A senhora das palavras

simone1

Não, não é um musical à La Féria, com uma grande montagem, grande produção, grande (em número) elenco, enfim, com tudo em grande! Simone merecê-lo-ia! E nós também!

É porém um espectáculo imperdível pela contenção, pela elegância e sobretudo pelas palavras. As palavras dos poetas que há muito acompanham Simone e ali são cantadas com raiva, dor, enlevo… com alma… como só ela sabe fazer, e as de Tiago Torres da Silva, o autor, a quem nunca falta a pena, do que vemos em cena. É nas palavras que me demoro, esquecendo na sua grandeza a quase ausência de cenografia. É com as vozes de Sissi, Marta Andrino, Rúben Madureira e FF que me espanto e na sua qualidade esqueço a fragilidade de algumas marcações de cena.

É com Maria João Abreu e José Raposo que me deslumbro e na enormidade do seu talento de composição amacio o desejo em querer ver mais oficiantes em palco.

É com Simone que me comovo, por tantas que nela vivem, feitas de audácia, de rebeldia, de coerência, de insubmissão… de liberdade. Imagino a sua felicidade ao ver-se, noite após noite, coroada, de pé, por intermináveis aplausos e gratos bravos. Imagino-a de coração cheio regressando ao seu “pombal”, noite após noite, para no silêncio, o sítio onde se grita, continuar a celebração com os seus fantasmas.

Não, o musical Simone não tem o luxo e o aparato das grandes produções (talvez, nem tivesse de ter) tem porém a verdade dos poetas e são as palavras que se vestem de gala! E é Simone, sem “emenda(s)”, que as entretela.

simone2 simone3 simone4 simone5 simone6 simone7 simone8

Simone, o musical

Em cena no Teatro Tivoli – Lisboa

10 e 11 Novembro no Coliseu – Porto

17 e 18 Novembro no CAE – Figueira da Foz

7 comentários a “A senhora das palavras

  1. Otília Costa

    Sem dúvida as merecidas palmas a Simone, . Assim mesmo ali de pé, palmas e mais palmas com a certeza de que Simone ficará eternamente nas nossas vidas. Assistir no Tivoli à sua “historia” de vida leva-me a recordar a tarde que passei com Simone no seu pombal em que a mesma “historia” me foi contada por ela .Sim é sempre igual ! Como ela diz ” a minha vida é isto, não tive mais nenhuma !”.

    Responder
  2. Lurdes

    Eu também fui no mesmo dia que o Manuel mas isso não importa o que é importante é o espectáculo que aqueles artistas fazem desde a representação até ao canto e a categoria da D.Simone que com a sua idade ainda ali está para fazer ver a muitas Parabéns continue

    Responder
  3. Milu Baptista

    Li algures um excerto de uma entrevista a Simone de Oliveira…
    “Se eu gostava de ter menos 250 rugas? Claro, sobretudo de manhã quando acordo, só tendo dormido duas horas, olho ao espelho e fico ‘ai que susto’ mas depois lá dou um jeitinho e a coisa passa. Não vivo obcecada com isto.”
    Simone de Oliveira confessa ser contra as cirurgias plásticas.
    “A pessoa perde a personalidade, o sorriso não é igual, os olhos falam de outra maneira, a boca fica sempre diferente. Aceito que as pessoas queiram ser mais novas mas eu não quero. Quero parecer uma mulher com a idade que tenho, feliz com a sua pele e com o seu corpo. Se vamos vivendo e mudando, também vamos tendo a pele que a vida nos vai dando”.

    Amen!

    Eu venero esta SENHORA.

    Responder
  4. Ludovina eirinha

    Que texto tao rico de saber e bom portugues
    O que e raro hoje em dia
    O Manuel Luis e uma senhor com uma bagagem cultural fora do comum com uma escrita refinadissima
    Parabens

    Responder
  5. Margarida Carvalheda

    A minha Mãe com 88 anos foi ver c/ uma vizinha de 82 e vinha encantada, posso mesmo dizer derretida. Calhou ligar-lhe na altura que chegou a casa e nem se estava a importar c/ as horas, (para jantar já eram 21H), ela adorou todos os artistas. Um Abraço Manuel Luis

    Responder
  6. Célia Ramos

    Pode não ser um espectáculo à Lá Féria, mas é uma homenagem em vida, como eu acho que devem ser todas homenagens, e a Simone merece que assim seja.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *