O frigorífico solidário

ou quando com pouco se faz a diferença!

Foi realmente no “Você na TV” que fiquei a saber deste projecto de solidariedade. E porque há ideias que vale a pena alimentar, no dia seguinte à reportagem, decidi, com o Miguel Leitão (o Mikas) na condução do carro e das filmagens, dar o exemplo, para que outros o sigam. Pede-se tão pouco, até pode ser apenas uma alface, meia dúzia de iogurtes ou um quilo de laranjas… Mas o certo é que esse pouco pode fazer toda a diferença na alimentação de alguém que não tem como pôr frescos na mesa. O vídeo explica tudo. Esta é uma ideia para eu continuar a acarinhar.


Captação e edição de imagem de Miguel Leitão (Mikas)

17 comentários a “O frigorífico solidário

  1. Fabrica Alcântatra Mar

    Manuel Luís Goucha, em nome da Fábrica Alcãntara Mar, promotor do Frigo Solidário/Comunitário vimos agradecer-lhe tudo o que fez em termos de partilha e apoio na divulgação desta iniciativa, pioneira em Portugal, de que- “quem tem mais dá e quem tem menos leva”, alimentos frescos e laticínios e alguns congelados, de forma anónima e directa.
    A Madre Teresa de Calcutá disse num evento uma frase mt bonita- que o seu trabalho era uma gota no oceano mas, era uma gota a mais.Acabou por dizer no final que “podemos ser sempre uma gota a mais”.
    Uma cadeia de Inter-Ajuda que cria um mundo mais justo e humano.
    Por isso enquanto Projecto e enquanto equipa,um a um,estamos muito gratos pela força que nos deu nesta cadeia.Uma Gota Linda e Forte que acrescentou o necessário, o natural,não forçado.
    Quem tem convicçãoes humanas profundas de partilha traduz sempre alegria e simplicidade de como o faz.O Manuel Luís deu esse exemplo.Só por si isso é maravilhoso
    O Frigo leva e trás alimentos,principalmente frescos e alguns latícinios que já apoiaram mais 900 vezes famílias e individuais que estão a precisar de apoio alimentar neste mês e meio de existência.
    Levámos uns dias a responder formalmente pois o impacto foi grande e grandualmente tem vindo a tomar um cariz mais amplo em forma geográfica e de inovação de como estamos a estruturar que tudo se mantenha a fluir de forma sustentável.É esse o conceito.Simplicidade e sem burocracia.
    Por exemplo,caso concreto, se alguém de Santarém, nos quer ajudar com excessos agrícolas porque viu o seu apelo, de como os podemos fazer chegar até nós de forma sustentável(sem encargos extra e no conceito de inter-ajuda?)-solução:arranjar alguém amigo que o faça 1 vez por semana.Nós queremos mesmo a forma directa, empenhada da nossa parte como facilitadores do processo mas anónima.
    Outro caso concreto, fruto da sua acção, uma msg em que uma senhora queria informar-se podia saber quais os dias em que normalmente existe menos coisas e assim deslocar-se,(tem 80 e uma bengala),e assim potencializar o apoio.
    Acredite que existem já imensos casos lindos e mais virão. Enche o coração.
    O nosso Frigo é tb uma obra de Arte contemporânea do artista e designer Luís Levy Lima,que lhe chamou “Música na Fábrica!
    É isso mesmo “Música na Fábrica” onde o Manuel Luís já está presente com o carinho e admiração do Bairro
    Forte abraço Humano e até breve!

    Responder
  2. Carla

    Manuel
    Gosto de si porque sim, não é só porque sim, é por o todo que é.
    Continue igual a si mesmo.

    Eu sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele o oceano seria menor.
    Madre Teresa de Calcutá

    Abraço caloroso
    Carla

    Responder
  3. Rosa

    Ola sr.Manuel Luis Goucha um bem Haja para sim fico muito feliz por saber que apadrinha e contribui para quem mais precisa nem que seja divulgar para podemos ajudar nem que seja com um pouco que temos porque amanha podemos ajudar e fazer a diferença na vida de qjem precisa continue assim a divulgar estas acçoes e ajudar quem precisa.
    Grande Manuel Luis Goucha

    Responder
  4. Helder

    Arranjava alguém que tivesse um cartão Makro , e compravas umas caixas de maçãs pelo mesmo preço! Essas frutas são caras, nem as compro para mim!

    Responder
    1. Sónia

      Como ele disse é bem comprou para mimar as pessoas e como se fosse para ele. Comprou e deu o melhor, as pessoas merecem! Amei a reportagem!

      Responder
  5. Isabel Henriques

    Olá Manuel Luís. Gostei imenso de o ver na entrega de frescos para o frigorífico solidário no bairro do Alvito. Já tinha conhecimento desta acção de solidariedade, porque tenho uma filha que é jornalista na RTP e fez uma reportagem sobre o mesmo para o Portugal em Directo. Havia de haver mais iniciativas destas em outros locais onde existem pessoas carenciadas. Um beijinho e continue fazendo o bem porque embora o Manuel Luís não acredite quem dá aos pobres empresta a Deus e, o Senhor o recompensará. Bem haja.

    Responder
  6. sónia meggi

    meu querido senhor Manuel Luís Goucha, obrigada pela esta partilha.
    Tem toda razão quando diz que todos devemos ajudar uns ao outros com coisas pequeninas, pois faz sempre toda a diferença. Hoje e o meu namorado fomos as compras e estavam lá vários voluntários duma associação do qual não meu recordo bem o nome, e eles vieram nos pedir se podíamos dar uma ajudinha, e para o meu espanto o meu companheiro disse logo que sim, é que no meu caso só eu que gosto sempre dar estas ajudas, e fiquei muito feliz pela atitude dele, no fim gostei tanto de ouvir um obrigado por parte daqueles voluntários pois sei que dei uma grande ajuda apesar de ser coisas básicas mas sei que fará muita diferença. Estamos os dois desempregados mas acho que não é isso que deve impedir de ajudar aos outros. Eu cá por mim gosto de ajudar, não importa que seja com pouco sei que quem receber ficará bastante feliz.
    p.s.: Sr. Manuel saiu cá um bom co-piloto e ainda vamos o ver a conduzir 🙂
    Muitos beijinhos e continue a ser a pessoa que é, para mim é um exemplo de pessoa 🙂

    Responder
  7. Teresa Lamego

    Manuel Luis,se eu já tinha uma admiração por si,agora ainda mais,é mesmo um Senhor. Sou do Norte,mas um grande muito obrigada,

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *