Roncos ao alto

ronca1

Deram-me uma ronca e eu sem saber ao certo do que se tratava. Logo me disseram que era coisa da tradição do Natal de Elvas. Tem tudo a ver, já que a cidade raiana fica aqui pertinho, a meia hora de caminho. É trabalho de oleiro e parece que já só há um que ainda as faz, tipo pote ou cântaro em barro a servir de caixa de ressonância, de boca tapada por pele bem esticada. Friccionando a cana que há-de estar presa ao centro, obtém-se um som grave e fundo com que se acompanham os cantares do Natal. Antigamente andavam os homens em bando pelas ruas da cidade, entre as nove e a meia-noite, dando trovas ao Menino, ao som áspero das roncas. Guardam-se hoje em muitas casas para que à volta da mesa da consoada se mantenha a tradição em louvor de Jesus nascido.

“…

Olhei para o céu

Estava estrelado

Vi o Deus Menino

Em palhas deitado.

Em palhas deitado

Em palhas estendido

Filho duma rosa

Dum cravo nascido.

…”

4 comentários a “Roncos ao alto

  1. Antonia Ramalho

    Ola Manel, ao ler esta sua publicação senti uma grande nostalgia. Lembrei da ronca que o meu Santo Pai deu ha muitos anos ao meu irmão e isso trouxe-me lembranças que hoje so são saudade. A vida e assim, mas o Natal e uma epoca em que me sinto particularmente mais fragil, talvez por ter perdido meu Pai nestra quadra. Um Santo Natal com imensa saude , alegria , amor e paz. Beijinho com muito carinho para vos.

    Responder
  2. Sara

    Não só antigamente, ainda hoje em Elvas se mantém a tradição de cantar ao menino pelas ruas da cidade. Tenho pena que ainda não seja dado o real valor a minha cidade pelos portugueses… Elvas é muito mais do que ” Badajoz à vista” .

    Responder
  3. Sara Anjos

    Em Elvas ainda hoje se mantém a tradição de cantar ao menino Jesus ao som das lindas Roncas de diversas formas e tamanhos!
    A sua vem do único oleiro que as produz como antigamente o Sr. Pedras (962 919 329).
    Desejamos-lhe um Santo e Feliz Natal junto dos que ama.

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *