Arquivo de etiquetas: estremoz

À sombra dos jacarandás!

Podia ser Lisboa a pintar-se de lilás, que em chegando a Primavera é certo que os jacarandás da cidade, e tantos são, começam a dar flor. Mas foi em Estremoz que me deixei surpreender por tamanha glória, ao ver que […]

Ler mais

Na Quinta Dona Maria

É inevitável que se fale de D. João V quando em Mafra nos deparamos com o monumental Convento, símbolo maior do seu reinado, mandado construir como pagamento de uma promessa feita a Deus para que lhe desse sucessão. A Tapada […]

Ler mais

A horta do Ti Henrique

Ao sábado em Estremoz é sempre aquela irresistível confusão do mercado no Rossio e então para quem gosta de curiosidades, velharias e antiguidades pode ser mesmo uma verdadeira perdição. Já para os frescos posso contar com a bancada do Ti […]

Ler mais

Dia de mercado

Desde que esteja por perto, aos sábados não falho o mercado de Estremoz. Começo por um café no “Águias de Ouro” ou no “Alentejano”, fazendo-o acompanhar por uma empada, mais por gulodice que outra coisa, que o pequeno-almoço já vai […]

Ler mais

E vão dez…

… as exposições de Presépios de Artesãos de Estremoz, a ponto da iniciativa já fazer parte das tradições do Natal estremocense. Foram os artistas da terra desafiados,uma vez mais, a interpretar a seu jeito a Natividade, resultando a resposta em […]

Ler mais

Viagem à nossa infância

É o que lhe proponho, se andar para os lados de Estremoz, que no Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte, em boa hora comprado e recuperado pela autarquia, exibe-se agora uma exposição de brinquedos portugueses, a partir da paixão […]

Ler mais

Só quem está dentro do convento…

Quem diria que eram ali os Paços do Concelho! Na azáfama das feiras de sábado dava conta da Igreja pela sua imponente mas inesperada fachada ondulante e da existência de um museu, presumia e pelo visto bem, de arte sacra, […]

Ler mais

Voltei ao Teatro

Desta é que foi, voltei a entrar no Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, quarenta anos depois de ali ter subido ao palco, como actor e integrando a companhia Teatro do Povo, de Pedro Pinheiro, no decorrer de uma digressão feita […]

Ler mais

As Bonequeiras de Estremoz

Há muito que as conheço mas não as via pra aí há uns quinze anos. Sabia-as na cidade, com oficina aberta ao público, mas que eram ali mesmo ao lado do Rossio para onde os meus passos me levam ao […]

Ler mais

Constantina guardadora de palavras

Entrei na Igreja sem saber que aquela era a matriz de Estremoz, consagrada a Santa Maria, ainda por cima sem torres sineiras, pelo que me contaram aquilo foram as tropas napoleónicas que lhe deitaram fogo. A porta estava aberta e […]

Ler mais