“Nasci para ser gaivota!”

Há quem não lhes ache graça alguma sobretudo nas zonas ribeiras de alguns centros urbanos onde hoje em dia também nidificam, e lá terá as suas razões como essa de não conseguir descansar com o seu grasnar, já eu é das aves de que mais gosto, talvez por via de Luís Sepulveda e da sua “História de uma gaivota e do gato (Zorba) que a ensinou a voar”, um livro que li com emoção, e não propriamente pelo filme sensação de setenta “Fernão Capelo Gaivota”, a partir da obra de Richard Bach, que na altura até me fez chorar “baba e ranho” mas a esta distância não deixo de o considerar com uma espécie de fórmula pirosa de auto-ajuda, se bem que me agrade sempre quem vingue rompendo com o estabelecido, ao fim e ao cabo uma das mensagens da película.

A saída para o mar de Cascais na passada sexta-feira deu-me a oportunidade de as fotografar em pleno voo ou mesmo muito próximas de mim e este foi o resultado! E não é que são fotogénicas! Veja lá se gosta!

13 comentários a ““Nasci para ser gaivota!”

  1. Adélia Gil

    ADORO AS FOTOS ESTÃO O MÁXIMO….. ATÉ PORQUE GOSTAVA DE SER GAIVOTA ,,PARA EM AGUAS LIVRES VOAR. VOAR PARA BEM LONGE,,MESMO AO SOL A CHUVA AO FRIO….PARA DEPOIS ME AQUECER NO CANTINHO DO MEU NINHO, AO CALOR DE MINHA MÃE…GAIVOTA QUE VOAS LIVRE…VOA FOGE DESTE MUNDO TÃO INGRATO,,VOA SÊ LIVRE….MAS! NÃO TE ESQUEÇAS DE MIM,,LEVA-ME CONTIGO; GAIVOTA LIVRE DO MAR, SÊ LIVRE….

    Responder
  2. Joao Moreira

    nao se trata de “nao gostar de gaivotas”
    simplesmente aborrece, que quando acabamos de lavar o carro, e temos de o lavar novamente quando estes bichinhos andam por perto. excluindo essa parte… todos temos direito a vida, e de certeza que a gaivota nao se trata de um caso a excepcao. ha humanos com muito menos inteligencia e no entanto ca andam.
    (gostei de encontrar esta pagina, aborda temas interessantes)

    Responder
  3. Helena Loureiro

    Olá.

    Não há aldeia piscatória que se prese, em que não se oiçam as gaivotas. Fico a observar o seu bailado, vão e veem, umas todas brancas outras sarapintadas, fazem parte da paisagem dessas aldeias.
    Hoje em dia há vozes que se levantam contra as gaivotas, os pombos, as andorinhas, fico revoltada. Porque sujam, porque estragam, enfim. Quando nós como seres humanos estragamos muito mais o nosso planeta diariamente
    Deixem que os animais façam parte do nosso quotidiano.
    Um abraço.
    Helena

    Responder
  4. Paulinha Velez

    MLG
    Fotos fantásticas.. Eu também gosto de gaivotas têm aquele ar aventureiro ,cuscas e atrevidas…
    Ahhh ja sei qual a banda sonora que estas fotos vão ter.. Uma gaivota voava,voava…certo MLG??,não resiste!
    😉

    Responder
  5. Marina Carvalho

    Eu amos gaivotas, não sei porquê mas amo, se numa outra vida eu tivesse quw ser um animal, sem du ida seria uma GAIVOTA❤
    Um beijinho Goucha
    E eu a pensar qye era a unica

    Responder
  6. Antónia Marques

    Linda, linda reportagem ! A gaivota é a minha ave preferida, sinónimo de Liberdade . Porquê ? Não sei, dou por mim muitas vezes a olhá-las e a pensar que gostaria de ser uma delas … além dos animais domésticos, cão e gato, adoro os golfinhos por serem como são e os cavalos pela sua elegância,beleza e o modo com estancam perante a Vida ! Bem haja Manel pela sua sensibilidade. Bjns

    Responder
  7. simone

    Adorei as fotos e o texto querido Manuel, infelizmente muitos chamam-nas ratazanas do ar. São apenas seres vivos como nós, de minha casa vejo-as a voar, são tao bonitas. Seria interessante o Manuel Luis juntar-se ao Pan, para mostrar o quão importante é um gaivotal contraceptivo(a palavra não existe, mas poderia ser um bom nome) . 😀 Gosto muito do seu trabalho, e do seu amor pelos animais
    Um grande bjinho

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *