A ajuda certa

minisom
A gradual perda de audição é algo natural a partir dos 50/55 anos. Vou nos sessenta e um e, sinceramente, ainda não senti que tenha sofrido qualquer alteração da minha capacidade auditiva, contudo estou mais do que nunca atento aos sinais já que há muito falo do tema no nosso programa de todas as manhãs. Não faz é sentido perder-se qualidade de vida como consequência de uma diminuição da audição quando temos ao nosso dispôr os serviços da MiniSom e não importa o ponto do país em que vivamos. Hoje em dia os aparelhos auditivos revelam-se como uma solução de grande eficácia, por serem pequenos, discretos e de grande qualidade técnica. Lá vai tempo em que usar um aparelho auditivo era só por si diminuidor. Hoje ninguém vai perceber que o está a usar. Regularmente tenho-me dado conta do zelo com que qualquer pessoa é tratada nas lojas MiniSom, através das consultas que temos cumpliciado, onde o rigor e profissionalismo do atendimento se aliam à simpatia de trato, na procura da melhor e mais duradoura solução. Nas lojas MiniSom combate-se a solidão, o isolamento, a depressão… que resultam de uma gradual perda de audição. Por isso no programa “Você na TV” temos conhecido casos tocantes de quem viu ser-lhe restituída a qualidade de vida, depois de todo o trabalho desenvolvido pelos audiologistas da MiniSom. E não raras vezes molham-se de lágrimas as palavras de reconhecimento. Por isso, se sente que a sua audição já foi melhor, se não nos percebe tão bem como gostaria e dá por si a aumentar o volume da sua televisão, não espere mais e contacte gratuitamente a MiniSom através de 800 910 400. Continue a ouvir tudo com MiniSom.

6 comentários a “A ajuda certa

  1. elisabete magro

    Olá, Manuel Luís, gostaria mto que pudesse convidar o João e o Luís ( https://www.facebook.com/Jo%C3%A3o-Paulo-Ferreira-Countertenor-1482640785303381/ ) a participar no vosso programa da manhã, no seu e da Cristina, que tanto admiro e me dão horas de boa disposição. O João e o Luís estão em Alcobaça e agora cantam na rua. Sou uma mera espectadora que adoraria ver este sonho realizado. Será uma surpresa para o João e para o Luís. Obrigada. Com os meus melhores cumprimentos. Beta (934687808)

    Responder
  2. Manuela Branca

    Embora a minha Mãe já o tenha feito com a Minisom, respondendo ao criterio do Programa “Você na T.V, já fomos contactadas pela Minisom mas para comprar os dois aparelhos. Eu até já nem insisto mais porque não quero dar ilusões à minha pobre Mãe, .Necessita sim agora mais do que nunca, mas não creio muito…..

    Responder
  3. Mariza

    Goucha, já estive consigo na entrevista dos cães pintados. O meu era o Cão Chita, a dois anos. não sei se se lembra. Convidaram-me a ir ao seu programa da manhã. Estou totalmente desesperada e preciso da sua ajuda. Tive um acidende grave de viação a um ano atrás, onde sucintamente depois de muita coisa, acabei por CAPOTAR na A1 sentido N-S no nó de Estarreja-FEIRA e me deram como culpada porque o carro culpado se colocou em fuga e nao apanharam a matrícula. Até hoje estou fora de trabalho, sem qualquer tipo de rendimentos ou ajudas. Gasto mais de 100€/mes por medicacao, o próprio hospital já me propos ajuda nesse sentido. Estou hospitalizada 3x/semana no Hospital Psiquiatrico de Dia de Aveiro, pois depois de muitos testes e muitos exames, veio-se a saber que afinal tive um Traumatismo Cranio-Encefálico (soube-se em final deste mes de Junho ) onde perdi muitas capadicade cognitivas e psicomotoras, e tive uma rotura na cervical na C1-C2 onde andei de colar cervical rigido 3 meses e ainda nem me chamaram para fisioterapia sequer. Tenho Amnesias instantanias (de repente nao sei onde estou nem para onde vou nem que local é aquele, nada, mas aconteceu logo apos acidente e ainda hoje permanece), como temporarias e permanentes. Estao a tentar trabalhar comigo de forma a recuperar alguma parte cognitiva para ver se consigo ter uma vida mais normal. O pior de tudo sao ter ataques que podem ser vários por dia (3-5) ou vários por semana, de pânico, onde fico totalmente paralisada durante pelo menos meia hora, a 6 horas, incluindo impossibilidade de falar. O que lhe peço, e como amantes de animais, é uma ajuda no sentido de adquirir um cao, pois estou totalmente sem dinheiro, pais velhos e com reformas pequenas e totalmente dependente deles, um cão que me ajude a prevenir estes ataques, um Medical Dog, pela APCA (Associacao Portuguesa de Caes de Assistencia) e que me ajude a pagar a sua certificaçao. Nao o goucha em si, mas arrranjar rapidamente patrocinios em sí. Alem dos meus problemas fisicos causados do acidente, ja tinha outros, e sou auto-imune no sangue, tenho uma doenca rara, que frequentemente entro em picos e por periodos prolongados tenho que fazer tratamentos de morfina para amenizar dores e diminuir inflamacoes. Por favor, sei que AMA CAES e eles também existem para nos ajudar. NAO QUERO UM CAO PARA ME DIVERTIR, PRECISO DE UM CAO PARA DIMINUIR DORES, TER LIBERDADE, PODER SER NOVAMENTE INDEPENDENTE, PODER RECOMEÇAR A TRABALHAR (COM CAES E GATOS CURIOSAMENTE), REDUZIR MEDICACAO PELO MENOS NESTES ATAQUES DE PANICO TAO FREQUENTES E EXTREMAMENTE ESGOTÁVEIS, PRECISO DE UM CAO COMO O MEU COMPLEMENTO. Sei que nao haverá quem se interesse por ajudar. Ja tentei recorrer a camaras municipais, querem projectos, isto demora ENE tempo e nao tenho esse tempo, ja tentei recorrer a empresas, elas querem entidades crediveis por trás e dizem que nao tem dinheiro porque nao se acreditam em alguem que lhes cai do céu, EU TENHO RELATORIOS DO HOSPITAL (embora demasiado tecnicos), nao sei que mais acrescentar. PRECISO DE AJUDA e SEI QUE TEM CORAÇÃO PARA ISSO porque falei consigo no intervalo e depressa me apercebi que o que pensava de si na tv rapidamente se desmistificou nos seus olhos e nas suas palavras ao olhas para os caes a ao falar sobre eles, mais para mais quando lhe disse que o meu chita era adotado….
    POR FAVOR GOUCHA, O QUE POSSO EU FAZER, ONDE POSSO RECORRER, ALGUMA AJUDA? ESTOU DESESPERADA, O MEU CORPO NAO AGUENTA MAIS.
    OBRIGADA POR TUDO!
    MARIZA. deixo o meu contacto: 936950479, maisar@gmail.com.

    Responder
  4. Francisco Sá

    Muito obrigado pelo conselho. Sem duvida que os aparelhos actuais em nada se comparam com os que aqui há uns anos atrás existiam. Por isso não existe “desculpas” para quem precisa, de não usar o aparelho para ter uma melhor qualidade de vida. Abraço

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *