De Paris a Vila Fernando

Que tem Paris, cidade luz do pensamento e dos ideais, a ver com Vila Fernando, a pacata e generosa terra alentejana?. Nada, mas por conveniência deste escrevedor, que há meses que tem estas fotografias para “despachar”, há uma cozinha simples e franca que nesta prosa as pode unir, através de um mesmo conceito, o do “bistrot” (à francesa) e o da taberna ou casa de pasto (à portuguesa). A ideia comum é a de servir uma cozinha simples e saborosa, com os produtos da terra, confeccionada com esmero e dedicação, num restaurante pequeno e acolhedor, onde muitas vezes é quem cozinha que vem à mesa sugerir os petiscos do dia.

foto1

foto2 foto3 foto4 foto5 foto6 foto7 foto8 foto9

Assim é no “Chez Benoit”, junto à “Mairie de Paris”. Quem assina a cozinha é Alain Ducasse, esse nome maior da cozinha francesa, mas não é ele quem oficia nos tachos, outrem será da sua total confiança e sob sua atenta supervisão. Tem mais que fazer o chef, tantos os restaurantes estrelados em Paris e não só, com o seu nome e a reclamarem a sua atenção. Ali no “Chez Benoit” somos recebidos, de forma descontraída, como se já fossemos da casa e é no aconchego do seu ambiente que saboreamos as suas propostas culinárias, a preços honestos. É o regresso à cozinha verdade, a dos sabores e das texturas, sem imposturices ou novo-riquismos.

Rue Saint-Martin, 20
Paris
www.benoit-paris.com

foto10

foto11

foto12

foto13

foto14

foto15

foto16

foto17

foto18

foto19

foto20

Assim é na “Taberna do Adro”, de ventas para a alva igreja da vila. Ali, numa casa pequena, imaculadamente caiada e debruada a azul, mostra-se o melhor que o povo fez com o pouco que teve. É a cozinha memória de tempos duros e sofridos, quando o melhor pedaço se guardava para o dia de ver-a-Deus. “Pelo-me”pela “galinha tostada”, com o sacramental acompanhamento de três migas, a saber: de batata, de tomate, de couve-flor ou de espargos, mas de muitos mais petiscos é a oferta, sempre com uma estória que se possa contar como que a chancelar tão rico e terno património, o do afecto, o do coração. Ouvir Maria José, a sua proprietária e alma, é compreendermos parte do fascínio e da magia daquelas terras para lá do Tejo.

Largo João de Deus, 1
Vila Fernando
www.facebook.com/TabernaDoAdro

2 comentários a “De Paris a Vila Fernando

  1. Maria Jose Syrstad

    Carissimo Manuel gostei deste artigo de paris a vila fernando , a minha terra e de facto linda , a taberna tem boa comida com gente linda que a maneia . Fico contente que alguem por quem tenho muito respeito e admiracao ,mencione esta terrinha a desaparecer aos poucos. Felicidades Manuel

    Responder
  2. Luisa Nobre Amaral

    Manuel Luis Goucha, não vou fazer um comentário, mas sim um pedido, foi a maneira que achei para falar, então vou dizer o que consta o meu pedido.
    Tenho um amigo e compadre (pai da minha nora) é um escritor brasileiro, chamado OSIRIS RORIZ, publicou um livro em CURITIBA sua terra, é um livro de POLIDRÒMOS muito engraçado porque ele brinca com as palavras.
    Ele queria apresentá-lo em Portugal e pensou em falar consigo, porem a estadia dele emMaio/Junho foi curto e não conseguiu, quando foi embora comentou comigo este seu desejo, e eu disse-lhe que eu mesma ia tentar, e hoje aqui estou a fazer o pedido pos ele vem cá dia 5 de Novembro e vai cá ficar alguns meses.
    Ele já foi ao programa do JÔ SOARES eu vi no youTube.Será que vai ser possível? fico a aguardar a sua resposta, desde já o meu muito obrigado, um beijinho para o meu apresentador preferido. O meu tm 931762662 Luisa Amaral

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *