A modernidade do burel

fotografia1 Não teria mais de nove anos: de férias em Lisboa na casa do meu pai lembro-me dele me ter levado a uma loja de roupa para me comprar um sobretudo. Era cinza muito claro, da cor do frio, se a memória não me atraiçoa, e tinha um cinto grande para o apertar à frente depois dele traçado. Achei-o o máximo: janota e moderno, diferente de tudo quanto havia no meu guarda-roupa. Com ele até parecia um homenzinho. Foi casacão de pouca dura, que o mesmo não terá considerado a minha mãe, ou pelo menos não convinha para a mortal guerrilha que entre os dois se havia instalado, anos antes, com a separação, e logo o casaco foi retalhado acabando banal e sem graça, de nada valendo os meus protestos e choros. Foi então que jurei que um dia haveria de os ter, tal e qual aquele de traçar com cinto.

O episódio veio-me à lembrança quando vesti o casacão em fazenda de lã, com gola de rebuço, e cinto,claro, do Luis Nogueira e levado à televisão, entre outras peças da sua criação. Gosto muito do trabalho do Luis, por respeitar a tradição da lã e em particular do burel, que é quando ela depois de urdida é pisada, ganhando a peça maior resistência e durabilidade. Que o digam quantos apascentam nos rigores do Inverno.
Gosto muito do trabalho do Luis, por juntar a este saber antigo a modernidade do corte e do design, tornando o produto final irresistível.

Foi isso que aconteceu comigo: o casacão de gola de rebuço e cinto de laçar… já cá canta!

fotografia2

fotografia4

fotografia3

fotografia6

fotografia5

fotografia7

byluisnogueira.blogspot.com/

5 comentários a “A modernidade do burel

  1. Paula Francisca

    Tradições que se repetem e ganham vida pela mão de artesãos modernos…com saberes renovados. É bom sentir que Homens de valor como o Manuel dão força à Portugalidade e às tradições. .. aproveito para lhe desejar Parabéns: mais vale tarde do que mais tarde ainda, como costumo dizer. Desejo-lhe também o melhor do mundo para o novo Ano, que continue igual a si mesmo… Eu vou continuar a acompanha.lo e o mais importante. . A admira.lo.

    Responder
  2. Antonia Quintas

    Boa noite Manuel Luis ja reparou como os tempos se repetem? Inclusivamente a moda. Faz-nos recordar o nosso passado.
    Que engraçado atravez destas pequenas “confiçoes” fico a conhece-lo um pouco melhor.
    Confeço ,fico admirada consigo pensava que era mais reservado em relaçao a sua vida pessoal.
    Sr. Manuel Luis o sr.e uma agradavel surpresa
    Beijos

    Responder
  3. Maria Emilia Cunha Lopes

    Fica-lhe bem o casacão! o k será k fica mal? Sei k lhe mandei os parabens no face, mas não enconto a msgm,será k não carreguei na tecla de enviar?é o meu normal.UM BJO

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *