Onde Judas perdeu as botas! (*)

foto1Andava há anos para lá ir, mas por um motivo ou outro acabava sempre por adiar a viagem e escolher outro destino. Talvez fosse a distância a desencorajar-me, que não sou muito de andar de “cu tremido”.

Desta é que foi, juntando-se o útil ao agradável, já que a prova de equipas do Masterchef era ali que decorria. Foi todo um sábado glorioso, num espaço único entre Palácio Hotel, Spa e floresta. A história do local, enquanto unidade hoteleira ligada ao termalismo, remete-nos aos idos da monarquia, já que o projecto ganha forma ainda no reinado de D. Carlos e por sua própria vontade. Contudo, a família real acaba por não usufruir dele, já que foi inaugurado um dia depois de implantada a República
(6 de Outubro de 1910). Outros sim, nomes grados da aristocracia portuguesa e europeia, o terão frequentado amiúde, em busca das virtudes terapêuticas das águas minerais de Vidago, conferindo-lhe assim o gabarito de um dos mais luxuosos hotéis da península.

Com o correr dos anos, o hotel viu-se ultrapassado por uma oferta internacional mais diversificada e padrões de luxo mais elevados. O próprio conceito de “cura pelas águas” perde fulgor, pelo que o lustro de décadas acaba por ficar apenas guardado em documentos e memórias.

foto2foto3foto4Em 2010, cem anos após a sua inauguração, o Palace Vidago Hotel reabre, após quatro anos de intensas obras de recuperação, devolvendo-lhe o esplendor da “Belle Epoque” sem esquecer as exigências de uma hotelaria de luxo moderna e aguerrida. Respeitaram-se identidade e património, honrando-se assim toda uma arte de viver. Dá gosto sabê-lo nosso, ombreando com o que de melhor, no género, há na estranja.

foto5Fomos de véspera, com jantarada aprazada no restaurante DOC, do chef Rui Paula, em Folgosa, entre a Régua e o Pinhão, sempre com o rio de ouro nos olhos, para ali visionarmos  o primeiro dos programas (onde isso já vai!). Confesso que não sou nada de ir em grupos, que do que gosto mesmo é de sossego, por isso fui todo o caminho a rezingar, para acabar, aliás como sempre, por me juntar aos outros e até me divertir (bom, convenhamos que fui o primeiro a “dar de frosques” em chegada a meia-noite, que oito horinhas de sono ninguém me pode tirar).

foto6Às dez da matina já éramos na escadaria, saudando os oito concorrentes que se mantinham em prova e anunciando-lhes um dia de folga, para assim poderem usufruir dos encantos do local. Um mimo, em jeito de recompensa, pela evolução mostrada no programa anterior. Apenas teriam de almoçar e assumir a tarefa de escolher os novos pratos para a ementa do restaurante do hotel, a partir das propostas sugeridas pela brigada do chef Rui Paula, já que este é também o responsável pela qualidade do restaurante gourmet (este homem não para!). Em momento algum desconfiaram que se tratava de uma peta e das valentes. Iriam,  sim, provar as receitas dos antigos colegas, chamados, de novo, à função, com vista a um deles ser “repescado”.

foto7Para isso cozinharam, às escondidas, na cozinha do “Club House” (o local onde se reúnem os golfistas para comer e dar na cerveja), longe de olhares indiscretos e supervisionados pelo chef Rui Paula, que lá voltou a praguejar, com os atabalhoamentos da ordem. Este homem é do Norte, não manda dizer!

foto8 foto9foto10foto11 foto12 foto13 foto14Enquanto isso, nada me tirou do sério, antes pelo contrário, já que tinha todo o tempo da prova para deambular pelo magnífico parque natural do hotel, entre trilhos e espelhos de água. É como que um manto verde a proteger o palácio e quantos nele se acoitam.

foto15foto16Ao almoço, regado com cerveja “Super Bock”, nas suas versões clássica e de luxo, foi divertido ver e ouvir os concorrentes estranhando o primarismo de um ou outro empratamento, mas tanto eu como o chef Miguel conseguimos desviar atenções e até corroborámos na estranheza, para que de nada desconfiassem. Missão cumprida, a ver pelas caras de espanto e explosões de alegria quando, por fim, se desvendaram os autores dos pratos. Foi emocionante ver como a amizade, que une quantos passaram pelo Masterchef, se sobrepõe à, por vezes, dura competição.
Ganhou a Rosa o direito de ao programa voltar, logo ela cuja saída tanto sururu havia causado, por ser das mais queridas do público. Pena é que tenha sido “entrada por saída”, que a coisa não lhe correu bem na prova de eliminação, à conta de uns desenxabidos tomates recheados.

Mas não seria a única a sair de prova, que o programa tem destas pequenas safadezas. E cabe-me, quase sempre, anunciá-las com um esboço de sorriso melífluo, que as minhas antigas teatrices não permitem esquecer.

foto17 foto18 foto19Coube à Rosa a distribuição do pescado, que esse era o tema da prova seguinte já na cozinha do Masterchef.
E quase ninguém se queixou, apenas o Luis foi a excepção. Não achou bonita a escolha do bonito, por nela pressentir a vontade da Rosa em o ver borda fora, não sem antes passar pela prova de eliminação. E não é que o conseguiu?!

Pedia-se, acima de tudo, respeito pela fresquidão do produto, só por si “meio caminho” para o sucesso da contenda. O desafio correu particularmente bem ao Filipe, que nos apresentou um salmão, em toda a sua maciez, acompanhado por uma belíssima massa fresca feita na hora. O jovem de Almada tem-se revelado dedicado e interessado, tudo procurando absorver, pelo que tem progredido semana após semana. O facto mereceu rasgados elogios, mas a questão impõe-se: até onde conseguirá ir, agora que estamos a três programas da final?

foto20 foto21 foto22Tomate e mais tomate, este foi o mote da última das provas, e ali se apresentou ele em, apenas, algumas das suas muitas variedades ( mais de quinze mil, fique sabendo!). Mesmo assim,  nem todos eram conhecidos pela maioria dos concorrentes. Mérito maior de um programa, este de dar a conhecer produtos e de convidar à sua utilização.

foto23Era o caso do tomate “coração de boi”, o maior e mais carnoso de quantos a nossa montra garbosamente exibia. O Luis conhecia-o, claro, e lá volta ele à baila, ou não fosse dos mais interessados nos sabores e saberes da terra. Ninguém lhe fica indiferente, pela sua postura confiante e dominadora, mas deixemos esses considerandos para quando lhe dedicar um naco de prosa. E não será hoje que…

foto24…desta foi também a Ana Rita, a jovem de Vila do Conde, a deixar o Masterchef. Na minha memória fica, acima de tudo, o seu sorriso. Um sorriso franco, sereno, pacificador. E ainda o seu talento culinário de que soube dar provas. Tenho a certeza que a experiência lhe rasgou horizontes e que dela saberá tirar o melhor dos proveitos. Tem sido, aliás, uma constante entre todos os ex-concorrentes: o Masterchef mudou-lhes, em parte, as suas vidas, apontando novos caminhos ou confirmando opções entretanto tomadas. Felicidades, Ana Rita! Por certo que o seus se orgulham de tão gentil prestação.

No próximo sábado:

foto25O “croquembouche” ganha honras de protagonista (também pudera!), sendo peça de grande aparato da pastelaria francesa. Será que os concorrentes vão conseguir
reproduzi-lo?

Será mais um programa empolgante com um final surpreendente, a fazer “engolir” muitos dos soezes comentários que sobre Miguel Rocha Vieira foram feitos. Não vejo a hora…

(*) expressão popular da língua portuguesa usada para exprimir um lugar distante.

www.vidagopalacehotel.com
www.ruipaula.com

24 comentários a “Onde Judas perdeu as botas! (*)

  1. Margarida Saraiva

    Dei por mim a olhar as fotografias que amavelmente partilhou com os seguidores e a absorver as suas palavras ( Visita guiada ao seu escritório ) que efeito apaziguador tiveram em mim! Por razões que não vem ao caso,tenho tido graves problemas de me reencontrar tais as ” adaptações ” que a vida me tem exigido,ou que eu tenho permitido,enfim…mas quando descreveu o seu escritório,o ambiente calmo,cheio de livros ,eu fiquei a ” babar”, sim desculpe a expressão,mas até com os lápis e sobretudo com as chamadas” canetas de tinta permanente .”..que saudades! Eu sou assim,eu era assim, é por aí que tenho de me voltar a encontrar! A devoradora de livros,a incansável curiosa,agora amarfanhada no vazio de um sofá ,nada tem a ver comigo…e não vale a pena abrir mão do que somos,pois felizes não seremos se perdermos a nossa essência! Obrigada por partilhar,obrigada pela descrição enfática e pormenorizada…eu revi-me nela,e agora já tenho por onde começar!

    Responder
  2. Cátia Penso

    Olá…
    Sou de Chaves e são poucas as vezes que se vê pessoas tão importantes nas nossas cidades.
    De facto Vidago é um lugar muito bonito e o Hotel muito bem organizado e com lugares encantadores para se passear ao ar livre. Manuel passe a palavra e diga aos seus amigos para ver se esta zona norte se desenvolve um pouco e se dinamiza mais. Porque para além de Vidago a 18km encontra-se Chaves que por sinal tem a água termal mais quente do país com 75ºc, e muito bem localizada numa zona bastante bonita.
    Beijinhos

    Responder
  3. RAQUEL SILVA

    Manuel Luís, pus-me frente ao computador a ler os seus escritos que são um deleite. O tema por vezes não é
    o mais importante, mas quando se começa vai-se lendo e lendo pela sua escrita de quem ama e respeita a nossa língua mãe.
    Como sabe gosto muito de si e merece-me todo o respeito pela sua maneira de ser, pelo trabalho meritório, a sua entrega em tudo o que faz. Neste último o Master Chef foi o máximo, foi um senhor que se sedestacou dos chefes, pela sua elegância de dizer o que estava menos bem. A Tvi devia criar outro programa diferente onde o Manel o prtagoniza-se, decerto que seria um êxito.
    Beijinho.

    Responder
  4. Filipe Lage

    Bom dia Sr. Manuel Luis Goucha,

    acompanho com muito gosto o seu trabalho desde os tempos da Praça da Alegria na RTP e até antes disso alguns trabalhos seus na área da culinária.

    Tem evoluído de uma forma brilhante todos estes anos. Tem uma experiência fantástica, um português cuidado e admirável.

    É com muita honra que o acompanho principalmente no Você na TV (quando posso devido aos compromissos profissionais) e no Masterchef que são dois programas fenomenais.

    Admiro a sua personalidade.
    O Sr. está como o vinho do Porto, quanto mais velho melhor! 🙂

    Saúde e sucesso na sua vida e na sua carreira.

    Filipe
    Sintra

    Responder
  5. Cristina

    Manuel Luis … Mais um excelente programa … Adorei, alias como tenho adorado todo o programa, que espero que nao fique apenas por este, e que haja proximos !

    Adoro a forma, como valorizam o trabalho .. Vejo isso e refiro-me ao Filipe que no meu ver merecia mesmo vencer o programa. Tem aproveitado ao maximo para aprender mais e mais …

    Ontem foi dia da mae.. Fiz uma sobremesa, receita que tirei do masterchef e todos adoraram … O bolo de chocolate com calda de frutos vermelhos, da caixa misterio da rosa !!

    Muitos parabens, ADORO o masterchef

    Responder
  6. Rúben Neves

    O Manuel Luis Goucha, é um profissional notável! Desde que ando mas lides da comunicação (apresentação de eventos, rádio, tv, entrevistas, debates) que sigo todo o seu trabalho, pois a sua forma de “fazer” televisão é única, espontânea e inimitável! Costumo dizer aos meus amigos e colegas de área profissional, que tenho uma especialização em Manuel Luis Goucha e Cristina Ferreira, pois quando chego a casa depois do trabalho, vejo sempre os vossos vídeos e tenho no meu disco externo guardadas horas e horas de “Melhores Momentos” que o Manuel Luis Goucha e a Cristina Ferreira propiciam no vosso programa “Você na Tv”.
    Pretendo ser único e espontâneo em tudo o que faço, e todos os dias peço a Deus que tenha a oportunidade de fazer TV, e que alguém descubra este jovem (eu) para poder colocar o seu talento ao serviço de todos! Pois, a televisão é feita pelas pessoas!
    Com humildade, deixo aqui o link do meu modesto currículo (em vídeo), são apenas 2 minutos e gostaria de saber a sua opinião. Ficaria muito feliz! (http://youtu.be/gz22REyDaxc)

    Felicidades, e espero que qualquer dia nos encontremos ou trabalhemos na TVI. Se o destino assim o permitir.

    Um forte abraço 😉

    Rúben Neves

    Responder
  7. Tina Lima

    Não perco um programa Você na TV porque trabalho depois das 13h e não gostei da atitude da Cristina. Mal educada e grosseira. Lamento que o júri tivesse ficado impassível perante esta atitute e ainda mais fiquei deveras estupefacta com a ironia do manuel Luís no último programa. O que transpareceu na TV foi apoio à Cristina e uma certa imparcialidade. Não gostei…Não gosto desde o início da atitude arrogante da Cristina e já me cansa a exagerada cionfiança do Luís. Esperava um tom mais didáctivo por parte do juri. De resto adoro o programa. Bj Manuel Luís

    Responder
    1. MLG

      A falta de “fair-play” da Cristina foi referida por mim no discurso final ( os concorrentes não me deixarão mentir) contudo foi cortada na edição do programa. De 15 horas de gravações apenas se aproveitam hora e meia. A ironia que usei no programa passado fez sentido a meu ver e por isso a usei, tal como noutras vezes. A ironia também tempera a minha função que, muitas vezes procura ser didática. Sou feito de muitas coisas. Posso não ser imparcial na apreciação de personalidades, com umas sentiremos mais empatia que com outras, mas procuro ser honesto no meu desempenho. Nunca avaliei o carácter mas sim a receita executada. Obrigado pelo seu comentário.

      Responder
  8. andreia filipa lopes ferreira

    Adoro ver o seu programa e as manhãs com a Cristina são espetaculares gostaria de o vir a poder conhecer pessoalmente a si e à Cristina que tem uma energia contagiante.gostava muito de ter possibilidades de poder fazer uma pausa num sítio maravilhoso como esse eu o meu companheiro e à minha filhota de um aninho beijinhos grandes para si e para a cristina

    Responder
  9. Mariana

    Onde aprendeu a fotografar tão bem? Estão muito bonitas todas as suas fotografias.
    O Sr é muito profissional e muito amavel ( pelo que vemos). Aqui em casa não passamos um dia sem ver o Master Chef, é bom saber que até os mais novos ficam fascinadoscom o programa.
    Felicidades e continuação de bom trabalho.

    P.S.: a minha mãe adorava conhece-lo

    Responder
  10. Maria Jose

    Lindissimo. Que belo restauro. Os jardins sao lindos. Adorava poder ir a um lugar tao maravilhoso comemorar os meus 34 anos de casamento. Um abraco e muito obrigada por partilhar comnosco um pouco dos lugares maravilhosos que visita. M Jose

    Responder
  11. Manuela Pedro

    Sr. Manuel Luìs que lindo sitio por onde andou,como eu gostaria de conhecer junto com meu velhote pois, já temos 65 anos e 32 de casados.Mas hoje é um pouco complicado sem carro e como está a vida só em sonhos. Gosto muito de ver o Sr e a Dª Cristina em todos os vossos programas,gostaria de vos conhecer pessoalmente mas não sei como fazer.Obrigada por me dar atenção muitas felicidades para as vossas vidas pessoais e profissionais uma amiga

    Manuela Pedro

    Responder
  12. Maria luísa Taveira

    Sou assídua a assistir ao Master Chef . Ontem fiquei desiludida com o comentário que fez quando a Rosa ganhou. Afinal a Sónia já tinha dito que tinha uma maior ligação à Rosa, pelo que a sua observação só foi agudizar o mau relacionamento entre ela e a Cristina. Pelo que ao longo dos anos, como espetadora dos seus programas, conheço do seu empenho pela paz, confesso que fiquei surpreendida.

    Responder
    1. MLG

      Compreendo o seu comentário que agradeço. Mas também gosto de ironizar. Foi o que fiz. E não houve problema algum. Ainda ontem durante o programa eu é Sónia falamos com humor sobre a minha provocação. Isto é apenas um programa de televisão. Um beijo para si.

      Responder
    2. Cecilia Pereira

      Pois eu gostei como Manuel Luis Goucha falou . Porque a Sonia recusou um abraço da Cristina , pode esta gostar mais da Rosa mas a minga openião é que não lhe ficou nada bem o que a Sonia fez.

      Adoro o progama e o voçe na tv
      E claro o Goucha e a Cristina

      Responder
      1. MLG

        Foi a Cristina é que recusou um abraço da Sónia. Demonstrou falta de “fair-play” e na hora foi chamada à atenção por isso. Essa parte não passou na emissão. Mas nunca alguém foi avaliado pela personalidade que tem. Avaliamos receitas. Podemos sentir mais empatia com este ou aquele concorrente, mas isso não interfere na apreciação do prato. Isso é que conta! Obrigado pelo seu comentário. MLG

        Responder
        1. Ivone Oliveira

          Tem toda a razão Manuel Luís o fairplay é muito importante.
          Tenho toda a admiração pelos seus programas.
          Sempre que posso vejo o Você na TV e claro que você e a Cristina são uma dupla maravilhosa.
          Bjs para os dois

          Responder
  13. Isabel Santos

    O Hotel é lindissimo e agradeço-lhe toda a informaçao que nos deu 🙂 eu fiquei um pouco mais culta.
    Qt ao programa masterchef eu ADORO!
    Bfgjos

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *