Alegrete dos sorrisos

foto1

Começo por gostar do nome, Alegrete, (1) se bem que não deixe de me lembrar de um dito antigo, do tempo do Estado Novo quando havia quem gabasse a pobreza: “pobrete mas alegrete”. Fica no alto (2) como convinha a quem temia os perigos vindos de Castela. De lutas guerreiras nos fala o que sobra do seu castelo medievo (3)(4)(5)(6)(7) mandado erguer por Dinis, rei poeta e lavrador. Um engenhoso e eficaz aproveitamento do espaço através de escadas e plataformas deste tempo, permite-nos chegar às ameias, para delas estendermos o olhar até onde a vista alcança. Largueza assim só nestas terras para cá do Tejo. Vista de cima, a vila (8)(9) parece ainda mais pequena, quase de brincar, toda ela caiada de branco e debruada a amarelo, sendo que a excepção fica na rua do “Celeiro”, o mini-mercado do Tó e sua mulher. Ali destoa a casa, dizem-me que de um senhor do Porto, porque alindada a azul, parece-me que não tão forte como é o azul -Alentejo, antes mais pró o azul-clube, que isto há paixões que não se conseguem castigar.

(2)
foto2

(3)
foto3

(4)
foto4

(5)
foto5

(6)
foto6

(7)
foto7

(8)
foto8

(9)
foto9

Temos de entrar na Igreja da vila (10)(11)(12)(13) consagrada a quem a protege, São João Baptista, se bem que a maior devoção dos alegretenses seja por Nossa Senhora da Alegria, sempre celebrada, entre o profano e o religioso, quando Agosto está pela metade. “É a ti que recorremos/Em horas de aflição /Para que nos protejas/ Do mal e da tentação”, quem o diz é Victor Trindade, sacrista da terra e poeta popular (14), com a quarta das classes tirada.

(10)
foto10

(11)
foto11

(12)
foto12

(13)
foto13

Mais abaixo abre-se a Praça onde pontifica o bonito coreto (15)(16), palco para a banda da terra em dias de festa. Esta tem fama e muitos anos, mais de cento e quarenta, de briosos trabalhos. Tenho que as Filarmónicas são verdadeiros conservatórios populares, não se estranhe por isso que alguns dos seus instrumentistas acabem na cidade grande integrando outros projectos.

(15)
foto15

(16)
foto16

Depois é andar pelas ruas, todas elas “num brinco” que até dá gosto, responder a quem nos interpela de sorriso escancarado e em dando a larica ala para o café do Sr.João, que logo a D.Palmira se atira ao fogão para dali sairmos todos alegretes (17)(18)(19)(20)(21). Bem que gostei da vila e de suas gentes para em breve tornar.

(17)
foto17

(18)
foto18

(19)
foto19

(20)
foto20

(21)
foto21

30 comentários a “Alegrete dos sorrisos

  1. Agueda Adler

    A minha mae nasceu em Alegrete, apelido Trindade Vaz. Nunca la fui! Mas gostava.
    Eu nasci num lugar chamado Datas, freguesia da Esperanca, Arronches. Vivi em diferentes lugares na zona ate aos 7 anos porque o meu pai era Guarda Fiscal e mudava de posto. Passava tempo na casa de amigos junto a raia, na Tojeira (La Tojera), onde hoje ja existe um restaurante. Tem de la ir, Sr Goucha, apenas um casario na altura, posto de passagem de contrabando, mas que saudades tenho do ‘meu’ Alentejo, que o Alentejo tem muitos donos! Nao e so seu!
    A vida tirou-me do Alentejo mas nunca tirou o Alentejo de mim. Vivi tambem em Campo Maior mas so la voltei ha poucos anos ver as festas do povo de que me lembro bem. Uma infancia feliz deixada passada a solta nos campos cheios de papoilas e trigo. Depois foi o Porto, Londres – muitos, muitos, anos -e agora o Algarve. Quem sabe se algum dia fecho o ciclo.
    Desejo-lhe muita saude para gozar o que tem junto de quem gosta e por muito tempo. Xx

    Responder
  2. ANTONIO CONCEIÇÃO

    EXMº SENHOR MANUEL LUIS GOUCHA:
    TENHO UMA MORADIA EM ALEGRETE, COM UMA VISTA MUITO LINDA PARA A SERRA DE PORTALEGRE , SE ESTIVER INTERRESSADO OU SE SOUBER DE ALGUEM INTERESSADO. AGRADEÇO. CUMPRIMENTOS

    Responder
  3. Margarida Pombo

    Meu querido Manuel Luís goucha se eu tivesse sabido mais cedo que vinha visitar Alegrete era uma honra conhece-lo mas infelizmente só vim a saber depois , já era tarde , eu vivo em vale de cavalos , é com grande tristeza que digo que não o conheci estando você tão perto de onde eu vivo , talvez seja das poucas pessoas da minha idade que o admira muito mas é com muito prazer e orgulho que digo que o vejo como um exemplo a seguir por todos , muitos beijinhos

    Responder
    1. MLG

      Obrigado Margarida pelo seu comentário.
      Tenho muitas pessoas de todas as idades a gostarem de mim mas não me sinto como exemplo algum.
      É amabilidade sua. Um beijo

      Responder
    2. LAIVINAGRE

      o MANUEL, ISTO É UMA MARAVILHA, VOCÊ ESTÁ NAS “SETE QUINTAS”, ACERTOU EM CHEIO, DE TODAS AS MANEIRAS. AS PESSOAS, AS TAVERNAS, OS PETÍSCOS QUE AÍ SE COMEM, MAS VOCÊ, NÃO QUER ENGORDAR, SÓ TEM A PERDER COM ISSO, JÁ COMEU TORRESMOS, DAÍ, HUMMMMMMM….!!!!!!
      JÁ REPAROU, NAS MARAVILHAS, NOS BICHINHOS QUE VÃO APARECENDO,????
      AGORA, VOU FAZER LHE UMA PERGUNTA.
      COMO FOI QUE ESSAS COISAS, APARECERAM,??? UMA PESSOA, FORA DO VULGAR, BOA E AMANDO, O SER HUMANO DANDO LHE O MELHOR.
      MAS TAMBÉM HÁ O REVERSO DA MEDALHA, – O MAL -,
      NÃO ESCREVO MAIS…..
      TUDO DE BOM PARA SI, SUA VIDA E PARA A CRISTINA QUE NÃO PODERIA AQUI FALTAR. EHEHEHE, VOCÊS, SÃO O CASAL MARAVILHA.
      BYE, BYE, KISSES, KISSES
      LAI

      Responder
  4. Cátia Paixão

    Alegrete, Alegrete. Meu doce Alegrete. Sou desta linda vila que me enche o coração e aquece a alma. Por motivos profissionais não vivo aí actualmente, mas as raízes que me prendem e preenchem nessa bela vila prevalecem.. e, é com grande orgulho que sempre que posso vou a correr para o colinho da minha avó (presente na última foto no café do Sr. João). Para mim é sem sombra de dúvida o melhor café que temos na vila.. são pessoas amáveis e danadas para a brincadeira.
    Um beijinho grande

    Responder
  5. Rui Silva (com o anexim de "Bimbo")

    Boa tarde primo Manel, (como se diz na planície Alentejana,)

    Sou Tripeiro com raízes Alegretenses (ou Lagarteiras, como queira), da referida “casa alindada de azul”, e Amo literalmente aquele cantinho do céu que me foi deixado pelos meus Avós Paternos.

    Partilhei essa Paixão à minha mulher e filhos, e todos nós somos fiéis depositantes de uma Paixão e Admiração por essa Terra e seus Habitantes que, jamais nos cansamos de a divulgar e idolatrar a todos, tal é o que sentimos por Alegrete.

    Bem haja por se juntar a Nós, com esta sua visita que, decerto, Alegrete aos olhos do Mundo, jamais será a mesma depois desta sua bonita e simpática exposição.

    Com os meus melhores cumprimentos, seja sempre benvindo ao “nosso” Alentejo, pois também já sou Alentejano.

    Responder
  6. Lurdes Alpalhão

    Não sei como o devo tratar, vou tratá-lo só por Manuel, como meu belo pai nascido na maravilhosa terra de Alegrete. Vive em Campo Maior há mais de quarenta anos , mas tem feito questão de que nós filhas, ficássemos a conhecer bem o lugar onde ele nasceu. Além de eu como a minha irmã adorar-mos a terra, já a seguinte geração ( a minha fiha ) adora também porque eu como mãe levo-a a conhecer a terra do avô e a comer-mos a maravilhosa comida do sr.João…
    Já agora passe por Campo Maior que já estou a ficar com um pouco de inveja( saudável) claro, bjs de uma Camponesa…

    Responder
  7. Maria Clara Gralha Nunes da Mata

    Fiquei muito feliz por saber que conseguiu o seu objectivo…um monte no Alentejo! Do que se conseguiu ver, está com muito gosto. Parabéns pelo seu novo espaço e que o desfrute por muitos e bons anos. Obrigada por nos ir mostrando “lugares” no Alentejo que tanto amo, o cheiro, o silêncio é o chilrear da passarada, a comida e as suas gentes. O meu avô paterno era de Grândola e o meu tio avô materno foi sub-delegado de saúde em Marvão, onde a a casa onde viveu foi considerada património e tem uma placa inscrita no exterior. Era um bondoso médico que tratava muitos doentes, sem recursos, sem os abandonar, lá por não terem meios de custear as despesas.

    Responder
    1. MLG

      Rosalina
      Li de si uma das frases mais bonitas que alguma vez me disseram: “O Alentejo fica mais lindo consigo”.
      Vou fingir que acredito que é verdade. Um beijo e obrigado

      Responder
  8. clotilde fonseca

    O Goucha esteve em Alegrete e gostou,parabéns porque esteve numa terra sem par, que, para além de branquinha tem uma rica história ,então o sr vitor não o levou á casa de Alegrete?antiga residencia do nosso Marquês? e tanto que o sr. gosta de gente de sangue azul! lá está o respectivo brasão.obrigado pela visita para a próxima avise, para que as pessoas da vila o possam ver.

    Responder
  9. Leila Rodrigues

    Ola Manel,

    É lindíssima esta vila! Sempre que posso adoro por lá passar ora eu não tivesse a 20km.
    Venha fazer uma visita por Portalegre!

    Continue com essa felicidade!
    Um beijinho grande. Gosto muito de si!

    Responder
    1. MLG

      Olá Leila
      Desta vez não tive tempo de ir a Portalegre, até porque já aí estive na Casa Museu José Regio e nas Tapeçarias de Portalegre.
      Fica para uma próxima. Um beijo

      Responder
  10. Miguel Moura

    Olá boa noite o meu nome é Miguel Moura sou o marido da mulher que pintou o Painel Bem Vindo Alegrete ela é uma grande artista e tenho muita pena que tenha abandonado este dom tem obras lindíssimas,,,,repito é uma artista que eu tive o prazer de conhecer e viver ela é a minha vida o seu nome é Natália trindade só eu tiro partido desta grande mulher mas gostava que o seu trabalho fosse reconhecido……somos de Alegrete……. obrigada sr Luís por nós proporcionar estes momentos
    Miguel

    Responder
  11. Adelia Ferreira

    Ola Manuel Luis,muito obrigada pela visita que fez a minha linda terra ALEGRETE,pelas fotos maravilhosas que mostrou, ate fiquei com a lagrima no olho ao ver a rua onde nasci,rua direita da vila,chamada pelos alegretenses de (caganita)rua que vai da igreja ao castelo.Muito obrigada por gostar tanto do alentejo…Um beijinho

    Responder
  12. Maria Odete Canário

    Manel é uma pessoa fantástica e todos o adoram ( incluindo eu claro ) , mas tem um ótimo fotógrafo , chamado Rui um xi-coração para os três …Manel…Rui e Poejo ……aproveite bem , pois o que é bom acaba depressa…bjinhos

    Responder
  13. Áurea Bourbon

    Visitei Alegrete no mês de Junho quando regressava de Marvão…… adorei! Como diz uma vila arrumadinha e limpinha! E um calor!!!!ufa!ufa!
    Fiquei em Alter do Chão, no Convento de Alter e vou repetir….
    Percorremos toda essa zona e é tudo muito lindo!
    Na próxima visito a sua Herdade
    Beijinhos e continue as reportagens…eu adoro e aprendo!

    Responder
  14. Gi

    Uma vez mais obrigada! Não conheço Alegrete. Fico deliciada com as fotos que publica e co a cara de felicidade que nos mostra! É bom usufruirmos do que conquistamos com onosso trabalho. Fico contente por si porque é único!Continuação de boas férias, muitos passeios aproveitando essa calmaria!

    Responder
  15. Antônia Ramalho

    Olá Manel, agora foi Alegrete que mereceu a sua visita. Nunca o Alto Alentejo pensou ter tal embaixador que faz com que esta zona seja vista com outros olhos muito devido às suas sábias palavras e as imagens fotográficas com que brinda todos aqueles que o seguem. Beijinho e um resto de bom dia

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *