Geografia sentimental

Nasci em Lisboa e gosto de me saber alfacinha. Vivi parte da infância e botei corpo em Coimbra, tendo a cidade dos estudantes e futricas moldado muito do homem que sou, que os sonhos foi ali que começaram. Logo recusei para mim a falta de rasgo mental. Na Figueira da Foz todos os anos encontrava-me com o mar, pressentido longes paragens para lá da dobra do horizonte.
Dividi-me quase por dez anos entre a capital e o Porto e foi neste que me achei como profissional de televisão, arredado que andava do que deve nortear esta função de ouvir, comentar, divulgar e informar.
Agora é a terra alentejana a agarrar-me com a sua lonjura, com a sua quietude, com os seus cheiros e sons. Não sei que mais irei acrescentar à minha geografia sentimental mas é aqui que quero ficar!

17 comentários a “Geografia sentimental

  1. Maria Sousa

    Olá Manuel.

    Adorei as imagens. As paisagens são maravilhosas.
    Adorei a sua postura ao apresentar o programa de televisão, ontem à noite, fez um brilharete.
    A sua capacidade de argumentação, o vocabulário, simpatia e divertimento foram um sucesso.
    Parabéns por esta golfada de ar fresco.
    Certamente vai ser um sucesso.
    Beijos
    Maria Sousa

    Responder
  2. Sérgio Valente

    Muitos parabéns por tudo o que tem feito e por ser quem é! Nestes dias de descanso, nada melhor que essas paisagens e essas paragens para, domingo, “enfrentar o touro pelos cornos”! A expectativa está alta mas tenho a certeza que será um sucesso. Tudo de bom para mais uma aventura na qual com certeza irá divertir-se e até surpreender.
    Cumprimentos

    Responder
  3. Paula Ribeiro

    Ola Manuel Luís. Sou uma frabde admiradora do seu trabalho. Reconheço no sr uma pessoa humana e muito flexivel tanto na sua carreira como pessoalmente. O seu percurso de vida é uma inspiração para qualquer um. Admiro acima de tudo a sua frontalidade doa a quem doer. É assim mesmo. Só assim se pode ser feliz. Tal como o Manuel já passei por algumas paragens. Hoje vivo em Tabúa, no distrito de Coimbra. Sou mãe de sete filhos. 6rapazes e uma menina. Sou uma mulher feliz. Beijinhos grandes. Ps- continue a ser a pessoa e o ser humano que é. Bem haja

    Responder
  4. Tânia Martins

    Manel o nosso coração, fica agarrado no lugar que nos sentimos plenos e inteiros a transbordar alegria e quietude, onde os sons da natureza são perfeitos e nitidos como uma pura sinfonia.
    Eu também adoro o Alentejo, é uma terra que trás fascínio, cultura e costumes e tradições. E a paz das noites estreladas.
    Muitas Felicidades, pois merece tudo isso porque é um ser humano muito especial. Eu já tive o privilégio de privar consigo em Almoçageme na fisioterapia e nos encontramos por acaso algumas vezes. Um grande BEIJINHO. Da Tânia que foi batizada por si, como a “ganda maluca” . Muito nos rimos…
    Tânia

    Responder
  5. Rita Ferro

    Boa noite
    Nasci também em Lisboa , apesar de ter residido sempre na margem sul ..Almada
    Família paterna em Estremoz e materna em Vila viçosa , vim para as raízes dos meus pais . Abandonei a cidade , vim trabalhar para o Alentejo de onde não mais quero sair . Todos os dias em convívio com os meus animais , vacas , ovelhas , cães , gatos , galinhas e cavalos … aqui sou feliz . Quem ama é para sempre ! Vou sempre acompanhando as suas publicações que tanto admiro ! Beijinho

    Responder
  6. Antónia Marques

    Lindo, lindo tudo ! A prosa, as fotos. as reportagens e o Manel ! Deveria editá-las em livro, aqui deixo a sugestão. Até à próxima semana ! Vou ter uma surpresa para Si … um livro de um Palácio ! Bjns

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *