Mercado da Solidariedade

Gosto de pessoas empreendedoras, daí o meu respeito pelo Gonçalo Castel-Branco, tantos os projectos postos em prática, inovadores e criativos. Se há meses lhe gabei o facto de ter dado vida nova ao antigo comboio presidencial, pondo-o sobre carris, do Porto à Régua, para uma viagem gastronómica inesquecível, agora é altura de enaltecer a ideia que teve, com a sua irmã Inês e a sua companheira Íris, ao desafiar trinta figuras conhecidas a doar roupa para uma venda cujas receitas reverteriam a favor da instituição de solidariedade que cada um escolhesse. Disse-o na altura que pronto me pus à procura de fatos, sobretudos e outros agasalhos, cachecóis, gravatas e sapatos, num total de cerca de oitenta peças, novas, a estrear algumas delas, ou usadas quando muito duas, três vezes. E logo me prontifiquei a estar duas horas no antigo Mercado da Ribeira (hoje Mercado Time Out) junto ao “charriot” da minha roupa, para acompanhar quem estivesse interessado em adquirir as peças, todas elas a preços acessíveis, entre os 5 e os 75 euros. Curiosamente a primeira peça a ser vendida no mercado, mal ele abriu, foi uma das minhas: uma canadiana Carolina Herrera, azul com forro vermelho. Soube naquela manhã por mensagem publicada no mural do Facebook, pela própria, que foi comprada por uma senhora para o seu marido que até tinha uma parecida mas já a pedir reforma dado o muito uso. Gostei de ver um senhor de Castro Daire, simpático com a sua família, agarrado a uns cinco casacos de gala, daqueles que uso nos programas da noite, que é quando fazem mais sentido as sedas, os brocados e os brilhos. Imagino-o vestido “à Goucha” em tão longes paragens! E tocou-me o jovem que sonhando um dia vir a ser apresentador, como eu, escolheu um casaco branco italiano (que usei uma única vez na entrega de troféus “TV7Dias”) para usar no dia da sua estreia (torço por isso!). Estórias que aquecem, num domingo que não se mostrou de feição, o que terá levado muitas pessoas a ficarem em casa. Que este primeiro “Hang in there” tenha sido a semente, a primeira de futuras edições.

hang-in-there-1

hang-in-there-2
hang-in-there-3

hang-in-there-4

hang_in_there1

hang_in_there2

hang_in_there3

hang_in_there4

9 comentários a “Mercado da Solidariedade

  1. Antonio figueiras

    Sr Goucha .comeco este descurso na esperanca que o leia .quero antes de mais dizer que sou muito admirador de toda a sua Carreira .e tambem dessa grande senhora que da pelo nome de Cristina. Que vindo do nada se torna em tornado da televisao portuguesa .como gostaria de conhecer pessoalmente os dois .
    Tenho um filho que adorava ser apresentador mas nao sabe quais os passos que deveria dar para tal.
    Na esperanca de conseguir essa caminhada para ele
    Que envio esta mensagem.
    Abraco do coracao beijinho grande para a Cristina
    Antonio figueiras em frança. Saudade de meu portugal

    Responder
  2. Carla

    Manuel
    Espero que tenham todos vendido muito, as associações precisam e agradecem.
    Estou a pensar em fazer um lanche na minha casa, com o intuito de as minhas amigas trazerem o que quizerem para oferecer à associação de animais abandonados da Moita. Já o fiz num dos meus aniversários prescindi das prendas , todos trouxeram patês/ração . Foi Engraçado ver os convidados chegar com os donativos, ajudar é fácil basta querer .

    Abraço
    Carla

    Responder
  3. Ricardo Pinto

    Caro Manuel Luís Goucha, há temas no programa muito interessantes e que gostaria de convidar no mural da sua página pessoal, porém continuo sem poder comentar as suas publicações.
    Creio que nunca fiz qualquer publicação abusiva no mesmo. Sou editor de um blogue com mais de 70 cronistas e que o convido, desde já, a visitar: https://www.facebook.com/birdmagazineoficial/
    Esta é a terceira vez que tento averiguar a questão, por este meio.
    O meu mural no facebook, para verificar o que se passa: https://www.facebook.com/rricardomtp
    Aguardo uma decisão da sua parte.
    Cumprimentos,
    RP

    Responder
  4. Tatiana Mateus

    Boa noite querido Manuel,

    De facto é uma iniciativa fantástica, e claro o senhor é sempre muito solidário. Acho que quanto as peças eram unicas, o preço acho que tava otimo porque é para ajudar e as pessoas com preços mais acessiveis compram mais, e ficam com vontade de “voltar”. Adoro esta iniciativa. Mais uma vez a todos os participantes e em especial a si que eu sou fã incondicional fica um aplauso por apoiarem e de alguma forma darem a cara. Sem duvida alguma eu tenho um enorme orgulho , admiração por si , e respeito um profundo! Quando for “grande” quero ser como o tio Goucha 😉 :) um beijinho ✌

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *