Um Homem de bem

foto1
Ontem fui convidado a falar sobre o chef Hernâni Ermida, a propósito do seu novo livro de receitas “Chef, preciso de ajuda!”. Tarefa fácil quando dele se trata, já que o conheço há um ror de anos, trinta e dois para ser mais exacto. Lembro-me como se fosse hoje: marcámos um jantar num restaurante da Boavista, no Porto, para eu conhecer a sua história de vida, na altura ainda curta mas já tão cheia de sonhos e peripécias. A ideia era escrever sobre uma nova geração de cozinheiros, isto para um semanário de boa memória, infelizmente já desaparecido: “O Jornal”. Foi assim que fiquei a saber das suas origens, em terras de Resende, no seio de uma família com cinco filhos benquistos. Cedo começaria ajudando a sua mãe na lida da casa e no preparo da manja, o que nem sempre era bem entendido pelos irmãos mais velhos.

Aos treze, com a quarta das classes, já trabucava, e de que maneira, no Porto, cidade grande, como moço de cozinha, no velho Hotel Tuela, com um patrão a dar-lhe fome. “Comíamos mal, quantas vezes peixe estragado”. Para ganhar mais uns tostos, alombava todas as manhãs com um carrego de bananas no mercado ali ao lado, o do Bom Sucesso, que o que ele queria, mesmo, era prosseguir os estudos enquanto subia, degrau a degrau, na escala de uma brigada de cozinha. De moço a copeiro, de copeiro a ajudante, de ajudante a cozinheiro de terceira e por aí acima até ao topo, numa altura em que mesmo este não era, de modo algum, tão celebrado quanto é hoje.

Hernâni Ermida pertence a uma geração de cozinheiros que se fez na tarimba, mas almejando a aquisição de conhecimentos que, a um nível elevado, pudessem cimentar o que com a prática já havia adquirido. Conseguiu-o numa escola de hotelaria francesa e nos paquetes de luxo para turistas com grana, viajando pelo mundo tal como o sabemos, ou julgamos, e também pelo dos cheiros e sabores. De tudo isto se faz a sua cozinha (de desafio, fascínio, paixão e memória), que partilha sempre com subtil elegância em consultorias, publicações, programas de televisão e livros como este, dado agora à estampa.

São receitas simples, fáceis, criativas, fazendo bom uso de quanto as bancas exibem e muitas vezes não aproveitamos por desconhecimento ou falta de informação. Essa aliás é uma função que o chef assume igualmente com destreza e talento: a pedagogia de uma cozinha diferente, saudável e estimulante.

Falar de Hernâni Ermida é celebrar o trabalho, a honestidade e a verdade. E se estas são qualidades do profissional que o público conhece e estima, são também as mesmas que moldam o homem que só alguns têm o privilegio de ter como amigo. Este é um homem bom e leal. De uma humildade desarmante, se bem que me apeteça antes dizer excessiva, como ainda ontem se viu quando, ao agradecer a presença de quantos eram naquela sala, pediu desculpa por terem perdido o seu tempo. Não Chef, ganhámo-lo, porque nem sempre temos oportunidade de privar com um Homem de bem.

foto2

foto3

foto4

foto5

foto6

foto7

foto8

foto9

foto10

foto11

foto12

foto13

10 comentários a “Um Homem de bem

  1. M. Helena Pinto

    Gosto muito de ver o chefe no você na TV. Tem sempre receitas boas, umas mais sofisticadas outras mais para o dia
    a dia. São as minhas preferidas. Obrigada

    Responder
  2. MARGARIDA DE CAStRO

    Que felicidade ter um amigo que reconhece o nosso valor,que bonitas palavras escritas por um Homem generoso e de bem.Parabéns aos dois por serem o que são;qualidades que hoje em dia é raro ver-se .Um abraço

    Responder
  3. Élia Laranja

    Gosto muito do Chefe Hernâni Ermida. Tal como gosto de si.
    Já comprei o se livro e já fiz o seu rolo de carne: uma delicia.
    Falta que me chegue à Ilha da Madeira o livro do Chefe.
    Cá o aguardo com muita expectativa.
    Um beijinho para si, e outro para o Chefe.
    Grandes almas. Grandes pessoas.
    Admiro-os, de verdade.
    Élia Laranja

    Responder
  4. Berta Veiga

    Sabe meu querido Manel,uma das coisas boas que a vida me deu foi ter conhecido o chefe e tê-lo como amigo.Na minha adolescência,quando achava que as revistas de cozinha eram tão cinzentas e sempre “mais do mesmo” surge o chefe Hernâni a dar cor ,vida e irreverencia e sei que a ele devo o gosto que tenho pela cozinha.Nunca me passou pela cabeça que passado tantos anos e mantendo a minha admiração por ele ,teria o prazer de o conhecer e ver que uma pessoa que subiu à custa de muito trabalho, nunca deixou de ser humano,simpático e simples.Eu já lhe contei que o convidei a vir almoçar à nossa humilde casa e ele veio?Foi um almoço tão bom(não pelo almoço que até acho que a feijoada estava um pouquito salgada)mas pela simpatia .Há realmente coisas boas que nos acontecem e essa ,foi uma das melhores.Poderia ficar aqui a escrever e escrever pois haveria sempre mais um elogio a fazer .É tão bom haver pessoas assim,lindas e maravilhosas como o chefe.Já agora, vem ao Porto fazer apresentação do livro do chefe?

    Responder
  5. Dona da casa

    Que bonitas e justas palavras! O Chef Ermida é das pessoas mais humildes e genuínas que “conheço” da televisão e é um gosto ver as suas receitas no VTV. Beijinhos ao Chef e a si, que também é um homem de bem.

    Responder
  6. Fernando Manuel Abreu Gil

    Boa noite Manel, é tão gratificante saber que há amigos com que podemos contar, e isto é mais uma prova que tens um Coração de Anjo, quando te chamam és logo o primeiro da fila a dar a cara, obrigada por tudo meu Anjo.

    Responder
  7. Maria Fernanda Alves

    Como sempre que bonitas e precisas palavras! Que maravilha expressar-se assim desse Homem de bem!
    Admiro-o muito Manuel Luis Goucha! Levanto-me todos os dias as 5 da manha para entrar na casa da ” Voce na TV” e disfrutar da sua e da companhia da linda Cristina! As sexta-feiras de madrugada (2 da manha) tenho o previlegio a ver as entrevistas das “Mulheres da sua vida”. A ultima foi a entrevista a Simone de Oliveira uma mulher com quem tanto gostava de privar nem que fossem 5 minutos para lhe dizer quanto a admiro,e quanto marcou a minha vida de jovem adolescente e mulher. Mil Saudacoes cheias de gratidao pela companhia, pelos sorrisos, e por esse Portugues bonito que me ajuda a manter as minhas raizes.
    Maria Fernanda

    Responder
  8. Edu.

    Parabens p o chefe Hernani.Q pena nao saber pois hoje tive n El corte ingles ,assim tinha ficado a conhece -los.Vou ao colombo n sabado. porque ja tenho O livro falta so autografalo e vou conhece-lo porque o Rui costume velo n cascais shoping.fiquem bem 🙂

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *