Borregada!

Têm nascido de primeira barriga e logo aos pares, por isso a “maternidade” está cheia e ainda há ovelhas por parir. Ao todo já teremos uns quarenta borregos e contamos ainda com mais uma vintena. Entre grades estão assim protegidos de ataques inesperados de saca-rabos e outros indesejáveis, enquanto não medram e ganham defesas. Depois a Azeitona está ali também para os vigiar, que essa é a função de uma rafeira alentejana que se preze. Vê-los sugando as tetas da mãe ou tentando roubar leite noutras alheias, que há sempre um ou outro mais vivaz, é divertido e terno, por isso ali me fico sem noção do tempo olhando e fotografando como que para perpetuar estes momentos únicos para quem, como eu, sempre foi da cidade.

Veja este vídeo que partilhei no meu instagram:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Na lida!

Uma publicação compartilhada por Manuel Luis Goucha (@mlgoucha) em

13 comentários a “Borregada!

  1. Marco Braga

    Lindo os seus borregos e as fotos ke você tira no seu Monte são um espectáculo com esses animais tudos parabéns continue assim a pornos essas lindas fotos no seu Monte

    Responder
  2. Mariana

    Olá, sei que é um senhor de cultura e de sabedoria,
    Junto envio uma sugestão para um artigo, recentemente a comunicação social escreveu e disse que o “Leslie é o furacão mais poderoso a atingir Portugal desde 1842”. Será? A 15 de Fevereiro de 1941, segundo algumas notícias desse ano, o furação que atingiu Portugal, fez mais de 500 mortos, milhares de feridos “e prejuízos que ultrapassaram a soma de 1 milhão de contos” (existiu este números de mortos e de feridos, possivelmente porque as pessoas não se protegeram)
    Grata

    Responder
  3. Antónia Marques

    Lindos e ternurentos ! Que maravilha, que Éden… qualquer dia rouba-nos o Manel… e eu deixo de ir ao Você na TV, porque depois não será tão interessante ! Bom resto de férias e até à próxima semana. Bjns

    Responder
  4. rita jorge

    É extraordinário o que me aconteceu ao ver a foto de chamada para esta página: assim que eu vi a foto dos borreguinhos senti o cheiro, o toque das minhas mãos na lã, os dedos gordurentos a afastar a lã para olhar o efeito que esta fazia desde a pele … passaram tantos anos, por alto talvez uns 30 (tenho agora 43 anos).
    Nunca tivemos mais de 3 borregos ao mesmo tempo e quando os comprámos já não precisavam da mãe.
    O medo, que muitas vezes roçava o pavor, quando tinha que fazer a tosquia com uma simples tesoura.
    Mas conseguia. Nem um arranhão, somente a irregularidade na pelagem(?) denunciava que tinha passado pelas minhas mãos.
    Que saudades boas.

    Responder
  5. Manuel Candeias

    Muito bonito. Eu que já fui pastor há 70 anos sei muito bem como é lindo ver os borregos a correrem e saltarem de um lado para outro. Você Manuel Luis Goucha merece ter todos esses previlégios, porque é um homem culto, inteligente e bondoso. Muitas felicidades e continuação de optimas férias.

    Responder
  6. Cristina Sousa

    Gosto muito da maneira como afirma e protégé as nossas raízes . Que Deus lhe muita saúde para si e para os seus . Pena não termos mais pessoas da alta sociedade empenhados em criar laços com a terra com os animais com o que temos de melhor no nosso tão querido Portugal .

    Responder
  7. Paulinha Velez

    MLG
    Adoro vir aqui ao seu blog…..não só o que se aprende,mas pelas suas fotos!
    Obrigada …obrigada… Obrigada
    Hoje pela borregada,ontem pela cultura.. Tudo o que vier amanhã agradeço sempre!
    Boas férias e nunca desista deste cantinho 😉

    Responder
  8. Dulce Caprichoso

    Sabe tão bem visitar o Cabaré do Goucha…podemos beber sábias palavras, palavras que dão vida ás imagens fotográficas com que nos brinda.
    Parabéns ML pelo seu refúgio no monte. Acredito que nesse ambiente rural, cheio de vida e conforto, se encontre paz, alegria, gosto, prazer e se possa dizer: aqui sou feliz.
    Beijinho e continuação de boas fērias

    Responder
  9. Alice Lopes

    Agora apeteceu-me ir ter consigo!
    Gosto tanto de borregos.
    Voltei à parte boa da minha infância.
    Quero conhecer o seu monte e essa bicharada toda 😀
    Beijo.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *