível de uma ofensa grave e que transcende os limites do humor.

    Em todo o caso, quanto ao parecer da juiza, compreendi totalmente a sua indignação.

    Responder
  7. manuela melo

    Tomei há poucos dias conhecimento da situação, quer da “brincadeira” quer da atuação dos tribunais. Fiquei espantada. Não sou conhecida do público, levo uma vida simples e gosto de andar de preto. Se fosse vista na televisão chamar-me-iam de freira! Lamento profundamente aquilo que vejo na nossa justiça. A referida abandalhou-se por completo e creio que infelizmente não há retorno.
    Acho que de facto o melhor caminho é ignorar. Talvez por estes dias venham a provar do veneno.
    Não gosto do programa em questão, nem dos apresentadores, nem do formato mas gostava da atriz. Digo gostava porque me dececionou, é mais outra cara que vou pôr de lado. Quem trabalha assim, não me merece respeito.

    Responder
    1. MLG

      Obrigado Manuela
      Grave mesmo é o preconceito de um julgamento. A piada do programa não tem importância alguma.
      Um beijo e obrigado pelas suas palavras

      Responder
  8. Carlos Silva

    O tempo, encarregou-se de “apagar” o tal programa, por ser de menor qualidade.
    Já você, continua a ser a pessoa estimável que todos os dias partilha as nossas casas, com educação, elegância e simpatia.
    Receba um forte abraço de uma pessoa que o estima no anonimato

    Responder
  9. O Fabuloso Destino De Maria Amélia

    Olá Manuel,
    Sabe o que eu penso?
    Eu cresci consigo na televisão. Todos os dias entrava pela minha casa.
    Hoje, continua a ser assim…
    Admiro-o muito, gosto de pessoas carismáticas, verdadeiras, profissionais e que quando querem, não se levam a sério. Gosto sobretudo de pessoas felizes e resolvidas.
    Gosto de si, e acho que é um dos Grandes que Portugal tem.
    Não há mais ninguém como o Manuel na nossa televisão.
    É um Homem que merece ser respeitado, mais que não seja, porque é isso que faz todos os dias.
    Nunca o vi ou nunca soube, que tenha faltado ao respeito a alguém.
    Quanto à “piadola” não sei o que diga… mas à atitude da juíza, dá-me pena. Dá-me pena que (os senhores que mandam em) Portugal permita(m) que alguém que ocupa um cargo tão importante como o do julgamento, tenha comportamentos preconceituosos e alma tão pequena…
    De facto, ainda há muito caminho pela frente…
    E eu também redigo, que admiro muito o Homem que é e espero que continue a colorir a sua e a nossa vida!
    Um beijinho

    MA
    http://www.ofabulosodestinodemariaamelia.pt/

    Responder
    1. MLG

      Nem sei o que diga perante tão generosas palavras. Não me levo a sério a ponto de me achar Grande. Sei que tento dar o meu melhor a cada dia. Com muito ainda para melhorar. Um beijo grande

      Responder
  10. Francisco Gomes

    Parabéns pela BOA EDUCAÇÃO!

    Não partilho consigo nenhuma forma de ver o mundo mas fiquei impressionado com a forma como descreve o que lhe aconteceu. Se fizessem graçolas com o meu nome, com o meu modo de vida também não gostava. Como sou professor e estou farto de aguentar mal criados e falsos moralistas, fiquei surpreendido forma positiva, de como respondeu e as palavras que usou fazem-me gostar de partilhar a minha sociedade consigo.
    Não sei se a produção e os autores “do cinco para a meia noite”, que fazem parte da minha geração, serão capazes de dar o valor às suas palavras. A tolerância perante os outros está bem demonstrada na sua resposta. Mais uma vez parabéns.

    Cumprimentos
    Francisco Gomes

    Responder
  11. Paulinha Velez

    MLG,,
    quando as suas cores deixarem de fazer parte dos nossos dia,,,tudo será muito mais triste..
    ás vezes ponho me a pensar que um dia vai deixar de ser diário,,depois será semanal…enfim temos de viver o presente para se ser feliz no futuro!

    gosto muito de si e obrigado pelo seu arco íris diário que entra nas nossas casas <3

    abraço!

    Responder
  12. magda

    Ola Manuel,
    Opiniões existem e existirão sempre muitas e diversas, existirá sempre, também, a nossa opção de defesa e atitude!
    Admiro-o nao só por esta atitude mas sim por tudo o que, simplesmente e naturalmente, é.

    Um abraço

    Responder
  13. Fernanda da Silva Albino

    “A liberdade de cada um termina onde começa a liberdade do outro.”
    Citação do filósofo inglês Herbert Spencer.
    Manuel Luis, continue a ser e a agir como até então! Admiro-o muito! Um grande abraço.

    Responder
    1. MLG

      Obrigado Maria pelo comentário.
      Compreendo a ironia mas eles são dois profissionais que merecem o meu respeito.
      A acção que interpus teve e a ver com as declarações da juiza. Perante elas a pretensa graça do programa deixou de ter importância.

      Responder
  14. José Manuel Pires

    Olá Manuel Goucha
    Quero deixar-lhe aqui um abraço pela sua alegria contagiante, coerência e profissionalismo exemplar! Juíza? Qual Juíza? Onde? Humoristas? Ah, Ah, Ah, Ah! Raul Solnado, Nicolau Breyner ou Herman José, foram ou são amados pelo povo, porque nunca ultrapassaram os limites da sua liberdade.
    O Manuel é também amado pelo povo, precisamente por isso.

    Responder
  15. Luisa Rodrigues

    Caro Manuel Luís Goucha,
    A sociedade é um “bicho” estranho….que se desenvolve sob á égide da ambição, da competitividade…, corrompendo tantas vezes os valores e princípios que nossos país, avós…nos ensinam enquanto pequenos. O que me revolta no seu caso, vai para além da piada fácil que promove audiências á conta do desrespeito pelo próximo (inaceitável em qualquer sociedade civilizada). O que me revolta á sério, é o facto de se constatar que quem tem o dever e a obrigação de fazer cumprir normas que regulam e promovem o “funcionamento” adequado dessa mesma sociedade, envereda por concepções deturpadas, num enviesamento que só pode ser resultado de preconceitos pessoais. Não sou da área do direito, nem tão pouco concebo aceitável colocar a “foice em seara alheia”, mas caramba! Juízes que decidem sobre “Direitos dos homens”, não podem somente ter inquestionáveis avaliações académicas. Deveriam igualmente ser sujeitos a avaliações de personalidade, carater e psicológicas, para que se apure, com exatidão, a isenção, a idoneidade e a pureza enquanto pessoas, para só depois possam pegar nas suas grandes notas e irem para um tribunal (Europeu) julgar, com comprovada justiça, os direitos que cada homem deve ou não ter.
    Á parte de eu gostar muito de si, eu considero, de facto, que o MLG está cheio de razão. E a Filomena Cautela desiludiu-me bastante, pensei que tivesse inteligência e talento suficientes para não ter que recorrer ao humor rasca e medíocre que nada abona a favor da dignidade que os humoristas pretendem para a sua profissão…..
    E, em relação á Sra. Dra. Juíza, que diz que a “atitude” foi aceitável porque o programa tem o objetivo de “provocar e agitar”…. expresso a minha muito preocupada opinião, considerando que, deixar desta forma, a “porta escancarada” irá fomentar novas atitudes desenfreadas…O “vale tudo” é antagónico das regras e das normas que impõem á sociedade uma conduta adequada. Dizer mais o quê?
    Um beijinho enorme

    Responder
    1. MLG

      Olá Luisa
      Obrigado pelo seu comentário.
      Realmente a acção no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos teve a ver com as declarações da juíza.
      Um beijo

      Responder
  16. Carla

    Manuel
    Existe bom humor, aquele que nos rir sem ofender alguém, sem a malicia de querer fazer achincalhar o outro . Existe o mau humor , o que vive às custas de ridicularizar, do preconceito, do tudo que é mau. A meu ver humor sem humor, graçolas sem piada, graçolas de gente que não tem humor, vazios de inteligência. O Manuel está num nível superior, nem sequer devia perder o seu precioso tempo com pessoas que estão a léguas de si. Quanto à juíza outra que ficou presa ao passado, juízas há muitas mas juizos acertivos poucos, juízos absoletos, ainda pairam muitos por esses tribunais. Gosto de si, com todas as cores do mundo, gosto de si, porque não teve pudor em assumir o que muitos tem medo de o fazer, vivem duplas vidas, gosto de si porque me faz rir, fala em liberdade , gosto de si porque sim. O Duque de Bragança já foi muitas vezes ridicularizado por humoristas sem humor, o melhor nestas situações é seguir o provérbio abaixo.
    “Os cães ladram e a caravana passa”.
    Continue igual a si mesmo; é o que muitos gostavam de ser.

    Abraço
    Carla

    Responder
    1. MLG

      Olá Carla
      Obrigado pelo seu comentário. Não perdi tempo, antes pelo contrário. Não concebo, no século XXI, que uma juíza me avalie pela cor dos meus casacos, dizendo que são cores do universo feminino e que me ponho a jeito do achincalho pelo facto de trabalhar para e com mulheres. Valeu a pena não calar a indignação.
      Por mim e por outros que, sem os meios meios, possam ser descriminados.
      Um beijo

      Responder
      1. Carla

        Manuel
        O meu pai sempre usou cores coloridas, rosa, laranjas entre outras, se fosse vivo hoje tinha 69 anos, partiu há 4, hoje ainda temos algumas dessas roupas, ficava-lhe tão bem. Gostava de o ver assim, sei que era critacado por alguns por as usar, mas o seu gosto prevaleceu sempre.
        Quem pode fazer juízos de valores com as cores da roupa?
        Isso dá-me vontade de rir ou chorar de tão triste afirmação. Mais ainda por alguém que julga a vida dos outros, julgar por as cores, enfim sem palavras!!

        “Os preconceitos são a razão dos imbecis.”
        Voltaire

        Abraço
        Carla

        Responder
  17. Marisa

    Ola Manuel,

    Acho bem que çite pelos seus direitos e se sinta indignado com a piada fwita como aaui ja foi dito pior que a piada so mesmo a juiza ter-lhe dito o que disse sobre tal assunto isso sim demostra preconceito!! Vi tambem que ao perceber o erro que cometeu fez a Filomena falar novamente do assunto e pedir desculpa pelo sucedido!! Na satira e comedia pode ser utilizado muito discurso o facil e de bom entendimento para o mais ignorante dos seres ou aquele que a nem todos atinge e dificulta assim o interesse facil nos assuntos muitas vezes em televisao e para que se tenha a chamada audiencia muitos recorrem ao mais facil!! As piadolas sobre orientaçao de cada um, sobre a cor de cabelo ou ate mesmo da maneira de falar ou ser por sermos de diferentes zonas do pais!! Nem todos podem gostar ou ter a capacidade de pedir mais a televisao que nos dao as estaçoes!!! Esta em si o poder de nao dar visibilidade ou importancia a quem ve em si um alvo facil ou ate mesmo um pouco de inveja por ter o sucesso que a muitos demora a chegar!!
    Sou uma de muitos que admira a sua maneira genuina de apresentar e de estar na vida!! Seja sempre superior….
    Um beijo

    Responder
    1. MLG

      Obrigado Marisa pelo seu comentário, mas, como já referi noutras respostas, a acção teve a ver com as declarações da juiza, não com a piada do programa- Um beijo

      Responder
  18. Luisa Fernão Pires

    Manuel, penso não ofender, mas acho que há muito que prova que é um Senhor, sabe o seu lugar e é e será sempre superior há maledicência de gente pequenina que, se calhar nem sabe a diferença entre um garfo de peixe e um de carne. Beijinho grande.

    Responder
  19. cristina silvac

    MANUEL LUIS, adoro ver o seu trabalho, adoro a sua maneira de ser e estar na vida, e ‘e pena, falarem de coisas que so dizem respeito a si proprio- Continue a fazer o que faz, e muito bem““

    Responder
  20. Maria Luisa pereira

    S.MANUEL GOUCHA
    SÒ TENHO A DIZER, CONTINUE COMO SEMPRE, O QUE OS OUTROS PENSAM NÃO CONTA PARA SUA FELECIDADE. …
    A DOR DE MUITA GENTE É NÃO TER A SUA FELECIDADE. …
    GOSTO MUITO DE O VER QUASE TODOS OS DIAS,PARA MIM É UM PREVILEGIO, APESAR DE ESTAR EM RECUPERAÇÃO EM CASA …
    BEM HAJA MUITOS COMO VOCÉ UM GRANDE BEIJO M.LUISA

    Responder
  21. Célia Couto

    Considero o Manuel Luís Goucha um excelente Homem, Apresentador e Profissional da televisão portuguesa. Acredite que sai dignificado desta querela em que os perdedores foram – por ordem- uma impreparada equipa de pseudohumoristas, que confunde humor com canalhice; uma juíza muito fraquinha como profissional e ser humano; uma justiça europeia negligente e covarde.
    Continue como é, Manuel Luís Goucha, o senhor faz muita falta a Portugal!

    Responder
  22. marta

    Enquanto houver esse preconceito estúpido vai sempre haver vitimas. Forca o Manuel Luís e muito mais homem que muitos que se dizem machos. As atitudes machistas só mostram a falta de inteligência , cultura e educação. Beijinhos gosto muito de si pelo ser humano e profissional que é.

    Responder
  23. Fernanda Calçada

    Já li comentários sobre este assunto em publicações de alguns pasquins que me enojaram… Vai haver sempre gente que se julga o “juiz” sobre tudo e sobre todos e que só eles é que são puros… O MLG é um SENHOR acima de isso tudo. Quanto a dita “apresentadora” (pelo pouco que vejo). vai ter que comer muita palha para chegar aos pés de um apresentador com o MLG. Continue a ser como sempre foi, vista as suas cores que lhe assentam bem, acho que se mudasse ia perder a graça toda… FELICIDADES é o que eu lhe desejo.
    Abraço
    F.Calçada

    Responder
    1. MLG

      Fernanda
      Obrigado pelo seu comentário mas a acção que intentei no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem não teve a ver com o programa e apresentadora mas sim com as declarações da juíza. Um beijo

      Responder
  24. corderem

    Boa tarde sr. Manuel

    Com o devido respeito, não consigo entender o seu preconceito pelo fato de ser gay, assim como a discriminação existente dos homossexuais perante os heterossexuais.
    Aliás, julgo que este pensamento é transversal na comunidade gay.

    Contudo desejo-lhe as maiores felicidades.
    um abraço

    Responder
    1. MLG

      Mas será Corderem que leu o meu texto.? Preconceituoso não serei certamente, agora não posso é aceitar as declarações, que entendendo serem preconceituosas, de um juíza. Elas, e apenas elas, me levaram a apresentar queixa no TEDH.
      Um abraço e também eu lhe desejo as maiores felicidades.

      Responder
  25. Felisbina Castro

    Só vi uma vez esse programa e não gostei pois não tem graça nem qualidade. Já lá diz o ditado, vozes de burros não chegam ao céu. É tudo inveja e cobardia. Continue a ser a pessoa que é, pois é o seu trabalho a sua sinceridade a sua dignidade que mostra em tudo o que faz e diz que me prende ao ecrã todos os dias e me faz feliz. Um abraço de uma fã de (56)65 anos.

    Responder
  26. Gertrudes da Luz Ferra

    Boa tarde Manuel Luís. Parabéns pela pessoa que é. Infelizmente preconceito vai sempre haver. Não podemos é ficarmos calados. A minha pessoa vai sempre defender a “diferença”. Sejam felizes . A vossa vida ,só a vocês dizem respeito. As mentes humanas continuam ainda muito negras. O. meu respeito para todos e todas. Um grande abraço . Gertrudes

    Responder
    1. Ana

      Boa noite sr goucha.. deixe-me lhe dizer que o admiro a si e ao seu trabalho à muitos anos . Desde que o vi na rtp2 com a sra teresa guilherme ao seu lado e os dois em pè . Sempre o considerei uma pessoa muito à frente do seu tempo tal como o variações ou a propria teresa guilherme e sempre achei que com o vosso trabalho excelente e tao abrangente quwle se çonseguise mudar estas nossas mentalidades tao pequenas…mas infelizmente ainda nao se conseguiu tal milagre…è mais aceitavel as noticias em hora nobre sobre morte e guerra e atentados e menos aceitavel um filme de sexo (nem imagina as coisas que eu ouvi aquando o voce na tv coloccou o filme mas so se ouvia o audio e nada de imagens) .. a juiza ate pode ser formada em livros mas o mais importante que è a formação moral…essa passou longe aquando o nascimento dela…mts parabens e ainda bem que existe pessoas como o sr…da voz a quem nao a tem..bj a si e aos seus e a cristina tb

      Responder
      1. MLG

        Não tenha pena João, sou muito feliz como sou. E não calo quando me sinto ofendido, ainda por cima por uma juíza ou será que não percebeu o meu texto?
        Um abraço

        Responder
  27. polyana

    Parabéns….. Adoro você, sua coerência, a beleza da escrita, suas convicções ,e seu jeito de estar na vida. Um exemplo a ser seguido…. Mais uma vez parabéns!!!

    Responder
    1. MLG

      Olá Rafael
      Foi a opinião da juíza que me levou a pôr a acção no Tribunal Europeu. Claro que perante a decisão da juiza a graçola do programa não tem importância alguma. Abraço

      Responder
  28. Maria Fernanda Melo

    Bom dia Goucha deixe-me que o trate assim,seja qual for a sua orientação sexual o Goucha para mim é um homem com H grande e pode continuar a vestir-se das cores que mais gosta porque lhe fica muito bem..
    Raiva é uma palavra muito feia,a vacina da raiva que dão aos animais deveria ser usada para os outros animais que se julgam gente…
    Beijinhos e bom fim de semana

    Fernanda Melo

    Responder
  29. Margarida Bernardo

    Manuel Luis Goucha a sua orientação sexual so a si lhe diz respeito. É um excelente profissional e um senhor…. Parabéns. Um beijinho

    Responder
  30. Diogo Mota

    Queriam muitos ser como você! Todo o profissionalismo entregue ao público, todo o conhecimento que demonstra nos variados assuntos não é para qualquer um ou uma.
    É um dos grandes nomes de Portugal na sua área. É um senhor!

    Responder
  31. Artur Machado

    Manuel Luís,
    Nunca é demais lutarmos, pelos nossos direitos…
    O humor televisivo é preciso e é apreciado… A sátira, por vezes (muitas vezes), torna-se um exagero… Há-que respeitar as pessoas…
    A Filomena Cautela deu (e dá) rosto ao programa, em que dá voz ao guião do programa, que não deve ser da sua autoria…
    Acho impressionante, a ERC não intervir nestes assuntos…
    Contudo, de facto, é ofensivo, o processo prosseguir, em tribunal, que posteriormente seja considerado, o que foi considerado, pela juíza otária que é, ao concluir o que concluiu…
    Manuel Luís, tudo vale a pena, quando lutamos, pelos nossos direitos… Se temos obrigações, também temos direitos…
    O Senhor é um excelente comunicador e a maior referência, no panorama televisivo português…
    Parabéns, Manel, por toda esta força.
    Um grande abraço,
    Artur.

    Responder
  32. Angelina de Fátima

    Fosse muita gente igual ou, parecida com o Manuel Luís. Quase sempre isso, é dor de cotovelo.
    Continue a ser o Senhor que sempre foi.
    Beijinho para si.

    Responder
  33. Celine Martins

    Boa noite, querido Goucha!
    Eu concordo e subscrevo todas as suas palavras. Compreendo que se tenha sentido ofendido na sua integridade e achei que foi, de facto, uma piada de muito mau gosto. No seu lugar, eu teria agido da mesma forma.
    No entanto, habitualmente diz-se que “o que vem de baixo não nos atinge”, e é nisso que tem de se focar. Mas, afinal, quem é a Filomena Cautela?! Uma aprendiz de atriz que se considera apresentadora de programas?!
    Um grande beijinho.
    Celine ❤️

    Responder
    1. MLG

      Obrigado Celine
      O despacho da juíza é bem mais ofensivo que a graçola do programa. E foi esse despacho que me levou ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. Um beijo para si.

      Responder
  34. joão mota

    Cada um leva a vida e faz da vida o que quer e o que pode, cada um tem a sua orientação sexual, quem gosta, gosta, quem não gosta não tem o direito de criticar.

    grande abraço e parabéns por ser quem é.

    Jmot@

    Responder
  35. Patricia Freitas

    Nao sei o que mais me indigna… se a “piadola” fácil, rasteira e pouco inteligente, se a indiferença da justiça portuguesa, ou se a dificuldade do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem em definir os limites da liberdade de expressao.
    Em todo o caso a vitória é sua, nao por ser o melhor apresentadoR deste país, mas sim por nao prescindir de defender os seus valores ate ao fim.
    Para mim o Manuel Luís é um verdadeiro exemplo de igualdade e de liberdade!

    Responder
  36. Ana Rodrigues

    Só quero dizer o quanto o admiro, pois enquanto o Manuel não tem vergonha de si mesmo tanto por dentro como por fora, existe muita gente que tem…daí tanta crítica e tanto ” gozo”. Acho que a falta de amor próprio e de satisfação da vida própria faz com que as pessoas só saiba criticar.
    Aceito as pessoas como elas são para que assim possa ser aceite como sou… É assim q penso. 🙂
    Peço lhe um favor continue a sorrir e a fazer sorrir. Beijos e seja feliz

    Responder
  37. Isabel Sousa

    É a primeira vez que comento num blogue. Sinto que não poderia deixar de o fazer…o meu comentário será porventura só mais um, mas não posso deixar de expressar a minha “não tolerância” com atitudes e despachos como a da sra. juíza. Roupas coloridas como fazedoras de um sexo feminino ou masculino? Absurdo !!
    Interrogo-me também , e essa interrogação já não é de agora, se a liberdade de uns pode atropelar a liberdade de outros…
    Parabéns a quem é suficientemente bem resolvido para levar a defesa do seu bom nome ás ultimas instâncias.

    Responder
  38. Sílvia Alves

    Senhor Goucha, estes fulanos tem grande dor de cotovelo, pois o senhor foi, é e sempre será a grande Homem. Nao importa a sua orientação sexual, tem de haver respeito pelos outros. Se os próprios programas de televisão, nao demonstram respeito algum pelo próximo, como é que podemos pedir que a sociedade o faca? É de cima que deve vir o exemplo. Tenho filhos, e a orientação sexual deles pode ser diferente da minha, como mãe quero respeito, para com os meus filhos tal como eu faço com os filhos dos outros. Beijinhos grandes.

    Responder
  39. carmen dolores lavinas

    Pura inveja! Não é a sociedade, que diz como temos, que viver e sermos felizes! Somos Homens ditos responsáveis, vivemos sim com normas, mas simplesmente não vamos por aí e sim por onde queremos! Sou uma grande admiradora sua e vejo em si um grande homem e ser humano; lutou pelos seus direitos, que era isso , que toda a gente deveria fazer! Sou muito parecida consigo, nas ideologias correctas neste mundo mundano! Com admiração um abraço cheio de fraternidade!

    Responder
  40. Cristina Coelho

    Ao apresentador Manuel Luís Goucha reconheço o mérito e o profissionalismo que o caracteriza! Ao Homem Manuel Luís Goucha faço uma vénia. Parafraseando Ricardo Reis:”Para ser grande, sê inteiro: nada Teu exagera ou exclui./Sê todo em cada coisa. Põe quanto és No mínimo que fazes.”. E realmente este senhor, Manuel Luís Goucha, é Grande!

    Responder
  41. Maria Dulce Pinho

    Apenas alguém bem formado responderia desta forma, não me espantando o facto, afinal foi assim que me habituei a vê-lo e a lê-lo.
    Parabéns ao Senhor Manuel Luis Goucha, um Homem no verdadeiro sentido de ser.
    Cumprimentos de uma fã.

    Responder
  42. vanessa

    Parabéns pela coragem, pela capacidade de se dar ao respeito.
    Ainda que não tenha ganho deu-se ao respeito, a liberdade seja ela qual for termina onde começa a liberdade dos outros…. No meu ver a democracia tambem

    Responder
  43. Sofia Matos

    Obrigada por colorir a mentalidade, a sociedade e a vida de todos aqueles que se cruzam consigo, directamente ou nao! Tal como a “luz” de algumas pessoas encandeiam a mediucridade de outras, as suas cores contrastam com a escuridao de outros também!

    Um beijinho cheeeiiiooo de arco-iris!

    Sofia Magalhaes

    Responder
  44. Erelvina antunes

    gente invejosa que so sabe falar mal dos outros cada um e o que e e ninguem tem nada com isso se nao houvesse tanto preconceito o mundo seria bem melhor continuo a ser como e porque os caes ladram e a caravana passa e como nos que gostamos de animais prefiro os mesmos a certas gente que por ai anda a viver a custa de da ma lingua bjs

    Responder
  45. Sónia

    Manuel fez muito ir com todo este processo para a frente já que se sentiu ofendido. Faria o mesmo, mas o que é certo é que a Filimena é uma apresentadorazeca que diz gracolas a uma minoria de pessoas que vê um programa que dá num canal que está longe de ser líder de audiências e que não passara disso mesmo enquanto fizer piadolas sem nexo. Já o Manuel está num patamar muito superior e o céu é o limite, eu pessoalmente adoro-o e para mim (e não estou sozinha neste pensamento) é a grande personagem da TV portuguesa e espero vê-lo a apresentar muitos e longos anos. Felicidades e beijocas do Torrão do Alentejo.

    Responder
    1. Mlg

      Foram as considerações da juíza que me levaram a remeter para superiores instâncias. A graçola do “Cinco para a meia noite” não tem importância alguma comparativamente. Um beijo Sónia.

      Responder
    2. Ricardo Vilas Bôas

      Mas um canal tem que ser líder de audiência para ser melhor do que outro?! Deixe-me que lhe diga, os conteúdos da TVI são do pior que há (minha opinião), e comparar com os da RTP2…
      Quando ao Sr. Manuel, um homem inteligente, merecia fazer outro tipo de trabalho, pois ao lado daquela pseudo apresentadora, só desgasta a imagem.
      Cumprimentos.

      Responder
      1. MLG

        Ricardo
        Obrigado pelo seu comentário mas vejo que não percebeu o que escrevi. Não comparei conteúdos televisivos, apenas agi em função de um graça que entendi como ofensiva. Mas o que me levou a por uma acção no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem foi o despacho de uma juíza que em meu entender é marcado pelo preconceito. Voltaria a fazer o mesmo.
        Quanto ao meu trabalho, permita-me que discorde de si. Não é para todos fazer os chamados programas de “day time”. Neles tudo cabe, desde a conversa, realmente, para deitar fora até ao assunto mais interessante. Por isso orgulho de o fazer para além de outros projectos que igualmente me realizam profissionalmente.
        Desejo-lhe o melhor da Vida. Um abraço

        Responder
    3. Daniel

      Só para dizer a senhora que o senhor Manel também começou na dita casa pois rtp1 e rtp2 e todo do mesmo patrão… E para a senhora esse programa pode ser de gentalha mas é visto por MTS e MTS jovens… E não só. Respeito cada pessoa é o trabalho de cada um por isso tal como se respeita o trabalho do sr Manel também se tem k respeitar o trabalho da Filomena. E as pessoas aprendem com os erros. Tem k haver gostos para tudo e todos. Por isso o meu respeito pelo 5 para a meia noite e sim eu também gosto e vejo o dito programa k para mim tem apresentadores 5 estrelas

      Responder
      1. MLG

        Daniel
        Obrigado pelo seu comentário. N\ao sei se percebeu através do meu texto que a acção de interpus no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem tem a ver com o despacho da juíza e não com o programa Cinco para a meia noite. O despacho é bem mais ofensivo que a graça da Filomena.
        Um abraço

        Responder
      1. amparo pacheco

        a isso chama-se dor de cotovelo. é triste que no seculo 21 ainda haja tanto preconceito,e ainda mais de uma juiza que devia ser mais culta. olhecontinue como é que todos gotamos muuuuuuuuito de si-é o nosso amigo das manhas. bjs

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *