Alentejo, o chamado da terra

alentejo1É o azul livre do céu. O castanho da terra mexida. O amarelo e o roxo das flores que a atapetam. Searas trigueiras dançam ao ritmo da brisa. Há papoilas cor da raiva. O calor já não tarda para então deixar a planície ávida. Quando a noite desce sobre o mundo, ali acende-de um candelabro de estrelas.

Cada vez mais tenho a certeza que este será o meu chão.

alentejo2 alentejo3 alentejo4 alentejo5 alentejo6 alentejo7 alentejo8 alentejo9 alentejo10 alentejo11 alentejo12 alentejo13 alentejo14 fotografia15

12 comentários a “Alentejo, o chamado da terra

  1. Maria Petronilho

    Adorei a leitura!
    Mas as papoilas, Manuel Luís Goucha….Têm a cor da alegria, da paixão, de uma boa gargalhada ao fim da tarde, escutando anedotas e petiscando coisas deliciosas!
    Que a ida para o Alentejo (?) o rejuvenesça (ainda mais?!) e vos torne ainda mais felizes!
    Beijinhos

    Responder
    1. Mlg

      Laura
      Temos sítios lindíssimos e ainda teríamos mais se não os tivéssemos estragado. Mas não exageremos, há outros países maravilhosos na Europa. Para mim, por exemplo, dos que conheço:
      França, Itália e Suíça são os meus preferidos.

      Responder
  2. Paula Francisca

    Sabe bem conhecer o seu lado telúrico, bem ao jeito de Torga.. ficamos mais ricos ao sentir que há Gente que ama o mais português de Portugal. Obrigada por partilhar tanto do que é connosco…

    Responder
  3. Paula Verde

    As fotografias estão maravilhosas. Obrigada! Representam bem a beleza e a tranquilidade do Alentejo. As minhas raizes são nortenhas, mas quando estou no Alentejo sinto-te muito bem, sinto que lhe pertenço. Aproveito ainda para lhe agradecer os ensinamentos que transmite aqui no blog, sempre muito interessantes e uteis. Um beijinho e continuação de boas férias.

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *