Resposta a quantos se amofinaram

Resposta a quantos se amofinaram, não entenderam ou não quiseram

Já estou como o outro, não tiro nem uma vírgula ao que disse. E o que fiz foi apenas estranhar a nomeação de alguém que enquanto secretário de estado da saúde havia mostrado, perante as câmaras de televisão, manifesta insensibilidade, quando confrontado com uma reportagem-choque feita pela jornalista Ana Leal sobre algumas urgências hospitalares, e na sequência das mortes ocorridas este ano em tais serviços, sem a mínima prestação de cuidados médicos. Logo houve quem quisesse polemizar a opinião que me assiste enquanto cidadão atento e interessado.

Sim, sou dos que têm seguro de saúde e que podem recorrer a um hospital privado, mas desde quando isso me impede de manifestar a minha opinião, com conhecimento e clareza, sobre o que está mal no Serviço Nacional de Saúde, pago também com os meus impostos? Ou pensam, porventura, que nunca entrei nas urgências de um hospital público? Não é o Serviço Nacional de Saúde que está em causa, aliás tenho-o com preciosa e intocável conquista da democracia, mas sim uma política de cortes orçamentais e de medidas economicistas que não são compatíveis com uma prática que se quer humanizada e eficaz. Não sejamos hipócritas: este ano morreram pessoas nas urgências hospitalares sem que durante horas tivessem tido a mínima assistência médica. Velhos, por sinal, que pelos vistos, pouco ou nada contam, para quem tem o poder. Já se esqueceram das imagens que Ana Leal conseguiu captar dessas urgências onde os doentes se amontoam nos corredores de forma indigna e terceiro-mundista? (ver vídeo aqui)

Se há coisa de que não padeço é de ter memória curta! Opinei pelos que não podem recorrer ao privado e têm o mesmo direito que eu de serem cuidados com eficácia e humanidade. Pelos vistos houve quem não entendesse e enviesasse as minhas palavras. Problema deles… Digo e redigo: não compreendo como alguém que, confrontado com factos e imagens deploráveis, diz, com sobranceria, que tudo está e funciona bem nas urgências em Portugal e é elevado à condição de ministro! A não ser que seja pelo facto do Governo que ontem tomou posse estar careca de saber que dentro de duas semanas já não o será.

Já agora, que fique claro, para quantos acharam que opinei “ao serviço” do PS: votei na coligação PAF (há muito que me posiciono ao centro e pena tenho que o PSD se tenha, entretanto, colado à Direita, quando não é essa a sua matriz), mas isso não faz com que eu tenha de concordar com todas as medidas tomadas pelos partidos da coligação, ao mesmo tempo que tenha de diabolizar tudo quanto venha dos que estão à Esquerda. Gosto de pensar pela minha cabeça e muito pouco de facciosismos. Na política, ou seja no que for, não há “vacas sagradas”. Talvez seja isto ser democrata.

33 comentários a “Resposta a quantos se amofinaram

  1. Alexandra Ferreira

    Sabem que mais?
    O Manuel Luís Goucha tem razão…
    Todos temos a obrigação de falar, dizer o que nos incomoda, e o que sente o coração.
    Como ele bem diz, paga impostos como os demais cidadãos, e paga depois para ter cuidados de saúde prestados por privados.
    Para além disso, ele foi votar. Votou de acordo com a sua consciência, e pode, e deve criticar aqueles em quem votou.
    Fala porque pode. E porque olha para o lado e vê. Observa, forma uma opinião. Percebe o que faz falta aos seus pares. Não sou a sua primeira nem a maio fã.
    Mas, aqui ele tem razão.

    P.S.: Partilhei no meu mural do FB

    Responder
  2. branca ribeiro

    Bem haja pela sua Luz… É pena que as pessoas tenham a memória curta!…. A inveja é o pior que existe no nosso lindo país… pode ter o melhor mas, não se esquece dos que não o podem ter; além disso as pessoas esquecem que com os impostos do Manuel e, de outros como o Sr. ajudam a sustentabilidade da saúde para todos. enfim…. Como somos pequenos. Sigo o Manuel desde sempre e, admiro-o profundamente. O meu muito obrigado….Um grande abraço

    Responder
  3. Maria Teresa Madeira da Palma Banha

    Assino por baixo e tiro-lhe o Chapéu!!!! E o da Administração Interna, também “promete”!!! As declarações sobre as cheias no Algarve, no mínimo ridículas!!! Vergonha alheia!!!

    Responder
  4. luis filipe

    ola Manuel eu estou completamente de acordo com tudo o que disse , é inadmissível a forma como o nosso pais tem sido governado ao longo dos anos por pessoas sem escrúpulos que tem utilizado o pais em beneficio próprio em vez de governarem o pais em beneficio de todos nós , um pais tao pequeno que quase se podia fazer uma política personalizada , há três pilares fundamentais numa sociedade ,saúde , educação e segurança , penso que nenhum destes pilares estejam a funcionar nas melhores condições ,pergunto o que é feito dos portugueses de outros tempos , um abraço e muita saúde

    Responder
  5. jose pimenta

    o ministro tinha razao…pois aos olhos da nossa politica miseravel tudo corre bem, ele esta a conseguir poupar uns milhar na saude para depois poderem ir gastar em almoços e viagens….eles quando sao nomiados para tais cargos nao é para servir o povo, mas sim para servir os interesses deles….

    um abraço tio Manel luis

    Responder
  6. Maria José pinheiro nunes

    Boa noite, Sr. Manuel Luis, não há palavras para descrever tanta sabedoria, e classe
    Grande Comentário, Aplausos, um bjs sou sua fã incondicional, um bem HAJA,até amanhã

    Responder
  7. Anabe Trindade

    Não poderia ser mais acertivo sobre a opinião que tenho sobre aquele personagem. Só quem não tem memória sobre as suas (dele) declarações de então, o poderá criticar.
    Assim que vi atónita o seu emposseçamento como ministro da saúde, foi aquela sensação de volta no estomago, sabe como é? Absolutamente estamos num país em que os governantes se estão borrifando para aqueles que os sustentam e bem, e que nós não merecemos assim ser tratados, também somos gente….
    Ai de muitos dos que lá estão quando perderem o poiso, inúteis que nada sabem fazer…
    Um beijo para si que admiro muito, pela sua versatilidade e obrigada pela companhia que me faz todas as manhãs

    Responder
  8. Lina Teixeira

    Cada vez o admiro mais,pois como se diz nao tem papas na lingua,porque sera que quando damos a nossa opiniao logo dizem que estamos ao servico deste ou daquele. Tambem votei na PAF,mas nao quer isso dizer que concordo com tudo o que dizem ou fazem , para isso e que existe opiniao senao seriamos como os borregos ,para onde vai um vao os outros. Continue assim a dizer tudo aquilo que pensa,pois a censura ja acabou . Ja agora agradeco a companhia que faz todos os dias juntamente com a Cristina a minha mae.Um bem haja para os dois .

    Responder
  9. ivone amparo

    atento e com cultura geral muito acima da média.
    agora são as predicendiais… mais uns tempos serão as autárquicas. Pois como funcionária à quase 20 anos numa câmara que tão bem conhece, ainda gostaria de o ver à frente daquele batalhão de hipócritas, culambistas, engraxadores e discriminadores.
    o que eu adorava poder votar em si Manuel Luís, e vê-lo ganhar e acabar com tanta coisa… tenho tanto para contar…
    grande beijunho

    Responder
  10. Nádia Silva

    Olá Manuel. É de um enorme contrasenço o que acabou de escrever. Então o Sr. não acha correto os cortes feitos no sistema Nacional de saúde mas vota na PAF? Tendo sido esta coligação que mais cortes fez neste país.
    Gosto muito de si enquanto comunicador mas nesta matéria acho que deveria refletir um pouco.
    Cumprimentos

    Responder
    1. Fábio Alves

      Isso não tem nada de contrassenso. Cada um de nós vota no que os partidos dizem que vão fazer. Depois de lá estarem, acabam por fazê-lo, ou não. É certo que ninguém votou PAF na perspectiva de ter o SNS no estado em que está 4 anos depois.

      Responder
  11. Vera Soares

    Sr Manuel. É de facto um direito seu e de todos nós opinarmos sobre assuntos do dominio público e que nos afectam a todos. Aliás só assim o mundo” pula e avança”.
    Qt à matéria em questão ( e não à promoção do dito secretário de estado) devo confessar que além dos cortes orçamentais brutos que se fizeram sentir no SNS, há um outro factor que contribui para aquela situação degradante a que assistimos na reportagem. E essa não a podemos incutir a nenhum governo, nas sim à consciência ( ou falta dela) de todos quantos por uma simples dor de cabeça ou por uma dor de dentes recorrem aos serviços de urgência desviando assim o tempo dos profissionais de saúde. Cmp
    Directamente da suissa onde todos pagamos um seguro de saúde obrigatório, mas onde um médico se trabalhar num hospital não pode absolutamente ter um consultório privado.

    Responder
  12. Elisete Araújo

    Sr.Goucha, continue a ser fiel a si próprio,a fazer bem o o seu trabalho e fazer as suas críticas construtivas,pois há quem só critique por criticar e que invejam o seu saber , o seu nível de cultura e o seu saber saber e o seu saber fazer.Tal como o Goucha ninguém é perfeito,mas o serviço público que faz é muito importante.Muitas pessoas não tiveram e não têm oportunidade de estudar e não têm outro meio de adquirir informação para além da televisão para expandir os seus conhecimentos ,para isso necessitam de ter profissionais imparcias que façam críticas construtivas e dão a conhecer a realidade do país .

    Responder
  13. lucia

    Precisamos de mais pessoas como o Manuel a dois anos o meu filho cortou uma mao na escola e teve de ir as urgencias esteve la duas horas para ser atendido mas isso ate nao foi o pior foi um senhor ke teve um acidente tinha as costelas partidas e mais sentado numa cadeira de rodas a medica chamou o nome ele disse ke nao podia andar ela respondeu entao tbm n o vou buscar esse senhor estava la desde 15 horas e ja eram 19 horas cheio de fome pk nao tinha comido dei lhe bolachas ke tinha no saco para o meu filho e vim embora e ele ainda la ficou

    horase ja eram 19 horas da tarde disse me ke vinha do trabalho n tinha comido estava cheio de fome

    Responder
  14. Graça

    Boa noite
    Continue assim , a defender aqueles que não têm voz. É esta postura crítica e de pensar pela própria cabeça, na defesa da dignidade humana , no respeito pelo ” outro”, o que mais admiro em si! Subscrevo tudo o que disse e que voz não lhe doa !

    Cumprimentos

    Graça

    Responder
  15. Paula

    Considero um comentariio completamente normal e coerente mas a verdade neste pais nao se gosta de ouvir vetdades e dizer muito menos por isso e que nunca ouvi ninguem dizer bem do governo e ele ter continuado no poleiro,hospitais publicos sao uma desgraca sem condicoes horas de espera estamos a ser avaliados juntamente com os doentes acamados o que nos separa e uma cortina e para esse luxo todo pagamos 20 € por consulta ,o importante e porem portas bonitas para carregar no botao que os velhotes ficam ali sem saber onde tocar para sairem ,continue assim diga o que pensa confronte com a realidade e quem nao quiser perceber ou fingir que esta indignado azar mude de pagina uma boa noite sr Mlg

    Responder
  16. Fatima Ribeiro Mariz

    Manuel por vezes as pessoas não querem ouvir as verdades por isso mesmo sou sua fá desde sempre porque o Manuel é frontal como eu a muitos que dizem mal mas isso é dor de cotovelo estou quase como a Cristina podem dizer mal que não os afeta tenha uma boa noite e um feliz domingo nunca mude se mudar não tem graça adoro-os passem bem …

    Responder
  17. Laurinda Araújo

    Boa noite, Manuel Luís
    Apoio a 100% tudo o que diz, também eu estou preocupada com o estado da nossa Saúde… Quero, ainda, felicitá-lo por, mais uma vez, expor com tanta clareza os seus pensamentos e não se deixar levar por influências externas. Mesmo sendo a figura pública que é (e até mais, por isso) tem direito de expressar as suas opiniões e o dever de mostrar ao seu público o que acha certo e errado.
    Muito obrigada. Bj

    Responder
  18. Elizabete Silva

    Acho que disse tudo. Não há vacas sagradas . Nem toda a gente tem palas como os burros, ou então nunca recorreram a uma urgência. Há pessoas que só sentindo na sua própria pele conseguem raciocinar. Ao sofrimento dos outros são totalmente alheios.

    Responder
  19. Sussna Martins

    Concordo com tudo o que disse,ate porque este Verao tive de ir a urgencia do hospital da minha cidade com o meu padrasto e fui ao wc e fiquwi escandalizada pois toda suja sem papel sem sabonete sem desinfectante e a agua no chao cobria me as sandalias se aquilo tinha aspecto de wc hospital a como sera um wc de um auto estrada ja pra nao falar nas horas que uma pessoa tem de estar a espera com dores e mesmo de partir o coracao.Quanto a mim as coisas em Portugal nunca mudam porque as pessoa preferem fingir que estar tudo bem desde que possam beber a sua bica descancados o resto e secundario e triste mas e assim mesmo.Quanto ao que lhe disseram assim ja deve estar habituado pois e tao mais facil atirar azedume atras de um ecram.Beijinhos

    Responder
  20. Marisa Mouquinho

    Obrigada, adoro-o! Não gostava de si no passado, nomeadamente na altura da Praça, acho que a Cristina lhe fez muito bem! Penso que o ajudou a dar mais de si e o aproximou mais do público! Agora gosto muito de si, com a Cristina, mas principalmente individual de si! Faz me rir muito e gostava muito de um dia o conhecer pessoalmente! Obrigada!

    Responder
  21. Tatiana

    Lamentavelmente no nosso país vota-se por tradição. Pois bem que se há 15anis que se vota á esquerda porque haveria agora de mudar ( e vice-versa). Enquanto a mentalidade for esta não vamos sem dúvida a parte alguma!

    Responder
    1. Carmen Tavares

      Adorei o seu comentário e não lhe mudava se quer uma vírgula.
      Andam a morrer seres humanos caramba será que há tanta gente insensível porque o comentário é feito por si, figura pública ou por qualquer outro…..todos temos o direito não só a cuidados de saúde mas a VIVER, e VIVER com dignidade,a jornalista Ana Leal trata de assuntos tabu de que muita gente tem vergonha em falar e tem medo de represálias. É uma excelente jornalista.
      Obrigada Manuel e Ana Leal.

      Responder
  22. Ana Maria Gomes

    Caro Manuel Luís Goucha, subscrevo na íntegra os seus comentários, porque tentei lembrar-me porque não gostava daquele personagem e veio-me de imediato os comentários dele acerca da reportagem em causa. É lamentável, mas pode ser como diz, é a curto prazo!

    Responder
  23. Catia santos

    Manuel Luís concordo a 200% com tudo o que disse e escreveu ; temos a nossa saúde doente já a vários anos , idosos por vezes com famílias por quem deram e fizeram tudo é que agora os tratam como se de um empecilho se trata-se e mais , deixa-nos esquecidos nas urgências sem qualquer tipo de peso na consciência pois não dá jeito neste momento levar para casa quem lhes deu a vida . Eu tenho 32 anos e comecei a meses a trabalhar com os ditos velhos como lhes chamam e digo e repito : crianças toda a gente gosta e acha fofo idosos ninguém gosta e tem nojo mas eu não ; gosto de crianças sim sou mãe mas o que já enriqueci nestes meses ao trabalhar com idosos não troco por nada . Um grande beijinho

    Responder
    1. Salete Ribeiro

      concordo plenamente consigo…
      Aliás você expressa a sua opinião sempre de forma sábia , admiro-o muito…
      E contra factos não há argumentos … Pena que o país que temos seja tão mal governado .

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *