Ir ao Sítio

fotografia1Ao Sítio nunca tinha ido e à vila, propriamente dita, talvez só há muitos anos, muitos mesmo, tantos os que levam aquela que foi a minha viagem de finalistas do liceu, veja só.

Adiante na prosa, que não estou para fazer contas que atestem a minha avançada adultez, que o que quero mesmo é dizer-lhe que me embasbaquei ao perceber que no Sítio há o Largo de Nossa Senhora da Nazaré, com um coreto com mais de cem anos, em ferro profusamente pintado, magnífico exemplar deste género de arquitectura civil, um santuário dedicado ao culto Mariano, o mais antigo e importante do país, antes de aparecer Fátima, rico em pedra, talha dourada, estuque e azulejos do século XVII, tais os valiosos contributos de engrandecimento e recheio de quantos reis se seguiram a D.Fernando, depois deste mandar edificar a igreja primitiva em 1377, e ainda o antigo Paço, com a sua vistosa galilé, que construído no século XVIII, a mando do primeiro duque do Cadaval, passou a albergar a Família Real e seus acompanhantes sempre que vinham em peregrinação (esqueça a casa de artigos regionais que estando por baixo “borra toda a pintura”). Atrás do Santuário ainda merece visita o teatro Chaby Pinheiro, bem mais recente, de 1923, inaugurado com a presença do popular actor da época, que lhe deu nome. E como se tudo isto não bastasse para ficarmos rendidos a todo o conjunto arquitectónico, ainda somos arrebatados pelo que do alto se avista: toda a vila e praia da Nazaré, guardadas pela Senhora das Areias.

Fique para já com as fotos, que em breve mostrarei tudo no Você na TV.

fotografia2 fotografia3 fotografia4 fotografia5 fotografia6 fotografia7 fotografia8 fotografia9 fotografia10 fotografia11 fotografia12 fotografia13 fotografia14

14 comentários a “Ir ao Sítio

  1. Catarina

    Olá Manel,
    Grande homem da comunicação social e Senhor de uma cultura geral invejável! Aprecio o seu trabalho e admiro a sua calma e descontração!
    Adoro cozinhar e gostaria de ter a mesma mão para os doces como tem. Tudo requer prática, certo?
    Espero que o continuemos a ver todos os dias e que continue a celebrar a companhia da Senhora sua mãe da forma soberba como faz!
    Beijinho!

    Responder
  2. Rita Jesus

    Olá Manuel quem me dera estar em Portugal estou a sete anos na suissa e já não vou a ai a sete anos e deu me uma saudade quando vi a linda vila da Nazaré onde eu vendia no mercado fruta muitos e bons anos casei-me e ainda continuei mas mais tarde deixei de vender e foi trabalhar para um lar fins outros trabalhos quando tinha quarenta e dois anos sai do meu país à procura de uma vida melhor com o meu marido e os dois filhos mais velhos fomos para França estivemos um ano e meio lá depois uma irmã que eu não conhecia me chamou para a suissa que me arranjava trabalho onde me enganou é muito pois eu já tinha a minha vida em franca mais ou menos orientada foi atrás de uma ilusão cheguei a suissa nada trabalho para mi nada o meu marido ficou com o trabalho e eu só foi para ela ir de férias no Natal e depois veio foi para assenhora dela eu até hoje nunca mais tive trabalho hoje a minha companhia e a tvi gosto muito de ver o vosso programa e ao ver a Nazaré deu me uma saudade onde eu já tinha sido tão feliz era um trabalho duro mas dava para ser feliz hoje estou aqui tão longe de quem não vejo a sete anos que uma filha minha que está em Portugal e dois netos que não podemos ir visitar porque é só o meu marido a trabalhar e na suissa é bom mas e se for os dois a trabalhar agora se for só um não temos guito para ir de férias tenho muitas saudades do meu Portugal que tão lindo e a vida estou muito triste acreditem que estar na suissa não é fácil tenho duas placas na buca que parecem duas castanholas e não tenho dinheiro para fazer umas novas e só as ponho quando ao sábado vou as compras e lhe ponho cola mesmo assim se não tiver quidado ela a de baixo salta a vida para comigo tem caído muito madrasta foi criada de um casal onde foi muito escrava a respeito de trabalho era muito duro era o campo e vendas e a escola só a quarta classe porque não queriam que eu estodasse porque tinha que trabalhar para eles casei me com 16 anos era muito nova e tive uma filha com essa idade mas eu queria era ter uma vida diferente e tive muito difícil porque o meu marido no princípio era muito vadio e não parava em casa e nem digo mais nada porque foi muito difícil depois mudou tive quatro filhos ao terceiro ele mudou outra vez ai descobri que tinha tido outra mulheres chorei muito tentei o pior mas hoje estou cá e o meu marido desde que saio de Portugal está muito melhor para mi nem parece o mesmo está outra pessoa e tem pena de eu não ter a buca melhor mas eu sei que não é pocivel passo muito fechada em casa pois o alemão é muito difícil e a escola tem que se pagar e não é pocivel e sem dentes também tenho vergonha de sair de casa porque se tiver muito tempo a placa fico com a buca ferida se tivesse ai já tinha pedido ajuda se ouve-se alguém que me ajudasse eu agradecia eu só queria ter umas placas novas era o meu sonho obrigado e continuem assim para eu ver a tvi

    Responder
  3. Maria Ferreira

    De facto é um Sítio lindo.
    Quando regressar aconselho-lhe um restaurante chamado “Sitiado”, em jeito de “tasca”, despretensioso, simples, mas delicioso. Sou de Coimbra e faço viagens de propósito para lá ir.
    Fica a dica.
    Gosto muito do seu blog!
    Maria

    Responder
  4. Margarida Correia Ramos

    Querido Goucha!

    Gosto de tudo o que visita e partilha conosco,mas ainda gosto mais dos seus comentários.
    Excelente comunicador e excelente escritor .Quem me dera ter sido sua aluna para ter o previlégio de aprender a escrever um pouco melhor .Apaixona-me !a escrita ,adoro escrever.Obrigada !!!

    Respeitosamente

    Margarida

    Responder
  5. Pedro Félix

    Não tenho certeza se quando menciona a “Senhora das Areias” se refere à pequena ermida junto ao promontório. Se asim for, trata-se da ” Capela da Memória”, mandada erguer por D. Ruas Roupinho aquando do milagre de Nossa Senhora da Nazaré, que o livrou da morte certa (reza a lenda que o seu cavalo parou junto ao precipício, quando D. Fuas pediu auxílio àquela Virgem, durante a perseguição a um veado, que tinha acabado de cair ao mar). É, portanto, uma ermida em honra a Nossa Senhora da Nazaré, que mantem viva a lenda de D. Fuas Roupinho.
    Com os melhores cumprimentos,
    Um apaixonado pela Nazaré e pela cultura nazarena.

    Responder
    1. Mlg

      Pedro
      Obrigado pelo seu comentário. Quando me refiro à Senhora das Areias, refiro-me à padroeira da Nazaré, Nossa Senhora das Areias. Um abraço

      Responder
  6. Vera Angelico

    Muito feliz por ver pelos seus olhos o Sítio, onde nasci. E o Santuário onde casei. Ontem fui “a correr” à hora de almoço para o ver nas gravações do Masterchef, mas infelizmente já só apanhei as provas. Para quando a reportagem no Você na TV? P.S.- A Nazaré é linda!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *