Viagem ao centro da Terra

edcb0a15-38e5-421d-928b-a1b76e4a2e49
É uma verdadeira descida às profundezas da terra, trezentos e setenta e oito degraus (a descer até Santa Bárbara ajuda, ou não fosse ela padroeira dos mineiros) para percorrermos três dos duzentos e quarenta e cinco quilómetros de galerias que compõem a Mina de Sal de Wieliczka, a dois passos de Cracóvia, inscrita em 1978 na lista do Património Mundial da Unesco. As palavras acanham-se perante a beleza e a atmosfera de quanto nós é dado a ver, entre corredores, lagos e câmaras, maravilhas naturais, e vestígios antigos de um trabalho de grande dureza que ali decorreu durante séculos. Nada se compara porém à Capela consagrada a Santa Kinga, rainha da Polónia, que se abre perante o nosso espanto, quando, duas horas depois de termos começado o percurso, já achávamos que o que faltava ver seria mais do mesmo. Dizem que é a maior e a mais bela capela subterrânea do Mundo e eu, até prova em contrário, acredito, que ainda agora lá voltei e experimentei a emoção da primeira vez.

Feita por mineiros/escultores com talento, o que mais surpreende, para além da sua dimensão, é o número de obras sacras que a decoram, todas elas esculpidas em sal, como, por exemplo, a estátua de João Paulo II. Até os lustres são feitos no precioso mineral. Ali pode-se casar, diz-se em jeito de graçola, com a vantagem de que uma vez lá dentro o noivo não consegue dar com a saída, assistir à missa de Domingo, à do dia de Santa Kinga (24 de Julho) ou à do Galo (ora cá está uma grande ideia para um dos meus Natais futuros!). Que as imagens que alinhei para si lhe espicacem a vontade de conhecer Cracóvia, cidade também ela Património da Humanidade, e o que as redondezas escondem. Entre num mundo que mais parece de Júlio Verne ou de J.R.R.Tolkien e sinta a vertigem do que é belo.

3 comentários a “Viagem ao centro da Terra

  1. José Palma

    Também já visitei e gostei bastante. Algo imperdível numa visita a Cracóvia.
    Já lá fui duas vezes e espero poder voltar uma terceira pois trata-se de uma cidade encantadora e cheia de história por cada canto por onde se passa!

    Responder
  2. Margarida Silva

    Adorei também a viagem a Cracóvia. Visitei também as minas de sal e achei um local extraordinário assim como o campo de concentração. Como fui no feriado de dia 8 de dezembro, também apanhei o mercado de natal que, como foi o primeiro que conheci, guardo grandes recordações. Ainda hoje tenho uma coleção de bolas de natal em vidro artesanal inspiradas nos ovos Fabergé. Uma cidade linda, muita gente jovem, não fosse uma cidade universitária e achei-os muito simpáticos. Este feriado ainda estivemos quase para repetir esta viagem mas, infelizmente, não pudemos. Talvez para o próximo natal. Beijo para si e um bem haja pelas manhãs divertidas. Para si e para toda a equipa um Santo Natal.
    Margarida Silva

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *