A César o que é de César!

Mas afinal quem é o César de que falamos quando evocamos o nome da salada de frango servida com um molho que, surpreendentemente, leva filetes de anchova? Pois desengane-se se pensa que o seu autor é francês, só porque a salada é um clássico em qualquer bistrô, há quem afiance ser antes italiano, Cardini de apelido. Ele, cozinheiro de função, e o irmão Alex, teriam emigrado para a terra do Tio Sam, logo a seguir à primeira Grande Guerra, acabando por se fixarem em Tijuana, na fronteira, para fugirem à Lei Seca, e onde abriram um restaurante. Naquele 4 de Julho de 1924, por ocasião da celebração da Independência, o restaurante encheu-se a ponto de esgotar a provisões. Foi então que Caesar Cardini preparou uma nova receita recorrendo ao que ainda tinha à mão: alface romana (icebergue), croutons, parmesão … e assim nascia aquela que viria a tornar-se numa das mais famosas saladas em todo o mundo. Outros dirão que a origem da receita tem a ver com o chefe Giacomo Junia, também este italiano, que teria baptizado a sua criação como o nome do imperador Júlio César, contudo esta outra versão não impediu que, em 1948, a família Cardini tivesse registado a patente da receita do molho César, já que é ele que, embrulhando todos os ingredientes, empresta a esta salada um sabor muito agradável e particular.

Já não saboreava uma Salada César há muito tempo e foi recentemente em Windsor, quando ali me desloquei para fazer a cobertura televisiva do casamento de Harry e Meghan, que despertou de novo o meu apreço por esta receita. Foi a Judite, depois de um directo para o Jornal das Oito, cansada de tanta reportagem e com larica que me atirou: “agora só quero uma salada César e um copo de vinho branco!”. Também salivei de desejo e logo alinhei no mesmo pedido e no dia seguinte haveria de repetir a dose.

Este fim de semana apeteceu-me fazer a dita salada ao meu jeito, que isto cada um dá um toque, consoante o seu gosto. E fi-la acompanhar com um Alvarinho, surpreendentemente alentejano, o do Monte da Ravasqueira, tendo-se este revelado perfeito no seu equilíbrio entre o frutado e o mineral. Tirei uma foto (a mesma que aqui acrescento), publiquei-a no meu instagram (@mlgoucha) e logo houve quem me pedisse a receita e até a estória que pudesse justificar o baptismo.

Faça-se então a vossa vontade, por isso uma e outra aqui ficam e agora só vos resta experimentar! Bom apetite!

Salada César

Ingredientes:
coração de alface romana (icebergue)
peito de frango
bacon cortado em cubinhos
croutons (cubinhos de pão fritos) de compra
sal e pimenta preta moída na altura
queijo parmesão ralado
azeite

molho:
5 colheres (sopa) de maionese
1 dente de alho descascado
3 filetes de anchova
1 colher (chá) de mostarda
1 colher (sopa) de queijo parmesão ralado
fio de azeite

Tempere de sal e pimenta o peito de frango.
Numa frigideira junte um fiozinho de azeite. Deixe dourar o peito de frango de um dos lados. Vire e leve frigideira ao forno, a 180 graus, para que cozinhe e fique suculento.
Entretanto, numa outra frigideira quente deixe dourar o bacon na sua própria gordura.
Enxugue o bacon sobre papel absorvente de cozinha.
Escorro sempre o excesso de gordura da frigideira e no que ficar alouro os “croutons” para que eles ganhem um pouco do sabor do bacon.

para o molho:
No copo da sua liquidificadora, junte a maionese, a mostarda, o dente de alho, os filetes de anchova, o fio de azeite e o queijo parmesão ralado.
Triture tudo de modo a obter um molho bem ligado.
Como o molho deve ficar fluido, junte um pouco de água fria.

Empratamento:
Separe o coração de alface romana em folhas e distribua-as na saladeira.
Junte os croutons, os cubinhos de bacon e o peito de frango fatiado.
Se quiser, pode ainda juntar dois ovos, previamente cozidos por uns cinco minutos de modo a que a gema fique cremosa.
Regue com o molho.
Polvilhe de queijo ralado grosseiramente ou em lascas finas.

5 comentários a “A César o que é de César!

  1. Alice varela

    Esta salada e muito agradável e deliciosa!
    Fresca e estaladiça!
    Optma nesta altura do Verão
    Os meus agradecimentos pela receita.
    Um abraço Alice

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *