Quem precisa de quem?

Com o aparecimento das redes sociais não há dúvida que os papéis se inverteram. Hoje são as pessoas conhecidas e estimadas por centenas ou milhares de fãs que, através das suas plataformas digitais, fazem a sua própria notícia, dando a conhecer o que bem entendem da sua vida profissional e/ou pessoal e são as revistas e jornais (os que se interessam por essas figuras, evidentemente) que andam a reboque do que é partilhado nos respectivos Facebook, Instagram, blogues, entre outros produtos digitais, alimentando assim páginas inteiras das suas publicações em papel, e notícias nas suas próprias plataformas.
Hoje mais do que nunca impõe-se a questão: “quem precisa de quem?”.
Falo por mim: se o meu mural no Facebook (Manuel Luis Goucha – TVI) é, acima de tudo, uma verdadeira ferramenta de trabalho de apoio ao programa que apresento diariamente na TVI, para divulgação de conteúdos e tomada de conhecimento de muitos assuntos passíveis de serem levados à antena, este meu blogue existe porque gosto de escrever e de partilhar opiniões sobre o que aprecio, o que vejo, o que sinto, o que faz sentido na minha vida. Por isso a maior parte das minhas publicações terá a ver com viagens, espectáculos, livros, exposições, casas com história, memórias … entre muitos outros estados de encantamento, nele cabendo também as receitas cá de casa ou a descoberta de um bom vinho, entre outros prazeres mais prosaicos mas que igualmente fazem o que homem que sou! Já no Instagram, procuro justificar o gosto autodidacta que tenho pela Fotografia. É ver-me sempre de máquina em riste à procura de um outro olhar, de uma outra perspectiva, por vezes a vontade de eternizar o que não é repetível!!
Confesso que ao alimentar, por prazer, o meu blogue e Instagram, com alguma regularidade, num exercício de sincera partilha com quem me segue e muitos milhares serão conforme é visível pelo número de gostos, comentários e visualizações, esqueço-me que estou igualmente a alimentar quantos vasculham as redes sociais das figuras conhecidas em muitas casos à procura de “lenha” para as “chamuscar” ou ridicularizar. Basta adulterar o sentido do que é partilhado, descontextualizando afirmações ou redescrevendo um texto.
Tomemos por exemplo a notícia publicada ontem no sítio da revista “Nova Gente” sobre as minhas actuais férias que têm decorrido no sul do país, redigida a partir do que tenho mostrado nas minhas redes sociais.

Vamos por partes:
“Manuel Luis Goucha e Rui Oliveira escolheram o refúgio do Monte de Monforte para fazer férias”
– por certo quem escreveu sabe que no Alentejo dá-se a designação de “monte” à casa da herdade, por muito grande ou pequena que esta seja, não se tratando neste caso de uma unidade de turismo rural onde me tenha hospedado e tantas há, magníficas, por esse Alentejo fora, mas sim do monte da Herdade da Pesqueirinha, a nossa herdade no concelho de Monforte. A ser assim, nada a dizer!
Já o parágrafo seguinte denota canhastrice ou ignorância:
“Os dois andaram de caiaque insuflável junto à baragem de Fronteira e fizeram ainda um piquenique nas margens deste rio”.
  • Comecemos pela palavra barragem que leva dois erres, mas admito que tenha sido apenas uma gralha gulosa, agora que seja a barragem de Fronteira!!! Desconhece quem escreve que muitas herdades terão a sua própria barragem, como presa de águas de nascente e da chuva, e outras terão charcas. Neste caso piquenicámos, sim senhor, nas margens do lago e não de um rio, da barragem da nossa herdade.
Conclui a notícia:
“Já em terra firme os dois pombinhos regaram a refeição com um branco fresquinho de Terras de Alter e comeram uma piza congelada!”
– Saboreámos sim um branco fresquinho da adega “Terras de Alter” que tem sede em Fronteira, mas o que não suporto é a graçola dos “dois pombinhos”! Também a revista VIP resolveu dizer, fazendo o mesmo exercício de rapinagem, que andávamos em “lua de mel”. Ó senhores deixem-se de mariquices ridículas que aqui o que vêem são dois homens que, sim, vivem juntos há vinte anos porque gostam um do outro e nada mais! Tão natural e uns quantos manhosos a quererem torná-lo anormalmente grotesco, para que depois venham os néscios do costume bolsar ódios e frustrações. Nada é inocente!
No topo da notícia do site convida-se o leitor à assinatura da revista, pressuponho que na sua versão digital. Para quê? – pergunto eu, se hoje em dia basta procurar nas redes sociais, das figuras que se apreciam, aquilo que nos interessa saber, de forma credível e com um maior alcance. Por mim falo, quantas tiragens de uma revista serão necessárias para atingir um milhão de pessoas (tantas as que tenho, orgulhosamente, por exemplo, no meu Facebook!)? Afinal e voltando à questão: “quem precisa de quem?”. Felizmente que jornalismo ainda é outra coisa!

57 comentários a “Quem precisa de quem?

  1. Maria Sousa

    Boa Tarde Manuel

    Boas Férias e aproveite bem os seus dias, daqui a pouco já está de volta ao écran e o resto são “cantigas”.

    Beijinhos

    Maria Sousa

    Responder
  2. Odete cruz

    Tenho muita admiração pelo seu trabalho ao longo da sua carreira e pela PESSOA que é .Direto o que eu gosto nas pessoas.Tudo o que respeita á sua vida particular .OS CÃES LADRAM E A CARAVANA PASSA.Certas pessoas são mesquinhas e invejosas,tacanhas coitadas.Não os conheço pessoalmente ,mas se o SR me permite e ao seu companheiro .ENVIO-LHE UM GRANDE ,GRANDE BEIJINHO DO CORAÇÃO.

    Responder
  3. Paula Francisca

    Ora aqui está mais um chá servido em bandeja de prata… Por isto e por tantas outras coisas tiro-lhe o chapéu.
    Quanto ao chá que serviu… tenho para mim que pôs a mesa com o bom gosto que o caracteriza.

    Responder
  4. Paula Ferreira Cruz

    Eu também tenho admiração pelo Manuel Luis Goucha, pelo que vejo e leio. Já sigo este blog há algum tempo e gosto muito da maneira como escreve, das fotografias que são lindas, das histórias, enfim… mas aquilo que adoro, é ver a maneira como trata os animais e o amor que lhes tem, parece-me que por qualquer que seja, dos cães e gatos aos bichos do mato. E já “alguem” disse… “a compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana”, eu acho que tinha razão!

    Responder
  5. José pereira

    Manuel Luis Goucha

    Acompanho seu desempenho profissional desde os tempos em que era apenas mais um longe da fama que o tempo as oportunidades e esforço lhe troxeram. Acompanhei a sua evolução profissional e pessoal e devo dizer que em ambos evoluiu positivamente. Contudo acabou por ceder no tipo de formatos que apresenta e às redes sociais. Pergunto se tem necessidade disso. Por mais que tente parecer genuíno acaba sempre por soar um pouco a forçado para quem for mais atento e tenha acompanhado o seu percurso. Claro há muitas pessoas a viver em solidão e sem grande capacidade de análise que o vão idolatrar e não as censuro por isso se dessa forma se sentirem melhor. Mesmo em reação à sua homossexualidade e à sua relação não percebo porque sente necessidade de a propósito de tudo expo-las. Já chega!
    Entenda este meu comentário não como depreciativo mas acho que o contágio de outras figuras públicas que usam esse tipo de estratagemas o faz perder por vezes um pouco de lucidez e da conduta e postura a que nos habituou e fez reconhecer o seu valor.
    Presumo que este comentário não será publicado mas se o Manuel Luís Goucha por instantes se de tiver na sua leitura já me darei por satisfeito.
    Um abraço.

    José Pereira

    Responder
    1. Ermelinda ferro

      Quanta dor de cotovelo ( para ser decente não utilizo a real, mas para bom entendedor….). Voltando há dor do dito cujo…. vale tudo para vender revistas. Qual o problema de se mostrar com o companheiro? Alguém está com inveja? Haja pachorra para tanta falta de senso. Como o meu pai dizia “os cães ladram e a caravana passa”. Boas férias e….. Sejamfelizes………

      Responder
  6. Sérgio Paulo

    Primeiro que tudo desejo umas boas férias a todos, até “aos mesquinhos” que nada têm para fazer e tentam interferir na vida de terceiros.
    Depois, além de salutar a pessoa que o é (Sr. Manuel Goucha), quero manifestar que só tenho pena que não tenhamos muitos, mas muitos “Manueis Luís Gouchas” no país.
    Eventualmente teríamos muito, mas muito menos “parasitas” com mentes de escárnio e mal dizer.
    Continuação de umas boas e merecidas férias com muita alegria e saúde Sr. Manuel Goucha e Sr. Rui.

    Responder
  7. Gabriela

    nem mais! Jornalismo? Cada vez há menos jornalistas sérios. Ainda ontem me contou-me uma pessoa que já teve um alto cargo no país que numa entrevista que lhe foi feita há pouco tempo, disse uma coisa é outra foi publicada. Confrontada “ a jornalista” respondeu que como não concordava com o que ele lhe tinha dito, publicou a “ sua” própria opinião…

    Responder
  8. Maria

    Temos que levar com cada palerma na vida, Jornalismo de nojo este,isto de andar a copiar e relatar o que todos vemos nas páginas das próprias pessoas é cá de uma inteligência… Valha-nos Deus. Haja paciência

    Responder
  9. Antónia Ramalho

    Boa noite Manel, por acaso vi essas parvoíces que escreveram so com o fim de venderem gato por lebre. Dão -me nojo estas notícias pois qualquer pessoa que segue o seu Fb, Instagram e blogue, e que como eu o faz porque o admiro como ser humano de um enorme coração e simplicidade, não pode ficar indiferente a essas conversas logo se vê são fruto de mentes preversas e afinal invejosas da vossa vida desafogada e feliz. Eu gosto de ver felicidade nas pessoas que gosto e admiro, e tanto o Manel como o Rui eu gosto , com carinho e admiração. Tenho tido mais oportunidade de encontrar o Rui, ainda agora pelo Monforte ex libris nos cruzamos algumas vezes e sempre nos cumprimentamos e sinto que sou um bocadinho” amiga”, se assim o posso chamar, porque é com muita amizade e carinho que sigo tudo que ambos publicam e partilham conosco e que agradeço pois há muitas coisas e locais que me dão um bocadinho a conhecer, para não falar nas receitas. A propósito, hoje fui a Portalegre e comprei umas limas e gengibre pois quero fazer a receita do vosso mousse de chocolate. Pronto Manel, continuo à espera do livro com as receitas do monte para depois me o autografarem como os outros dois e não vamos ligar mais importância a gentinha medíocre e àqueles que nos comentários vomitam todas as coisas que dizem e fazem-no , só porque sim, não teem vida própria e são uns tristes e mal amados. Um resto de boas férias , continuem a mostrar coisas bonitas e receitas boas e sejam muito mas mesmo muito felizes é o que vos deseja está velha que nutre muito carinho por vocês. Beijinhos e abraços . Tonita

    Responder
  10. Ana Maria Pinto

    O Manuel isto é só para vender papel,a vida é sua e ninguém tem nada com isso Manuel Luís e para o lado kkk dorme melhor. Beijinhos e boas férias

    Responder
  11. Ana

    Grande homem o Manuel Luís. Sem papas na língua. Tem que ver o lado positivo da coisa. Estas revistas não têm assunto. Precisam de alguém como o Manel e a Cristina para poderem vender. E com o dizia à uns tempos, precisam da sua ajuda para pagarem os ordenados……Sim porque o Manel e a Cristina fazem vender revistas. Só é pena as pessoas não saberem distinguir o que é verdade e o que é mentira. Continue assim pois é uma pessoa fantástica. E embora não conhecendo bem o rui parece-me que não fica atrás. Fazem um casal lindo. SEJAM FELIZES

    Responder
  12. Josefina Barbosa

    Manel ignore estes comentários mesquinhos de quem nada tem pra fazer. Tomara muitos terem relações sólidas como a vossa de tantos anos….a inveja e a mesquinhez é muito feio. Viva a vida é c*** pro resto bj. Sou sua fã

    Responder
    1. Andre Silva

      Senhor Manuel Luis goucha, gostaria muito de o contactar , não sei como fazer pois aqui não é permitido enviar-lhe uma mensagem privada. Caso visualize esta minha publicação , agradecia imenso que pudesse falar comigo.
      Muito obrigado, cumprimentos

      Responder
    2. Ana Maria Pinto

      O Manuel isto é só para vender papel,a vida é sua e ninguém tem nada com isso Manuel Luís e para o lado kkk dorme melhor. Beijinhos e boas férias

      Responder
  13. Paula Guerreiro

    Manuel Luís e Rui, nunca ouviram a expressão “só respondo a ignorantes quando estou distraído”?
    Decididamente existe muita inveja!
    Inveja da boa qualidade de vida, pela qual lutaram.
    Inveja da felicidade, que construíram.
    Inveja de poderem usufruir desse paraíso.
    Saibam que nunca me dignei a escrever comentários mas hoje, desculpem a expressão…PASSEI-ME!
    Às revistas “pequeninas” com gente “pequenina”, lembrem-se que tudo o que fazemos ou desejamos pode ser recebido de volta em dobro.
    A si Manuel Luís (e Rui) continuem por favor a dar lições de grandeza a vários níveis!

    Responder
    1. Victor Lavoura

      Acho bem que a felicidade do Goucha seja só dele é do Marido pois as pessoas têm que começar a respeitar isso ou não vivemos num País totalmente Democrático . As bocas são sempre de pessoas muito ignorantes que nunca evoluíram é essa a razão das cubissas da falta generosidade do povo português e dos médias .
      Abraços aos dois e boas férias

      Responder
  14. Maria Marta

    Excelente MLG, é mesmo assim. Obrigada pelo ser Humano maravilhoso que é. Continuação de boas férias…regadas com um bom branquinho. Bj

    Responder
  15. Fernanda

    Olá Sr. Manuel Gocha é só para lhe dizer que o admiro pela sua honestidade e sinceridade. Adoro-vos a você e á Cristina muitos parabéns pelos vossos programas e muitas felicidades bjhns. ‍♀️

    Responder
  16. Susana

    Manuel Luís porque se da ao trabalho de justificar o que quer que seja, fazendo ainda publicidade gratuita as revistas? Há muita dor de cotovelo por aí . Continuação de boas férias para os dois. Beijinhos

    Responder
  17. Ana Duarte

    Sr Lui Goucha, muito bem este seu artigo. Assim como muitos outros que têm escrito. Admiro o seu trabalho e a sua postura na vida que me é possível ver. Desejo-lhe uma vida muito feliz. Um bem haja!!

    Responder
  18. João

    Para além dos erros terminológicos e a gralha (que também não falta no presente texto do MLG, veja-se a uso indevido da palavra “vêm”, em vez de “veem” ou quanto muito, para quem erradamente teima em usar o acordo anterior, “vêem”), não vejo nada de mal na notícia…
    Qual o problema do uso da palavra pombinhos para descrever dois homens que gostam um do outro? Acho que não importância nenhuma, não é motivo de discussão. Não percebo o motivo da ofensa. A palavra é utilizada para descrever casais. E foi aqui usada com o mesmo propósito.

    Já quanto ao uso da palavra maricas ou mariquices: desaprovo!

    Responder
  19. Alexandra Fernandes

    Parabens,por ser quem é,a favor da verdade.
    Continuação de boas ferias,e obrigada por partilharem a vossa felicidade.
    Continuem assim felizes.
    Bjinhos.

    Responder
  20. Rosa Maria Ferreira Costa

    Adorei Manuel Luís!
    E depois vêm falar em jornalismo sério…!
    Sabem que mais….façam o favor de serem felizes!
    Beijinhos !

    Responder
  21. Vanda Costa

    PARABÉNS Manuel Luís pela resposta dada de forma educada e simples, realmente quem precisa de quem…. estas revistas cada vez interessam menos, é a minha opiniao
    Sejam felizes

    Responder
  22. Maria José

    Manel permita-me que o trate assim pois somos da mesma geração (educada e com princípios). Admiro a sua frontalidade e acho que o problema dos pseudo jornalistas de certas revistas é dos cotovelos ( dor).
    Um beijinho grande extensível ao Rui.

    Responder
  23. Helena Santos

    Presumo que dentro de alguns anos (poucos) essas revistas abram falência. Não merecem outra coisa. Parabéns por colocar os pontos nos iiiisss. Há gente que não se vê ao espelho e vomitam toda e qualquer bilis podre que existe dentro deles. Sejam felizes e desfrutem de tudo a que têm direito.

    Responder
  24. Regina

    É mesmo por isso que gosto tanto de si! Sem papas na língua, mas sem ofender ninguém, vai dizendo, de forma sublime, o que lhe vai na alma…

    Responder
  25. Manu

    Top…há os que sabem ser felizes e depois temos os ressabiados(e são tantos, infelizmente) que não sabendo ser felizes, tentam ridicularizar a felicidade alheia. Umas latinhas de nivea, acalmariam muita dor de cotovelo .
    Boas férias

    Responder
  26. Maria de Fátima Pereira Mesquita

    Ah!Ah Ah ! MLG! Só o ML para me fazer rir a Est a hora da manhã enquanto tomo o cafezinho numa cafetaria ( pequenino espaço mas agradável e muito calmo tirando os meses de Verão, que teima em não chegar aqui ) à beira de casa – vivo em frente ao mar no litoral Norte – antes de “mergulhar” no trabalho … gosto muito de ler o que escreve e o que me dá a conhecer porque me transmite muito conhecimento, de uma forma geral, e adoro as suas fotos. Já saberá, por certo. ( quem me dera!) que sou maluca por fotografia e por isso é pelo ser humano que é, fico sempre bem disposta sempre que leio tudo i que põe no blogue.
    O resto é oco demais para mim
    Continuação de excelente férias e OBRIGADA pelo que escreve e pelos momentos instantâneos e irrepetiveis que são as fotos.

    Responder
  27. Teresa Couto

    Felicidades aos dois. Infelizmente também eu vítima (não de revistas porque não sou figura pública), mas da maldade e inveja de pessoas mal resolvidas, sofri na pele comentários maldosos que me prejudicaram um casamento e até a relação com os meus filhos. Não há defesa possível contra boatos!. Somos logo julgados e condenados em praça pública e nos deixam cicatrizes profundas para o resto da vida. Gosto muito de si, como pessoa e como profissional,. Admiro o seu percurso de vida, na capacidade que hoje tem de enfrentar as críticas e na frontalidade de resposta. Parabéns a si e ao Rui que acredito ter um sentido de humor igual a si. São maravilhosos. Beijos

    Responder
  28. Ana Paula Cardoso

    Boa resposta Manuel Luis .As revistas escrevem sobre as pessoas ,verdades ,mentiras ,meias verdades mas acima de tudo gostam de fazerem as pessoas parecerem ridiculas.Mas mais uma vez deu-lhes uma bofetada de luva branca .Seja muito feliz .

    Responder
  29. Patrícia Queirós

    Manuel Luís por favor não deixe de publicar aqueles deliciosos vídeos no Instagram, os comentários são parvos e descabidos! O comentário que Eu vou eleger dessas revistas é : “ Férias pobres com comida congelada, acabou o dinheiro, pobrezinhos “ foi assim que Eu interpretei !!!! Upsss não acabou?!
    Adoro-o mesmo, esse humor inteligente e negro, que Eu percebo tão bem…. Só me resta dizer que sou do Norte, mas se precisar de um prato de comida apareça, cabem sempre mais dois! Beijinhos com muito carinho

    Responder
  30. Carina

    Sr. Manuel eles são pequeninos. É tudo para vender no fundo são pessoas frustradas e invejosas por não serem tão felizes como vocês, duas pessoas que se amam e principalmente que se respeitam.
    Sejam felizes e ignorem estas mentes sujas.

    Responder
  31. Luísa Santos

    Parabéns, Manuel Luís, por pôr a nu as fragilidades do pseudo jornalismo.
    Felizmente tem capacidade e visibilidade para se defender deste tipo de notícia.
    Obrigada por todos aqueles que o não conseguem fazer.
    Luísa Santos

    Responder
  32. Fernanda Calçada

    Desculpe Manuel Luís Goucha, mas o senhor é o máximo… palmas para si, não só pelo excelente texto, mas por se dar ao trabalho de o escrever. SIM!… porque eu não sei se eles “revista” o sabem ler. Acho que é como aquele ditado “dar perolas a porcos”. FELICIDADES para vocês e continuação de boas férias.
    Fcalçada

    Responder
  33. Luca

    Manel, como sempre exemplar!!! Por isso gosto de si há tantos anos… desde o tempo do bigode e camisa amarela.
    Em relação aos erros dos jornalistas muito haveria para dizer.
    Adoro as vossas fotos, sempre fantásticas. E vocês dois são giríssimos. Bj

    Responder
  34. Maria Xavier

    Oh Manuel Luis Goucha nem se dê ao trabalho e nem tire tempo do seu descanso para responder a esta gente…o povo português já lhes conhece a manhã e daqui a muito pouco já passaram à história.
    Continuação de umas excelentes férias.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *