12 comentários a “Auschwitz – a reportagem

  1. Sue Marinho

    Meu querido Manuel Luis,
    Cada reportagem, texto e intervenção sua enche me de orgulho.
    Deixe-me felicitá-lo pela pessoa que demonstra ser: um homem culto, um excelente comunicador, irreverente, bem disposto e “bem resolvido” consigo mesmo.
    Tomara que Portugal tivesse mais pessoas interessantes como o Manuel Luis Goucha!!!
    Deixe-me reforçar o que o Manuel Luis já sabe, sim efectivamente é O Melhor!!!
    Obrigada por partilhar Portugal tal como ele é ou deveria ser…
    Beijinho da Suíça :)
    Susana

    Responder
  2. Carla

    O Manuel já estive nos locais mais bonitos do mundo e no mais horrivel, é preciso ver os 2 lados da vida.
    Pessoalmente não tinha coragem, na epóca em que davam os filmes chorava de ver os horrores.
    Parabéns pela reportagem, por mostrar no seu blog o bom/mau que a vida têm, só assim conseguimos evoluir, crescer.

    Carla
    Um abraço

    Responder
  3. Florbela Santos

    Parabéns Manuel Luis, obrigada pela Grande reportagem! Só um Grande profissional, consegue descrever e relatar tão bem todos estes horrores! Em 15 mts! E tenho pena do nosso público (a grande maioria) só conhecer o Manuel no registo “Você na TV “!
    Beijinhos
    FLOR

    Responder
  4. Emilia Brazinha

    Boa noite, Manel, fiquei em choque quando vi a reportagem. Vi no Você na TV e, agora, estou a ver no seu blogue. Já tinha visto na SIC no Alta Definição do Daniel Oliveira quando entrevistou o jornalista Francisco Zimmerman, penso que é assim que se chama. De facto, nós, humanos somos capazes de atrocidades impensáveis. Sem comentários… beijos no coração.

    Responder
  5. Cláudia Sousa

    Boa noite

    Desde que conheço essa triste parte da nossa história que sinto uma ligação profunda e inexplicável com a mesma. Decidi que é no ano que vem que vou enfrentar esse sentimento e ir aos campos.
    Mas tenho tido dificuldades em organizar essa viagem ao meu eu profundo. Será que me poderia ajudar nesse planeamento?

    Responder
  6. Carla Mendes

    Bom dia Manuel Luís,
    É muito triste, revoltante pensar que tudo isto aconteceu, mas mais triste e revoltante é saber que algumas pessoas se comovem pontualmente ou de forma passageira e continuam a fechar ou desviar o olhar a muitas situações que podiam “dar a mão”… falasse muito que estamos numa fase de crise de valores esquecendo que esta crise já vem desde então… porque o que acontece ao vizinho não incomoda… esquecendo que todos temos telhados de vidro!
    Infelizmente de uma forma ou de outra continuam a existir destas atrocidades…
    Obrigada por partilhar

    Responder
  7. Marisa Simão

    Obrigada Manuel por partilhar esta reportagem no seu blogue. Confesso que não tinha visto quando passou no Você na TV mas tinha imensa curiosidade em vê-la, vi agora. Já muito li sobre esta temática, mas não consigo deixar de me impressionar com o que foi a realidade deste flagelo. Parabéns pela reportagem, está fabulosa, ainda que me custe atribuir adjectivos positivos a tamanha crueldade…

    Responder
  8. Sara Vasconcelos

    Excelente reportagem, como foi possível uma barbaridade desta natureza…. fiquei completamente comovida com as imagens que vi. Como deve ser complicado visitar um local com essa carga. Os meus sinceros parabéns ao Manuel Luis Goucha e a toda a sua equipa, por nos dar a oportunidade de não esqueçer o quanto o ser humano é cruel, bem como o sofrimento que ali ficou.

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *