O Rui na tela!

“Adoro os seus vestidos!” – para começo de conversa não podia ser melhor. Logo soltei uma sonora gargalhada e expliquei que vestido é feminino e homem usa fato. Renaud é francês e apesar de viver em Portugal há uma vintena de anos por vezes o seu pensamento ainda o atraiçoa. Faz sentido o engano, se pensarmos que na sua língua “veste” é casaco. Queria dizer-me que gosta das cores que muitas vezes uso, logo ele, homem das cores e dos pincéis, os mesmos com que acaricia os cavalos que nascem nas suas telas.

Apresente-se o artista porque senão o leitor não percebe peva: Renaud Hadef nasceu na década de sessenta em Compiègne, à beira rio Oise, na região Altos de França. Cedo começou a montar, criança mesmo com quatro anos, uma vez que cresceu no “Haras du Pin”, a Versalhes dos cavalos, fundado por Luís XIV, e onde o seu pai era mestre ferrador seguindo já uma tradição de família. “Crescer rodeado de cavalos é um verdadeiro presente da Vida!” – é o próprio a dizê-lo e assim se explica a sua paixão pelos equídeos. Mais tarde descobre que a Arte é o seu caminho e que muitos quereria percorrer por esse mundo fora. Pintor autodidacta, viajante e aventureiro correu “Ceca e Meca” sempre acompanhado de um bloco de papel e da sua caixa de tintas, até ao dia em que aportando ao sul do país, em Pêra se aquietou junto ao mar e aí instalou o seu atelier.

Chegados aqui vai o leitor, certamente, querer saber como conhecemos o artista. Pois bem, é sabido que cá em casa temos idêntica paixão pelos cavalos sendo que muitos dos conhecimentos do Rui estão directamente relacionados com esse mundo, nalguns casos estamos mesmo a falar de amigos comuns e que muito estimamos. E depois gostamos de pintura entre outras artes.

Há uns dois meses o Renaud perguntou ao Rui através do Facebook se podia usar uma fotografia que havia sido publicada no seu mural, tirada pela fotógrafa Lena Saugen, para uma produção da Teresa Burton (uma e outra apaixonadas pelo cavalo Lusitano). Em conversas posteriores o Rui percebeu que a ideia do Renaud era desenvolver na tela o tema da feérica “Féria de Sevilla”, cara aos dois, incluindo-o na ação. E foi assim que nasceu a obra que chegou agora ao monte.

Gostei de ter ajudado a engradar a tela, se bem que a ajuda se tenha resumido a segurar na estrutura de madeira malhetada (sem uso de pregos), primorosamente feita por um verdadeiro mestre marceneiro lá dos Algarves (como é importante investir nestes ofícios artesanais. Hoje em dia um bom carpinteiro, marceneiro, serralheiro … ganha o que quiser! Um país não se faz apenas com doutores!). Assentada, esticada, bem presa (é o próprio Renaud quem o diz: “o pintor tem qualquer coisa de alfaiate”) e por fim pendurada, tenho agora a Feira de Abril a dominar a sala das comidas. No traço algo naïve, e por isso pouco usual na obra de Renaud, descubro a luz e a cor da “Féria”, ocasião única em que na cidade se celebra o facto de se estar vivo e já me imagino de caseta em caseta cantando, bailando e tapeando. Enquanto montadas, de charrete ou “a penantes” sevilhanas de todas as idades desfilam sensualidade e graça nos seus vestidos de folhos e muita festa, ao mesmo tempo que se inquietam: ”que es el garboso en el caballo gris?”.

Agora é que ninguém o atura!

www.renaudhartiste.com

17 comentários a “O Rui na tela!

    1. C

      Ah ! Je découvre l’original du cheval blanc, si magnifiquement harnaché, qui a inspiré une oeuvre gigantesque au Maître Renaud HADEF : je suis heureuse de le revoir ! Bonne journée à vous. Silasol Claudine

      Responder
  1. Maria Sousa

    Olá Manuel

    Adorei, está lindo o Sr. Rui em cima daquele cavalo. O cavalo para mim é o animal mais lindo do Mundo, também já pintei alguns, mas só apenas uma “auto-didática”, por ter tanta paixão pelos mesmos.
    O 1º. cavalo pintado é magnífico, lindo e transmite amor no olhar. Penso que o cavalo que o Sr. Rui monta é o vosso, também o adoro.
    O quadro está um espectáculo, cheio de vida e côr.
    Beijinhos para ambas, resto boas férias, na 2ª.f . já conto vê-lo no Você da TV.
    Maria Sousa

    Responder
  2. Amália Cristina M. C. Rodrigues

    Não dispenso as suas publicações, são um bálsamo para os meus dias! Obrigada pela partilha de momentos da sua vida que é preciosa

    Responder
  3. Madalena

    Gosto muito de vocês.
    Manuel continue assim, você é verdadeiro no amor que sente pelo Rui, e em tudo o que diz.
    Não se deixe abalar por nada nem ninguém.
    Sejam felizes.
    Beijinhos de Paris com Portugal no coração.

    Responder
  4. Sofia Pontes

    Boa tarde! Sim……. agora o Sr. Rui tem um quadro de estrela! Logo o Sr. MLG não é a única estrela da casa estou a brincar! Adoro-vos!! Sejam felizes! Algo que o Sr. MLG me tem dado desde pequenina.. através da TV.. Cultura e uma outra forma de ver a vida!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *